Trinta vítimas de queimaduras no São João e crianças são as maiores vítimas

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Publicada em 26/06/2018 às 07:26:00

 

O ditado é bem claro 
e diz: quem brinca 
com fogo acaba se queimando. Algumas pessoas ignoraram essa máxima e sofreram na pele. De 22 a 24 de junho foram registradas no Pronto Socorro do Hospital de Urgência de Sergipe (Huse) 30 vítimas de queimaduras por conta dos festejos juninos. A preocupação maior é com as queimaduras envolvendo crianças, uma vez que este ano supera o número do ano passado, quando foram registradas 21 casos.
A referência técnica da cirurgia plástica do Huse, Moema Santana, faz um alerta aos pais quanto aos cuidados com as crianças. "Não é só os festejos juninos, estamos em um ano de copa do mundo e as pessoas comemoram com fogos. É um número que já supera os do ano passado. Uma criança inclusive sofreu amputação de dedos depois de uma bomba explodir na mão durante as comemorações do jogo da seleção. Muitas crianças acidentadas com fogos, inclusive duas estão internadas na Unidade de Tratamento de Queimados (UTQ), uma por fogos e outra que caiu na fogueira, por isso, a atenção e os cuidados devem ser levados a sério", disse.
No final de semana foram 30 pacientes vítimas de queimaduras, sendo cinco na sexta-feira, 18 na véspera e sete na noite de São joão. Desse total, 3 pessoas precisaram ficar internadas. Foram 8 amputações. Uma criança vítima de chuvinha, outra que caiu na fogueira e um adulto que soltou uma bomba dentro da fogueira e esta estourou, atingindo-o no rosto e tórax. Receberam alta médica uma criança que foi atingida por um buscapé, um adolescente que teve amputação de dedos por fogos e um adulto que queimou-se na face, também com fogos.
A médica explica os principais cuidados que devem ser tomados com uma pessoa vítima de queimaduras. "Deve-se colocar a área atingida em água corrente por até uns 10 minutos e envolver em um pano seco e limpo e procurar atendimento em um hospital. Não deve colocar nada para não aprofundar a queimadura. Ainda temos o São Pedro e vamos ter mais atenção, como por exemplo, não soltar fogos depois de ingerir bebida alcoólica, usar equipamentos de segurança para manusear os fogos, utilizar óculos de proteção para evitar estilhaços, nunca jogar álcool na fogueira ou gasolina para evitar a explosão da mesma e a pessoa ser atingida. Além disso, muita atenção com as crianças", ressaltou Moema Santana.
Além disso, uma equipe multidisciplinar formada por cirurgiões plásticos, enfermeiros e técnicos de enfermagem estiveram de plantão 24h para atender a demanda de queimados que chegaram ao hospital. A estrutura da UTQ também contribuiu para a assistência desses pacientes. São 14 leitos, sendo quatro pediátricos, dois semi-intensivos e oito para adultos, alguns leitos reservados na enfermaria da Ala D, além de um centro cirúrgico para a realização de curativos e pequenos procedimentos.

O ditado é bem claro  e diz: quem brinca  com fogo acaba se queimando. Algumas pessoas ignoraram essa máxima e sofreram na pele. De 22 a 24 de junho foram registradas no Pronto Socorro do Hospital de Urgência de Sergipe (Huse) 30 vítimas de queimaduras por conta dos festejos juninos. A preocupação maior é com as queimaduras envolvendo crianças, uma vez que este ano supera o número do ano passado, quando foram registradas 21 casos.
A referência técnica da cirurgia plástica do Huse, Moema Santana, faz um alerta aos pais quanto aos cuidados com as crianças. "Não é só os festejos juninos, estamos em um ano de copa do mundo e as pessoas comemoram com fogos. É um número que já supera os do ano passado. Uma criança inclusive sofreu amputação de dedos depois de uma bomba explodir na mão durante as comemorações do jogo da seleção. Muitas crianças acidentadas com fogos, inclusive duas estão internadas na Unidade de Tratamento de Queimados (UTQ), uma por fogos e outra que caiu na fogueira, por isso, a atenção e os cuidados devem ser levados a sério", disse.
No final de semana foram 30 pacientes vítimas de queimaduras, sendo cinco na sexta-feira, 18 na véspera e sete na noite de São joão. Desse total, 3 pessoas precisaram ficar internadas. Foram 8 amputações. Uma criança vítima de chuvinha, outra que caiu na fogueira e um adulto que soltou uma bomba dentro da fogueira e esta estourou, atingindo-o no rosto e tórax. Receberam alta médica uma criança que foi atingida por um buscapé, um adolescente que teve amputação de dedos por fogos e um adulto que queimou-se na face, também com fogos.
A médica explica os principais cuidados que devem ser tomados com uma pessoa vítima de queimaduras. "Deve-se colocar a área atingida em água corrente por até uns 10 minutos e envolver em um pano seco e limpo e procurar atendimento em um hospital. Não deve colocar nada para não aprofundar a queimadura. Ainda temos o São Pedro e vamos ter mais atenção, como por exemplo, não soltar fogos depois de ingerir bebida alcoólica, usar equipamentos de segurança para manusear os fogos, utilizar óculos de proteção para evitar estilhaços, nunca jogar álcool na fogueira ou gasolina para evitar a explosão da mesma e a pessoa ser atingida. Além disso, muita atenção com as crianças", ressaltou Moema Santana.
Além disso, uma equipe multidisciplinar formada por cirurgiões plásticos, enfermeiros e técnicos de enfermagem estiveram de plantão 24h para atender a demanda de queimados que chegaram ao hospital. A estrutura da UTQ também contribuiu para a assistência desses pacientes. São 14 leitos, sendo quatro pediátricos, dois semi-intensivos e oito para adultos, alguns leitos reservados na enfermaria da Ala D, além de um centro cirúrgico para a realização de curativos e pequenos procedimentos.