O Brasil chegou ao fundo do poço

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Publicada em 07/06/2018 às 07:24:00

 

* Rômulo Rodrigues
Os abalos sísmicos causados pelos intensos choques entre placas tectônicas que já foram sustentáculos do equilíbrio da Nação revelaram a desmantelada inconsistência do apodrecido Golpe de Estado reinante.
Descomplicando; após a armação do Locaute dos Caminhoneiros e da Greve dos Petroleiros, com bastante apoio popular, o IBOPE foi a campo e captou; dois terços do Brasil querem eleições Diretas-Já, ao mesmo tempo em que percentual igual quer Intervenção Militar, fatos que demonstram  quão numerosa é a Geração "T", que ouve o galo cantar, sem saber onde e, chega a um dos maiores absurdos históricos, sem ao menos refletir, para descobrir que só pode um, ou outro.
Num contexto tão absurdo, os Jornais O Globo e Folha de São Paulo trouxeram um pouco de luz em toda a extensão do túnel.
O Globo noticiou sobre um telegrama da Embaixada dos EUA, no Brasil, passado em 1984, pelo menos 30 anos antes da Lava Jato, conforme escreveu Joaquim Carvalho, no DCM, segunda, dia quatro.
"O que está claro é que a corrupção, real ou imaginária, está erodindo a confiança dos brasileiros em seu governo".
O telegrama foi enviado pela Embaixada americana para o Departamento de Estado, em Washington e, se refere ao governo dos militares, o que mostra que o assunto corrupção vem de muito tempo, deixando a desconfiança que as mais recentes notícias sobre a ditadura, vindas de lá, são recados do Império para seus comandados, tipo: deixem de alvoroço que agora temos o Judiciário, com Supremo, com tudo, para fazer o serviço sujo.
A fotografia que serve de ilustração é uma de Figueiredo ladeado por Delfin Neto, Paulo Maluf e José Maria Marin.
Num texto publicado pelo Repórter Leandro Loyola, no mesmo Jornal, diz. "O assunto dominava o noticiário à época e, segundo informantes americanos, visavam enfraquecer o governo Figueiredo e indicava o apodrecimento e fim da ditadura que estava no poder, há 20 anos.
Segundo Loyola, de O Globo, o telegrama continha duas verdades; 1) o governo militar não foi imune à corrupção, como pensam os midiotizados e; 2) as denúncias, mesmo com todo a censura, só foram para as páginas dos Jornais e noticiário das Televisões e Rádios, na medida em que o governo anterior, do General Geisel, lançou o II PND, que contrariava os interesses da burguesia nacional, fortalecendo algumas Estatais como as de Telecomunicações; Elétricas; Indústria Naval e Petróleo; o que deixa claro os interesses das Elites econômicas nacionais e internacionais.
A repetição da receita no golpe contra Dilma e na prisão de Lula são repetições do mesmo receituário, visto os grandes avanços na descoberta do Pré-sal; na Indústria Naval; no desenvolvimento de uma tecnologia nacional de beneficiamento de Urânio para fins de fabricar Submarino Nuclear; vender a Embraer e a Eletrobrás; combater a possibilidade do Brasil chegar a ser a quinta economia do mundo e adotar a moeda do Banco BRIC'S como reguladora dos preços de Commodities, substituindo o Dólar.
Nesse momento, cabe um corte, para perguntar: onde estão os Generais que recebem mensagens de fora e as reproduzem em Tuitadas para pressionar o STF a negar um HC a Lula, que não saíram em defesa do Almirante Othon quando este foi preso a mando de Moro?
O Jornal Folha de São Paulo também mergulhou no fundo do poço da ditadura militar e atualiza notícia de 34 anos passados, com mais um escândalo de corrupção, desta vez na Inglaterra, revelando que o governo inglês detectou, à época, um superfaturamento na compra de equipamentos para a Marinha do Brasil e tentou ressarcir o governo brasileiro pela maracutaia e não foi levado a sério, num prejuízo, à época, há mais de 30 anos, de US$ 15 milhões.
No momento, o depoimento do Consultor da Odebrecht, Rodrigo Tacla Duran, na Câmara dos Deputados, por vídeo conferência, desnuda o Juiz de Curitiba, que desfila sua vaidade e arrogância no Principado de Mônaco, surfando num tapete felpudo caríssimo, às custas de todos nós e, principalmente, dos Suicidas, Imbecis e Midiotizados, que já disseram: "somos todos Moro" e dos que pedem Intervenção Militar.
O fato concreto é que essa gente fez o País chegar ao fundo do Poço, com a economia completamente destruída e à beira de uma crise de desabastecimento.
O detalhe que falta é as burguesias se arrependerem e darem um basta e enquadrarem o Juiz que já ultrapassou todos os limites Éticos, Morais e Patrióticos para servir aos interesses americanos.
O primeiro alerta vem do pensador católico Leonardo Boff, que já disse: "A hora de Sergio Moro vai chegar".
Ao depor Terça Feira, Tacla Duran foi incisivo; todos precisam conhecer o lado obscuro de Sergio Moro. Todos perguntam o que Moro teme ser descoberto? Foram forjadas provas contra Lula e outros e, Duran está certo ao denunciar corrupção nas entranhas da Lava Jato?
O ponto de partida poderá ser a descoberta da verdade que Zucolotto pediu US$ 5 milhões a Duran para lhe dar proteção.
* Rômulo Rodrigues é militante político

* Rômulo Rodrigues


Os abalos sísmicos causados pelos intensos choques entre placas tectônicas que já foram sustentáculos do equilíbrio da Nação revelaram a desmantelada inconsistência do apodrecido Golpe de Estado reinante.
Descomplicando; após a armação do Locaute dos Caminhoneiros e da Greve dos Petroleiros, com bastante apoio popular, o IBOPE foi a campo e captou; dois terços do Brasil querem eleições Diretas-Já, ao mesmo tempo em que percentual igual quer Intervenção Militar, fatos que demonstram  quão numerosa é a Geração "T", que ouve o galo cantar, sem saber onde e, chega a um dos maiores absurdos históricos, sem ao menos refletir, para descobrir que só pode um, ou outro.
Num contexto tão absurdo, os Jornais O Globo e Folha de São Paulo trouxeram um pouco de luz em toda a extensão do túnel.
O Globo noticiou sobre um telegrama da Embaixada dos EUA, no Brasil, passado em 1984, pelo menos 30 anos antes da Lava Jato, conforme escreveu Joaquim Carvalho, no DCM, segunda, dia quatro.
"O que está claro é que a corrupção, real ou imaginária, está erodindo a confiança dos brasileiros em seu governo".
O telegrama foi enviado pela Embaixada americana para o Departamento de Estado, em Washington e, se refere ao governo dos militares, o que mostra que o assunto corrupção vem de muito tempo, deixando a desconfiança que as mais recentes notícias sobre a ditadura, vindas de lá, são recados do Império para seus comandados, tipo: deixem de alvoroço que agora temos o Judiciário, com Supremo, com tudo, para fazer o serviço sujo.
A fotografia que serve de ilustração é uma de Figueiredo ladeado por Delfin Neto, Paulo Maluf e José Maria Marin.
Num texto publicado pelo Repórter Leandro Loyola, no mesmo Jornal, diz. "O assunto dominava o noticiário à época e, segundo informantes americanos, visavam enfraquecer o governo Figueiredo e indicava o apodrecimento e fim da ditadura que estava no poder, há 20 anos.
Segundo Loyola, de O Globo, o telegrama continha duas verdades; 1) o governo militar não foi imune à corrupção, como pensam os midiotizados e; 2) as denúncias, mesmo com todo a censura, só foram para as páginas dos Jornais e noticiário das Televisões e Rádios, na medida em que o governo anterior, do General Geisel, lançou o II PND, que contrariava os interesses da burguesia nacional, fortalecendo algumas Estatais como as de Telecomunicações; Elétricas; Indústria Naval e Petróleo; o que deixa claro os interesses das Elites econômicas nacionais e internacionais.
A repetição da receita no golpe contra Dilma e na prisão de Lula são repetições do mesmo receituário, visto os grandes avanços na descoberta do Pré-sal; na Indústria Naval; no desenvolvimento de uma tecnologia nacional de beneficiamento de Urânio para fins de fabricar Submarino Nuclear; vender a Embraer e a Eletrobrás; combater a possibilidade do Brasil chegar a ser a quinta economia do mundo e adotar a moeda do Banco BRIC'S como reguladora dos preços de Commodities, substituindo o Dólar.
Nesse momento, cabe um corte, para perguntar: onde estão os Generais que recebem mensagens de fora e as reproduzem em Tuitadas para pressionar o STF a negar um HC a Lula, que não saíram em defesa do Almirante Othon quando este foi preso a mando de Moro?
O Jornal Folha de São Paulo também mergulhou no fundo do poço da ditadura militar e atualiza notícia de 34 anos passados, com mais um escândalo de corrupção, desta vez na Inglaterra, revelando que o governo inglês detectou, à época, um superfaturamento na compra de equipamentos para a Marinha do Brasil e tentou ressarcir o governo brasileiro pela maracutaia e não foi levado a sério, num prejuízo, à época, há mais de 30 anos, de US$ 15 milhões.
No momento, o depoimento do Consultor da Odebrecht, Rodrigo Tacla Duran, na Câmara dos Deputados, por vídeo conferência, desnuda o Juiz de Curitiba, que desfila sua vaidade e arrogância no Principado de Mônaco, surfando num tapete felpudo caríssimo, às custas de todos nós e, principalmente, dos Suicidas, Imbecis e Midiotizados, que já disseram: "somos todos Moro" e dos que pedem Intervenção Militar.
O fato concreto é que essa gente fez o País chegar ao fundo do Poço, com a economia completamente destruída e à beira de uma crise de desabastecimento.
O detalhe que falta é as burguesias se arrependerem e darem um basta e enquadrarem o Juiz que já ultrapassou todos os limites Éticos, Morais e Patrióticos para servir aos interesses americanos.
O primeiro alerta vem do pensador católico Leonardo Boff, que já disse: "A hora de Sergio Moro vai chegar".
Ao depor Terça Feira, Tacla Duran foi incisivo; todos precisam conhecer o lado obscuro de Sergio Moro. Todos perguntam o que Moro teme ser descoberto? Foram forjadas provas contra Lula e outros e, Duran está certo ao denunciar corrupção nas entranhas da Lava Jato?
O ponto de partida poderá ser a descoberta da verdade que Zucolotto pediu US$ 5 milhões a Duran para lhe dar proteção.
* Rômulo Rodrigues é militante político