Camarote da Acessibilidade torna o Forró Caju mais inclusivo

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto
O camarote permite a acessibilidade das pessoas com deficiência
O camarote permite a acessibilidade das pessoas com deficiência

Clique nas imagens para ampliar

Publicada em 26/06/2018 às 07:27:00

 

Em definição livre, a palavra acessível significa um local, algo ou alguém a que se pode ter acesso, fácil de atingir. Para as pessoas com deficiência, a acessibilidade dialoga diretamente com a oportunidade de alcançar direitos. Localizado no coração do Forró Caju, o camarote da acessibilidade é uma poderosa ferramenta de inclusão, para que todas as pessoas tenham acesso ao bem cultural aracajuano que é a tradicional festa junina da praça de eventos Hilton Lopes.
 Nos teatros, cinemas, auditórios, estádios, ginásios de esportes e locais de espetáculos, como é o caso do Forró Caju, de acordo com a Lei Brasileira de Inclusão (13146/15), é necessária a promoção da acessibilidade da estrutura em prol de pessoas com deficiência ou mobilidade reduzida. Neste ano, o camarote da acessibilidade tem 80 vagas e conta com rampa de acesso, piso emborrachado na entrada, banheiros químicos adaptados e guarda-corpo mais baixo e também recebeu uma decoração especial, mesa de comidas típicas juninas e acolhimento de pessoas da secretaria da Assistência.  
Para a secretária da Assistência Social de Aracaju, Rosane Cunha, o Forró Caju é uma oportunidade para que a inclusão social aconteça. "A Prefeitura de Aracaju tem todo um trabalho de política pública direcionado para as pessoas com deficiência durante o ano. Através do Centro DIA, atendemos diversas pessoas e realizamos atividades de fortalecimento de vínculos comunitários e o Forró Caju faz parte dessa proposta, porque celebra justamente a cultura popular sergipana, que é tão rica e importante para cada um de nós". 
 De acordo com Murillo Oliveira, coordenador de políticas públicas de defesa dos direitos das pessoas com deficiência da Secretaria da Assistência, o camarote da acessibilidade promove a igualdade. "Nós precisamos promover igualdade para quem vive em condições desiguais. Se as pessoas com deficiência ficarem no mesmo lugar que as outras, não conseguirão aproveitar da melhor forma os shows, porque precisam de mais espaço para movimentação. Então, em um local mais elevado essas pessoas podem assistir às apresentações e compartilhar com suas famílias esse momento tão importante para a nossa cidade". 
Para Junior Alves, participante da companhia de dança Loucurarte, o camarote da acessibilidade é um sucesso. "Esse camarote arrasou! Eu já dancei muito, cantei e me diverti demais. Estou aqui com meus amigos, ouvindo um forrózinho e celebrando essa época maravilhosa".
 
Acesso - A entrada para o camarote da acessibilidade é aberta a todas as pessoas com deficiência. Para acessá-lo, é necessária a apresentação de algum documento de comprovação da deficiência. Também é permitida a entrada de um acompanhante por pessoa. 
O camarote da acessibilidade é uma realização da Prefeitura de Aracaju com o apoio da Secretaria da Assistência Social e do Conselho Municipal dos Direitos da Pessoa com Deficiência.

Em definição livre, a palavra acessível significa um local, algo ou alguém a que se pode ter acesso, fácil de atingir. Para as pessoas com deficiência, a acessibilidade dialoga diretamente com a oportunidade de alcançar direitos. Localizado no coração do Forró Caju, o camarote da acessibilidade é uma poderosa ferramenta de inclusão, para que todas as pessoas tenham acesso ao bem cultural aracajuano que é a tradicional festa junina da praça de eventos Hilton Lopes.
 Nos teatros, cinemas, auditórios, estádios, ginásios de esportes e locais de espetáculos, como é o caso do Forró Caju, de acordo com a Lei Brasileira de Inclusão (13146/15), é necessária a promoção da acessibilidade da estrutura em prol de pessoas com deficiência ou mobilidade reduzida. Neste ano, o camarote da acessibilidade tem 80 vagas e conta com rampa de acesso, piso emborrachado na entrada, banheiros químicos adaptados e guarda-corpo mais baixo e também recebeu uma decoração especial, mesa de comidas típicas juninas e acolhimento de pessoas da secretaria da Assistência.  
Para a secretária da Assistência Social de Aracaju, Rosane Cunha, o Forró Caju é uma oportunidade para que a inclusão social aconteça. "A Prefeitura de Aracaju tem todo um trabalho de política pública direcionado para as pessoas com deficiência durante o ano. Através do Centro DIA, atendemos diversas pessoas e realizamos atividades de fortalecimento de vínculos comunitários e o Forró Caju faz parte dessa proposta, porque celebra justamente a cultura popular sergipana, que é tão rica e importante para cada um de nós". 
 De acordo com Murillo Oliveira, coordenador de políticas públicas de defesa dos direitos das pessoas com deficiência da Secretaria da Assistência, o camarote da acessibilidade promove a igualdade. "Nós precisamos promover igualdade para quem vive em condições desiguais. Se as pessoas com deficiência ficarem no mesmo lugar que as outras, não conseguirão aproveitar da melhor forma os shows, porque precisam de mais espaço para movimentação. Então, em um local mais elevado essas pessoas podem assistir às apresentações e compartilhar com suas famílias esse momento tão importante para a nossa cidade". 
Para Junior Alves, participante da companhia de dança Loucurarte, o camarote da acessibilidade é um sucesso. "Esse camarote arrasou! Eu já dancei muito, cantei e me diverti demais. Estou aqui com meus amigos, ouvindo um forrózinho e celebrando essa época maravilhosa". Acesso - A entrada para o camarote da acessibilidade é aberta a todas as pessoas com deficiência. Para acessá-lo, é necessária a apresentação de algum documento de comprovação da deficiência. Também é permitida a entrada de um acompanhante por pessoa. 
O camarote da acessibilidade é uma realização da Prefeitura de Aracaju com o apoio da Secretaria da Assistência Social e do Conselho Municipal dos Direitos da Pessoa com Deficiência.