Setor hoteleiro tem reservas baixas para o período junino em Sergipe

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Publicada em 21/06/2018 às 07:17:00

 

Mesmo considerado período de alta estação e impulsionado pelas festas juninas, o setor hoteleiro de Sergipe não tem muito o que comemorar neste mês de junho. As taxas de ocupação estão muito abaixo da expectativa, frustrando boa parte dos empresários que investiram em atrativos e promoções para o período. 
Segundo levantamento parcial (19/06) da Associação Brasileira da Indústria Hoteleira (ABIH-SE), cerca de 50% dos leitos estão ocupados em junho. Já para as noites de São João, 23 e 24, a taxa é um pouco maior: 75%. Nas noites de São Pedro, 29 e 30, por enquanto a ocupação está em 50%. 
Segundo o presidente da ABIH-SE, Antônio Carlos Franco, esses números devem aumentar, "uma vez que o destino Sergipe costuma vender em cima da hora". De acordo com ele, três fatores motivaram essa baixa ocupação dos hotéis sergipanos. 
"Estamos em período de Copa do Mundo, quando as pessoas optam mais por não viajar. Segundo, o país ainda enfrenta uma instabilidade econômica, forçando as pessoas a não gastar com viagens. E o terceiro fator é a falta de divulgação da programação junina em Sergipe fora do Estado, algo que, infelizmente, não aconteceu como deveria. Sem marketing não tem como atrair o turista para curtir os festejos", lamenta. 

Mesmo considerado período de alta estação e impulsionado pelas festas juninas, o setor hoteleiro de Sergipe não tem muito o que comemorar neste mês de junho. As taxas de ocupação estão muito abaixo da expectativa, frustrando boa parte dos empresários que investiram em atrativos e promoções para o período. 
Segundo levantamento parcial (19/06) da Associação Brasileira da Indústria Hoteleira (ABIH-SE), cerca de 50% dos leitos estão ocupados em junho. Já para as noites de São João, 23 e 24, a taxa é um pouco maior: 75%. Nas noites de São Pedro, 29 e 30, por enquanto a ocupação está em 50%. 
Segundo o presidente da ABIH-SE, Antônio Carlos Franco, esses números devem aumentar, "uma vez que o destino Sergipe costuma vender em cima da hora". De acordo com ele, três fatores motivaram essa baixa ocupação dos hotéis sergipanos. 
"Estamos em período de Copa do Mundo, quando as pessoas optam mais por não viajar. Segundo, o país ainda enfrenta uma instabilidade econômica, forçando as pessoas a não gastar com viagens. E o terceiro fator é a falta de divulgação da programação junina em Sergipe fora do Estado, algo que, infelizmente, não aconteceu como deveria. Sem marketing não tem como atrair o turista para curtir os festejos", lamenta.