Orsse realizará Grande Concerto Junino com participação de convidados

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Publicada em 09/06/2018 às 06:25:00

 

No próximo dia 13 de junho, quarta-feira, às 20h30, a Orquestra Sinfônica de Sergipe (Orsse) retorna ao palco do Teatro Tobias Barreto para uma apresentação especial em homenagem ao ciclo junino. Sob a regência do Maestro Guilherme Mannis, o conjunto executará seu já tradicional concerto de repertório regional, desta vez com a participação do grupo Crav&Roza, composto pela cantora Bárbara Sandes, pelo violonista Henrique Teles e o acordeonista Lucas Campelo. Os ingressos, a preços populares, estão disponíveis nas bilheterias do Teatro Tobias Barreto. A Orsse é uma realização da Secretaria de Estado da Cultura.
Mesclando peças tradicionais do ciclo junino da região Nordeste do Brasil a obras consagradas do cancioneiro sergipano, o concerto tem como objetivo a apresentação ao público de grandes orquestrações. 
"Todas as adaptações foram concebidas para valorizar as especificidades da nossa orquestra, que tem feito concertos memoráveis na abordagem da música regional", destacou o maestro Guilherme Mannis, enaltecendo a participação especial do grupo Crav&Roza. "Trata-se de uma bonita parceria, com músicos extremamente sensíveis e generosos. O concerto tocará todos que estiverem por ali, sobretudo aqueles que têm a música regional em seus corações e que vibram com o São João e seu legado cultural."
Crav&Roza -  O trio Crav&Roza foi criado em 2015 e se reúne com o objetivo de, simplesmente, cantar o forró. A escolha do trio, formado por Bárbara Sandes (voz), Lucas Campelo (sanfona) e Henrique Teles (violão), é a de pôr no balcão o sortimento de ideias, letras e melodias, com clássicos do cancioneiro do forró, de tantos e maravilhosos compositores. De Luiz Gonzaga, Dominguinhos, Elba Ramalho, Trio Nordestino, a João Silva, Acioly Neto, Petrúcio Amorim etc. 
Depois da estreia e de várias apresentações cheias de encantamento e alegria, o repertório cresceu, novos momentos dentro do show foram criados e a essência sergipana, nordestina, brasileira está cada vez mais evidente. 

No próximo dia 13 de junho, quarta-feira, às 20h30, a Orquestra Sinfônica de Sergipe (Orsse) retorna ao palco do Teatro Tobias Barreto para uma apresentação especial em homenagem ao ciclo junino. Sob a regência do Maestro Guilherme Mannis, o conjunto executará seu já tradicional concerto de repertório regional, desta vez com a participação do grupo Crav&Roza, composto pela cantora Bárbara Sandes, pelo violonista Henrique Teles e o acordeonista Lucas Campelo. Os ingressos, a preços populares, estão disponíveis nas bilheterias do Teatro Tobias Barreto. A Orsse é uma realização da Secretaria de Estado da Cultura.
Mesclando peças tradicionais do ciclo junino da região Nordeste do Brasil a obras consagradas do cancioneiro sergipano, o concerto tem como objetivo a apresentação ao público de grandes orquestrações. 
"Todas as adaptações foram concebidas para valorizar as especificidades da nossa orquestra, que tem feito concertos memoráveis na abordagem da música regional", destacou o maestro Guilherme Mannis, enaltecendo a participação especial do grupo Crav&Roza. "Trata-se de uma bonita parceria, com músicos extremamente sensíveis e generosos. O concerto tocará todos que estiverem por ali, sobretudo aqueles que têm a música regional em seus corações e que vibram com o São João e seu legado cultural."
Crav&Roza -  O trio Crav&Roza foi criado em 2015 e se reúne com o objetivo de, simplesmente, cantar o forró. A escolha do trio, formado por Bárbara Sandes (voz), Lucas Campelo (sanfona) e Henrique Teles (violão), é a de pôr no balcão o sortimento de ideias, letras e melodias, com clássicos do cancioneiro do forró, de tantos e maravilhosos compositores. De Luiz Gonzaga, Dominguinhos, Elba Ramalho, Trio Nordestino, a João Silva, Acioly Neto, Petrúcio Amorim etc. 
Depois da estreia e de várias apresentações cheias de encantamento e alegria, o repertório cresceu, novos momentos dentro do show foram criados e a essência sergipana, nordestina, brasileira está cada vez mais evidente.