Derrubando o mito do "No Pain, No Gain": sentir dor não é garantia de resultados na musculação

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Clique nas imagens para ampliar

Publicada em 27/06/2018 às 06:48:00

 

Em muitas academias, é comum presenciarmos pessoas fazendo cara feia durante a prática da musculação. Alguns, até gravando vídeos que evidenciam seu sofrimento para postar nas redes sociais, como se fosse um trofeu, um orgulho, e que sentir dor fosse sinônimo de estar construindo fibra muscular. Não é bem assim.
Em um recente estudo realizado pelo ACSM (American College of Sports Medicine) nos Estados Unidos mostra que o mito de que sem dor, sem ganho, o famoso "No Pain, No Gain" não é de todo real. O estudo realizado com 13 voluntários mostrou que a quantidade de carga não é o fator principal para hipertrofia (ganho de massa muscular), e sim realizar o movimento com a amplitude máxima e até a falha. Ou seja: não adianta carregar o peso do mundo, forçar demais o corpo e sentir dor. Provável que isso faça seu ego crescer, mas não necessariamente seus músculos.

Em muitas academias, é comum presenciarmos pessoas fazendo cara feia durante a prática da musculação. Alguns, até gravando vídeos que evidenciam seu sofrimento para postar nas redes sociais, como se fosse um trofeu, um orgulho, e que sentir dor fosse sinônimo de estar construindo fibra muscular. Não é bem assim.
Em um recente estudo realizado pelo ACSM (American College of Sports Medicine) nos Estados Unidos mostra que o mito de que sem dor, sem ganho, o famoso "No Pain, No Gain" não é de todo real. O estudo realizado com 13 voluntários mostrou que a quantidade de carga não é o fator principal para hipertrofia (ganho de massa muscular), e sim realizar o movimento com a amplitude máxima e até a falha. Ou seja: não adianta carregar o peso do mundo, forçar demais o corpo e sentir dor. Provável que isso faça seu ego crescer, mas não necessariamente seus músculos.