Aplicativo apresentado no TCE vai facilitar controle social na área da Educação

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Publicada em 20/06/2018 às 08:48:00

 

O presidente do Tribunal de Contas do Estado (TCE/SE), conselheiro Ulices Andrade, esteve reunido ontem com conselheiros, membros do Ministério Público Estadual (MPE/SE) e Ministério Público de Contas (MPC) para uma apresentação do aplicativo "Educação UP", fruto de convênio entre TCE, MPE e Universidade Federal de Sergipe (UFS). O software, mais conhecido como "Duca", que é o nome da corujinha mascote que o representa, pretende ser uma importante ferramentas de controle social no âmbito da Educação.
Na ocasião, os presentes conheceram o projeto apresentado pelo professor Methanias Colaço, do Núcleo de Pesquisa e Prática em Inteligência Competitiva do Departamento de Sistemas de Informação da UFS. Ele demonstrou os meios que a população terá para denunciar, elogiar ou apontar problemas nas escolas públicas, fazendo do app uma plataforma colaborativa. Também foi ressaltado que o aplicativo vai detectar a localização do usuário, só permitindo avaliações de pessoas que estiverem no local da escola ou em lugares próximos.
"Estamos num momento em que a população clama por alternativas como estas; a sociedade quer fazer parte das decisões, do controle e pede por mais transparência. É uma ferramenta que visa melhorias na educação pública, que é fonte de grandes críticas no Estado. Nós da Universidade nos reunimos desde o ano passado para criá-la e atender aos anseios da população, do TCE e do MP", explicou o professor.
Alguns critérios de avaliação foram estudados previamente e estarão em prática no app. Alimentação escolar, infraestrutura, transporte escolar e transparência são alguns dos critérios colocados, a depender do perfil definido pelo usuário, que pode ser um aluno, professor, gestor, ou parte da população da região.
O presidente do TCE disse ver a novidade como um importante aliado no estímulo ao controle social, por estreitar a relação com os cidadãos sergipanos e contribuir com o controle externo. Os conselheiros Carlos Alberto, Carlos Pinna, Clóvis Barbosa, Luiz Augusto e Susana Azevedo, bem como o conselheiro substituto Alexandre Lessa, também acompanharam a explanação. 
Para o procurado geral do MP de Contas, João Augusto Bandeira de Mello, esta é uma ferramenta necessária e de grande utilidade para a população, gestores e órgãos de controle: "É algo muito importante por possibilitar controle social, melhorar as políticas públicas e também auxiliar o Tribunal de Contas e o Ministério Público a intervirem quando os problemas não forem resolvidos". 

O presidente do Tribunal de Contas do Estado (TCE/SE), conselheiro Ulices Andrade, esteve reunido ontem com conselheiros, membros do Ministério Público Estadual (MPE/SE) e Ministério Público de Contas (MPC) para uma apresentação do aplicativo "Educação UP", fruto de convênio entre TCE, MPE e Universidade Federal de Sergipe (UFS). O software, mais conhecido como "Duca", que é o nome da corujinha mascote que o representa, pretende ser uma importante ferramentas de controle social no âmbito da Educação.
Na ocasião, os presentes conheceram o projeto apresentado pelo professor Methanias Colaço, do Núcleo de Pesquisa e Prática em Inteligência Competitiva do Departamento de Sistemas de Informação da UFS. Ele demonstrou os meios que a população terá para denunciar, elogiar ou apontar problemas nas escolas públicas, fazendo do app uma plataforma colaborativa. Também foi ressaltado que o aplicativo vai detectar a localização do usuário, só permitindo avaliações de pessoas que estiverem no local da escola ou em lugares próximos.
"Estamos num momento em que a população clama por alternativas como estas; a sociedade quer fazer parte das decisões, do controle e pede por mais transparência. É uma ferramenta que visa melhorias na educação pública, que é fonte de grandes críticas no Estado. Nós da Universidade nos reunimos desde o ano passado para criá-la e atender aos anseios da população, do TCE e do MP", explicou o professor.
Alguns critérios de avaliação foram estudados previamente e estarão em prática no app. Alimentação escolar, infraestrutura, transporte escolar e transparência são alguns dos critérios colocados, a depender do perfil definido pelo usuário, que pode ser um aluno, professor, gestor, ou parte da população da região.
O presidente do TCE disse ver a novidade como um importante aliado no estímulo ao controle social, por estreitar a relação com os cidadãos sergipanos e contribuir com o controle externo. Os conselheiros Carlos Alberto, Carlos Pinna, Clóvis Barbosa, Luiz Augusto e Susana Azevedo, bem como o conselheiro substituto Alexandre Lessa, também acompanharam a explanação. 
Para o procurado geral do MP de Contas, João Augusto Bandeira de Mello, esta é uma ferramenta necessária e de grande utilidade para a população, gestores e órgãos de controle: "É algo muito importante por possibilitar controle social, melhorar as políticas públicas e também auxiliar o Tribunal de Contas e o Ministério Público a intervirem quando os problemas não forem resolvidos".