Dupla que sequestrou vítima em Aracaju é presa em Maceió

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto
Os dois foram presos pelo Cope em Maceió
Os dois foram presos pelo Cope em Maceió

Clique nas imagens para ampliar

Publicada em 28/06/2018 às 07:46:00

 

Equipes do Centro de Operações Policiais Especiais (COPE), da Polícia Civil de Sergipe, prenderam o taxista Madson Gomes Wanderley Jatobá, 35 anos, e Felizardo dos Santos Saraiva, 44 anos, que eram investigados por um crime de extorsão mediante sequestro, consumado em setembro de 2017. Os dois foram detidos nesta segunda-feira em Maceió (AL), onde moravam. A ação contou com o apoio do com o apoio do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco), do Ministério Público alagoano, e dos núcleos de inteligência das polícias dos dois estados.
Na oportunidade do crime, Felizardo manteve contato com a vítima por meio de um anúncio de venda de uma valiosa residência em Aracaju, passando-se por interessado na compra. Após o contato, na manhã do dia do crime, o indivíduo, na companhia de uma jovem que simulava ser sua companheira, foi recebido pela vítima a fim de conhecer a residência. 
Quando o casal acessou o interior da casa, Felizardo sacou uma arma anunciando o assalto, viabilizando a entrada de Madson, o terceiro suspeito a participar da trama criminosa. Insatisfeitos com o resultado negativo das buscas por dinheiro e objetos de valor na residência, a jovem manteve reféns a esposa e um filho do casal, enquanto seu marido foi levado pelos outros dois indivíduos até uma loja de veículos, onde venderam a caminhonete das vítimas.
O valor foi transferido para uma conta bancária da vítima que foi levada até à agência respectiva e, sob coação e ameaças, vendo sua esposa e filho reféns, sacou a quantia de R$ 65 mil e entregou a Madson, que o acompanhava. Após o saque do valor na agência bancária, os suspeitos retornaram para a residência onde sedaram, amarram e trancaram as vítimas em um cômodo para que não pedissem socorro e empreenderam fuga.
As investigações apontaram inicialmente para Madson, taxista em Maceió, e que já respondeu por homicídio. A partir das imagens do seu histórico criminal em Alagoas, foi realizado exame de Identificação Facial Forense pelo IML/SE, comprovando se tratar do indivíduo que acompanhou a vítima até a agência bancária para efetivação do saque.
Na sequência, Felizardo foi identificado, condenado por assalto à mão armada no Distrito Federal, assalto a residência em Goiás, perpetrado de forma semelhante ao caso em Aracaju, e por tráfico de drogas em Pernambuco, onde respondeu ao processo com nome falso de Sandro dos Santos e atualmente cumpre pena em regime aberto com esta identificação falsa gerada a partir da compra de uma CNH ideologicamente falsa.

Equipes do Centro de Operações Policiais Especiais (COPE), da Polícia Civil de Sergipe, prenderam o taxista Madson Gomes Wanderley Jatobá, 35 anos, e Felizardo dos Santos Saraiva, 44 anos, que eram investigados por um crime de extorsão mediante sequestro, consumado em setembro de 2017. Os dois foram detidos nesta segunda-feira em Maceió (AL), onde moravam. A ação contou com o apoio do com o apoio do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco), do Ministério Público alagoano, e dos núcleos de inteligência das polícias dos dois estados.
Na oportunidade do crime, Felizardo manteve contato com a vítima por meio de um anúncio de venda de uma valiosa residência em Aracaju, passando-se por interessado na compra. Após o contato, na manhã do dia do crime, o indivíduo, na companhia de uma jovem que simulava ser sua companheira, foi recebido pela vítima a fim de conhecer a residência. 
Quando o casal acessou o interior da casa, Felizardo sacou uma arma anunciando o assalto, viabilizando a entrada de Madson, o terceiro suspeito a participar da trama criminosa. Insatisfeitos com o resultado negativo das buscas por dinheiro e objetos de valor na residência, a jovem manteve reféns a esposa e um filho do casal, enquanto seu marido foi levado pelos outros dois indivíduos até uma loja de veículos, onde venderam a caminhonete das vítimas.
O valor foi transferido para uma conta bancária da vítima que foi levada até à agência respectiva e, sob coação e ameaças, vendo sua esposa e filho reféns, sacou a quantia de R$ 65 mil e entregou a Madson, que o acompanhava. Após o saque do valor na agência bancária, os suspeitos retornaram para a residência onde sedaram, amarram e trancaram as vítimas em um cômodo para que não pedissem socorro e empreenderam fuga.
As investigações apontaram inicialmente para Madson, taxista em Maceió, e que já respondeu por homicídio. A partir das imagens do seu histórico criminal em Alagoas, foi realizado exame de Identificação Facial Forense pelo IML/SE, comprovando se tratar do indivíduo que acompanhou a vítima até a agência bancária para efetivação do saque.
Na sequência, Felizardo foi identificado, condenado por assalto à mão armada no Distrito Federal, assalto a residência em Goiás, perpetrado de forma semelhante ao caso em Aracaju, e por tráfico de drogas em Pernambuco, onde respondeu ao processo com nome falso de Sandro dos Santos e atualmente cumpre pena em regime aberto com esta identificação falsa gerada a partir da compra de uma CNH ideologicamente falsa.