Chacina deixa três mortos e dois feridos no 17 de Março

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Publicada em 06/06/2018 às 06:46:00

 

Três pessoas morre-
ram e outras duas fi-
caram feridas em uma chacina ocorrida por volta da 0h30 de ontem no bairro 17 de Março, zona de expansão da capital. Segundo a polícia, as vítimas estavam em um bar, participando de uma seresta, quando dois homens chegaram em uma moto, entraram no local e dispararam vários tiros, perseguindo um dos que bebiam no bar. As vítimas que morreram foram identificadas como Anselmo dos Santos, 27 anos, Allane Souza de Assis, 28, e Bárbara Santos Nunes, 18. As vítimas que ficaram feridas, um homem e uma mulher, foram socorridas com ferimentos leves e levadas à Unidade de Pronto-Atendimento (UPA) Fernando Franco, no conjunto Augusto Franco (zona sul).
Segundo testemunhas, os bandidos começaram a atirar assim que chegaram ao bar. Anselmo foi o primeiro a ser atingido e chegou a correr para se esconder no bar, mas não resistiu. Bárbara, por sua vez, não conhecia as outras vítimas e estava acompanhada da prima e de amigos que comemoravam o aniversário de um deles. A jovem, que morava em São Francisco (Baixo São Francisco), passava os dias na casa de uma tia no bairro Santos Dumont (zona norte) e também morreu baleada. A terceira vítima, Allane, tinha sido atingida com um tiro de raspão, mas segundo a família, ficou bastante nervosa e não resistiu a um infarto fulminante. Em vídeos que circulam nas redes sociais, ela aparece dançando com uma amiga no bar, minutos antes da chacina. 
A Polícia Militar foi chamada ao local e soldados do 1º Batalhão (1º BPM) fez buscas pelos atiradores por toda a madrugada, mas ninguém foi encontrado. Segundo o os primeiros levantamentos da PM, a suspeita é de que Anselmo estaria envolvido com o tráfico de drogas no bairro 17 de Março, mas ainda não está claro se este foi realmente o motivo do crime. Os pais do rapaz admitiram que Anselmo costumava andar com más companhias e passar longos períodos fora de sua residência. 
O crime é investigado por equipes do Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) e da 9ª Delegacia Metropolitana (9ª DM). As duas pessoas que foram baleadas e outras testemunhas devem ser chamadas para prestar depoimento. Qualquer informação que possa ajudar a polícia no caso pode ser repassada através do Disque-Denúncia (181)

Três pessoas morre- ram e outras duas fi- caram feridas em uma chacina ocorrida por volta da 0h30 de ontem no bairro 17 de Março, zona de expansão da capital. Segundo a polícia, as vítimas estavam em um bar, participando de uma seresta, quando dois homens chegaram em uma moto, entraram no local e dispararam vários tiros, perseguindo um dos que bebiam no bar. As vítimas que morreram foram identificadas como Anselmo dos Santos, 27 anos, Allane Souza de Assis, 28, e Bárbara Santos Nunes, 18. As vítimas que ficaram feridas, um homem e uma mulher, foram socorridas com ferimentos leves e levadas à Unidade de Pronto-Atendimento (UPA) Fernando Franco, no conjunto Augusto Franco (zona sul).
Segundo testemunhas, os bandidos começaram a atirar assim que chegaram ao bar. Anselmo foi o primeiro a ser atingido e chegou a correr para se esconder no bar, mas não resistiu. Bárbara, por sua vez, não conhecia as outras vítimas e estava acompanhada da prima e de amigos que comemoravam o aniversário de um deles. A jovem, que morava em São Francisco (Baixo São Francisco), passava os dias na casa de uma tia no bairro Santos Dumont (zona norte) e também morreu baleada. A terceira vítima, Allane, tinha sido atingida com um tiro de raspão, mas segundo a família, ficou bastante nervosa e não resistiu a um infarto fulminante. Em vídeos que circulam nas redes sociais, ela aparece dançando com uma amiga no bar, minutos antes da chacina. 
A Polícia Militar foi chamada ao local e soldados do 1º Batalhão (1º BPM) fez buscas pelos atiradores por toda a madrugada, mas ninguém foi encontrado. Segundo o os primeiros levantamentos da PM, a suspeita é de que Anselmo estaria envolvido com o tráfico de drogas no bairro 17 de Março, mas ainda não está claro se este foi realmente o motivo do crime. Os pais do rapaz admitiram que Anselmo costumava andar com más companhias e passar longos períodos fora de sua residência. 
O crime é investigado por equipes do Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) e da 9ª Delegacia Metropolitana (9ª DM). As duas pessoas que foram baleadas e outras testemunhas devem ser chamadas para prestar depoimento. Qualquer informação que possa ajudar a polícia no caso pode ser repassada através do Disque-Denúncia (181)