Suspeito de morte de policial na Barra dos Coqueiros é preso

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Publicada em 20/06/2018 às 08:02:00

 

Policiais civis do Centro Integrado de Segurança Púiblica (Cisp) da Barra dos Coqueiros (Grande Aracaju) prenderam na manhã de ontem um suspeito de envolvimento no assassinato do policial civil Paulo Sérgio Souza de Jesus, ocorrido em junho de 2017. O suspeito, cujo nome não foi divulgado, era o último suspeito do crime que estava foragido. Segundo a Secretaria da Segurança Pública, o acusado resolveu se entregar nesta terça-feira, após conversar com seu advogado, e prestou depoimento sobre o delito. Em seguida, ele foi conduzido à 4ª Delegacia Metropolitana, onde aguarda as providências judiciais cabíveis.
O suspeito era apontado como um dos quatro rapazes que estavam no local do crime e, segundo a delegada Danielle Garcia, fugiu sem prestar declarações logo após efetuar o delito. Na ocasião, o policial civil foi encontrado morto dentro de casa, com várias marcas de facadas, e seu veículo encontrado em Nossa Senhora do Socorro, com manchas de sangue em um dos bancos. No mês seguinte ao crime, três jovens foram presos , sendo um deles com objetos roubados da casa da vítima, e o quarto, conhecido como 'William Zika', que era conhecido de Paulo Sérgio e foi apontado como principal executor do crime, morreu em um tiroteio com policiais civis em Pedrinhas (Centro-Sul).

Policiais civis do Centro Integrado de Segurança Púiblica (Cisp) da Barra dos Coqueiros (Grande Aracaju) prenderam na manhã de ontem um suspeito de envolvimento no assassinato do policial civil Paulo Sérgio Souza de Jesus, ocorrido em junho de 2017. O suspeito, cujo nome não foi divulgado, era o último suspeito do crime que estava foragido. Segundo a Secretaria da Segurança Pública, o acusado resolveu se entregar nesta terça-feira, após conversar com seu advogado, e prestou depoimento sobre o delito. Em seguida, ele foi conduzido à 4ª Delegacia Metropolitana, onde aguarda as providências judiciais cabíveis.
O suspeito era apontado como um dos quatro rapazes que estavam no local do crime e, segundo a delegada Danielle Garcia, fugiu sem prestar declarações logo após efetuar o delito. Na ocasião, o policial civil foi encontrado morto dentro de casa, com várias marcas de facadas, e seu veículo encontrado em Nossa Senhora do Socorro, com manchas de sangue em um dos bancos. No mês seguinte ao crime, três jovens foram presos , sendo um deles com objetos roubados da casa da vítima, e o quarto, conhecido como 'William Zika', que era conhecido de Paulo Sérgio e foi apontado como principal executor do crime, morreu em um tiroteio com policiais civis em Pedrinhas (Centro-Sul).