Fifa libera US$ 100 milhões como legado da Copa

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Publicada em 27/06/2018 às 06:42:00

 

Um velho projeto da Fifa, hibernado depois dos atos de corrupção na CBF vai sair do papel. Os presidentes de federações estaduais que estão em Moscou, deixarão a Copa do Mundo com uma certeza: suas entidades ficarão mais ricas. A informação de que novos recursos serão distribuídos, foi prestada numa reunião nesta terça-feira na Rússia, na qual também estava o presidente da CBF, coronel Antônio Nunes e o presidente da Federação Sergipana de Futebol, Milton Dantas.
A cúpula da entidade brasileira revelou aos dirigentes estaduais que a Fifa atendeu a um pedido da CBF e vai liberar quase US$ 100 milhões (cerca de R$ 378 milhões) que havia prometido ao futebol brasileiro como parte do legado da Copa de 2014.
O dinheiro vai para programas de desenvolvimento e para a administração de federações de estados que não receberam jogos da Copa, há quatro anos. Esta havia sido a forma pela qual a CBF compensou locais que perderam a disputa para ser sede do Mundial.
O acordo foi fechado há duas semanas depois que Marco Polo Del Nero foi definitivamente afastado da entidade brasileira. A promessa dos recursos foi feita em 2014. Mas os pagamentos foram suspensos diante das prisões de cartolas sul-americanos em 2015. Por estar indiciado, Del Nero era o principal obstáculo para que o dinheiro fosse transmitido e todos os pagamentos foram congelados.
Pelo cronograma estabelecido pela CBF, os presidentes de federações assistem nesta quarta-feira ao jogo entre Brasil e Sérvia, no Spartak Stadium, e na quinta embarcam de volta ao Brasil.

Um velho projeto da Fifa, hibernado depois dos atos de corrupção na CBF vai sair do papel. Os presidentes de federações estaduais que estão em Moscou, deixarão a Copa do Mundo com uma certeza: suas entidades ficarão mais ricas. A informação de que novos recursos serão distribuídos, foi prestada numa reunião nesta terça-feira na Rússia, na qual também estava o presidente da CBF, coronel Antônio Nunes e o presidente da Federação Sergipana de Futebol, Milton Dantas.
A cúpula da entidade brasileira revelou aos dirigentes estaduais que a Fifa atendeu a um pedido da CBF e vai liberar quase US$ 100 milhões (cerca de R$ 378 milhões) que havia prometido ao futebol brasileiro como parte do legado da Copa de 2014.
O dinheiro vai para programas de desenvolvimento e para a administração de federações de estados que não receberam jogos da Copa, há quatro anos. Esta havia sido a forma pela qual a CBF compensou locais que perderam a disputa para ser sede do Mundial.
O acordo foi fechado há duas semanas depois que Marco Polo Del Nero foi definitivamente afastado da entidade brasileira. A promessa dos recursos foi feita em 2014. Mas os pagamentos foram suspensos diante das prisões de cartolas sul-americanos em 2015. Por estar indiciado, Del Nero era o principal obstáculo para que o dinheiro fosse transmitido e todos os pagamentos foram congelados.
Pelo cronograma estabelecido pela CBF, os presidentes de federações assistem nesta quarta-feira ao jogo entre Brasil e Sérvia, no Spartak Stadium, e na quinta embarcam de volta ao Brasil.