Uma Assembleia apática

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto
Antes do início da reunião das comissões temáticas da Assembleia Legislativa, ontem pela manhã, o presidente da Assembleia, Luciano Bispo (MDB), se reuniu com o secretário Rosman Pereira (Planejamento, Orçamento e Gestão), e representantes da PM e Bombeir
Antes do início da reunião das comissões temáticas da Assembleia Legislativa, ontem pela manhã, o presidente da Assembleia, Luciano Bispo (MDB), se reuniu com o secretário Rosman Pereira (Planejamento, Orçamento e Gestão), e representantes da PM e Bombeir

Clique nas imagens para ampliar

Publicada em 04/07/2018 às 07:13:00

 

Com a votação ontem na Assembleia 
Legislativa da Lei de Diretrizes Or-
çamentária (LDO) e vários projetos de lei do Poder Executivo começa hoje o recesso parlamentar do meio do ano, com os deputados estaduais só retornando as atividades parlamentar em plenário no início de agosto.
O recesso parlamentar inicia nesta quarta-feira após um primeiro semestre inexpressivo, com poucos debates em plenário e apresentação de projetos irrelevantes nestes primeiros seis meses do ano.
Nesse período não se viu embates entre oposição e situação, como os que ocorreram na época em que Marcelo Déda, Reinaldo Moura e Venâncio Fonseca lideravam a oposição na Casa.
A apatia dos deputados, que vem por toda legislatura, pode ter sido em decorrência do escândalo das verbas de subvenção da Assembleia em 2014, quando 22 parlamentares da legislatura passada foram condenados, em dezembro de 2015, pelo Tribunal Regional Eleitoral (TRE), a cassação do mandato, inelegibilidade por oito anos e pagamento de multas por irregularidades no repasse das verbas de subvenção para entidades filantrópicas.
Esse quadro favoreceu tanto o governo Jackson Barreto quanto o de Belivaldo Chagas, iniciado em sete de abril deste ano. Nem JB teve oposição cerrada na Assembleia nem BC está tendo.
Vale ressaltar que o marasmo é tanto que a oposição continua sem líder na Casa. Desde quando Georgeo Passos (Rede) entregou a liderança, no começo deste ano, a oposição está sem líder. E nenhum deputado parece interessado na função.
Às vezes o deputado Antônio dos Santos (PSC) e o próprio Georgeo usam a tribuna para fazer críticas ao governo, mas sem eco. Não teve grandes confrontos entre a oposição e o líder do governo na Assembleia, deputado Francisco Gualberto (PT).
Com isso, Belivaldo, a exemplo de Jackson Barreto, está governando sem oposição e aprovando todos os projetos sem grandes polêmicas.
Ontem mesmo, vários projetos do Poder Executivo foram aprovados pelos deputados mesmo com apenas dois dias para discussão e aprovação, que foram na segunda e na terça-feira.
A volta do recesso parlamentar, em agosto, será ainda pior. É que começará a campanha eleitoral, com todos envolvidos com a reeleição ou o novo desafio de disputar a Câmara dos Deputados, a exemplo de Antônio dos Santos e Gustinho Ribeiro.
Trocando em miúdos, ao final de 2018 será encerrada uma legislatura com atuação sofrível dos deputados estaduais...

Com a votação ontem na Assembleia  Legislativa da Lei de Diretrizes Or- çamentária (LDO) e vários projetos de lei do Poder Executivo começa hoje o recesso parlamentar do meio do ano, com os deputados estaduais só retornando as atividades parlamentar em plenário no início de agosto.
O recesso parlamentar inicia nesta quarta-feira após um primeiro semestre inexpressivo, com poucos debates em plenário e apresentação de projetos irrelevantes nestes primeiros seis meses do ano.
Nesse período não se viu embates entre oposição e situação, como os que ocorreram na época em que Marcelo Déda, Reinaldo Moura e Venâncio Fonseca lideravam a oposição na Casa.
A apatia dos deputados, que vem por toda legislatura, pode ter sido em decorrência do escândalo das verbas de subvenção da Assembleia em 2014, quando 22 parlamentares da legislatura passada foram condenados, em dezembro de 2015, pelo Tribunal Regional Eleitoral (TRE), a cassação do mandato, inelegibilidade por oito anos e pagamento de multas por irregularidades no repasse das verbas de subvenção para entidades filantrópicas.
Esse quadro favoreceu tanto o governo Jackson Barreto quanto o de Belivaldo Chagas, iniciado em sete de abril deste ano. Nem JB teve oposição cerrada na Assembleia nem BC está tendo.
Vale ressaltar que o marasmo é tanto que a oposição continua sem líder na Casa. Desde quando Georgeo Passos (Rede) entregou a liderança, no começo deste ano, a oposição está sem líder. E nenhum deputado parece interessado na função.
Às vezes o deputado Antônio dos Santos (PSC) e o próprio Georgeo usam a tribuna para fazer críticas ao governo, mas sem eco. Não teve grandes confrontos entre a oposição e o líder do governo na Assembleia, deputado Francisco Gualberto (PT).
Com isso, Belivaldo, a exemplo de Jackson Barreto, está governando sem oposição e aprovando todos os projetos sem grandes polêmicas.
Ontem mesmo, vários projetos do Poder Executivo foram aprovados pelos deputados mesmo com apenas dois dias para discussão e aprovação, que foram na segunda e na terça-feira.
A volta do recesso parlamentar, em agosto, será ainda pior. É que começará a campanha eleitoral, com todos envolvidos com a reeleição ou o novo desafio de disputar a Câmara dos Deputados, a exemplo de Antônio dos Santos e Gustinho Ribeiro.
Trocando em miúdos, ao final de 2018 será encerrada uma legislatura com atuação sofrível dos deputados estaduais...

 

Na Alese 1

Após discussão nas comissões temáticas e em plenário, os deputados aprovaram ontem em terceira discussão e redação final a Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) para o exercício de 2019, que estabelece quais serão as metas e prioridades para o ano seguinte, fixando o montante de recursos que o Governo do Estado pretende economizar, traçar regras, vedações e limites para as despesas dos poderes.

 

Na Alese 2

Também aprovaram vários outros projetos do Poder Executivo que beneficia diversas categorias de servidores como polícia militar e bombeiros reformados e da ativa, magistério público, servidores públicos civis, guarda prisional e servidores do Detran a partir de 1º de maio de 2019.

 

Na Alese 3

O trabalho dos deputados nas comissões temáticas iniciou às 9h30 e  terminou próximo às 15h. Já no plenário da Assembleia a discussão e votação se estendeu até por volta das 18h, após aprovação em plenário em terceira discussão e redação final de todos os projetos colocados em pauta. Com isso, os deputados entram em recesso parlamentar partir de hoje e só retornam no dia 1º de agosto.

 

Sobre o PDT 1

Do deputado federal Fábio Mitidieri (PSD) ao ser questionado sobre a possibilidade do PDT deixar a base governista e ir para a oposição: "O trabalho está sendo feito para consolidação do nosso agrupamento, para ficar mais unido. Mas a decisão é de Fábio Henrique e da deputada Silvia Fontes. Eles vão decidir o caminho a seguir".

 

Sobre o PDT 2

Prosseguiu: "Espero que o PDT permaneça conosco, não tem motivo nem justificativa para que isso não ocorra. Queremos manter a aliança, pois somos amigos de muito tempo e Fábio e Silvia são importantes para o agrupamento, mas a decisão é deles".

 

Com Ciro

Segundo Mitidieri, que disputa a reeleição, ele votará no pré-candidato a presidente da República Ciro Gomes (PDT) caso o ex-presidente Lula não possa ser candidato ao Planalto nas eleições deste ano.

 

Critica a oposição

Fábio lamentou que a oposição queira formar a sua chapa em cima de nomes que integram o agrupamento governista. Se referiu ao interesse da oposição pelo PRB, que já foi para o grupo do senador Eduardo Amorim (PSDB) e do deputado federal André Moura (PSC) pela vaga de senador, e pelo PDT, oferecendo a vaga de vice.

 

Sobre o vice

O deputado disse ainda à coluna que a questão do vice de Belivaldo Chagas não o preocupa e que o nome só deve ser definido no "apagar das luzes", ou seja, nas convenções. "Quem ganha a eleição é o candidato a governador. O vice é bom para compor, para tornar a chapa harmônica. Precisa ter as mesmas ideias. É preciso um nome com esse perfil", afirmou, enfatizando ser bons nomes o de Eliane Aquino (PT) e Luciano Bispo (MDB).

 

Em Brasília

Fábio Henrique viaja hoje a Brasília para uma reunião com o presidente nacional do PDT, Carlos Luppi. Na pauta, discussão do partido em Sergipe, onde ele é pré-candidato a deputado federal e existe uma grande possibilidade do PSB compor com o PDT a nível nacional, apoiando a pré-candidatura de Ciro Gomes.    Fábio continua afirmando a predisposição do seu partido em se manter na base governista.

 

Presidenciável em Sergipe 1

Estará em Aracaju nessa quinta-feira o pré-candidato a presidente da República, João Amoêdo (Partido Novo). Às 11h30 concederá entrevista coletiva à imprensa, no Hotel Radisson. Em seguida proferirá palestra sobre as dificuldades de empreender no Brasil, organizada pela Associação Comercial e Empresarial de Sergipe (Acese) e o Partido Novo.

 

Presidenciável em Sergipe 2

Amoêdo propõe reformas política, tributária e previdenciária e a implementação de uma agenda liberal para o país. Em 2011, indignado com a alta carga tributária e os péssimos serviços recebidos do Estado, fundou o Novo: um partido criado sem políticos, que faz processo seletivo para seus candidatos e o único que se mantém apenas com doações voluntárias de seus apoiadores, sem usar dinheiro público.

 

Presidenciáveis no estado

João Amoêdo é o sétimo pré-candidato a presidente da República a vir a Sergipe este ano. Já passaram pelo Estado: Lula (PT), Guilherme Boulos (Psol), Álvaro Dias (Podemos), Jair Bolsonaro (PSL), Geraldo Alckmin (PSDB) e Fernando Collor (PTC).

 

Em Sergipe 1

O embaixador de Israel no Brasil, Yossi Shelley, cumpre agenda em Sergipe nesta quarta-feira. Ele vem ao estado a convite do presidente do Grupo de Amizade Brasil-Israel, deputado federal Jony Marcos (PRB), para apresentar um protocolo de intenções de relacionamentos entre Israel e Sergipe, e receberá o Título de Cidadão Sergipano. 

 

Em Sergipe 2

Pela programação, às 8h, o embaixador vai proferir uma palestra para autoridades evangélicas, na sede da Igreja Presbiteriana Renovada (DIA). Às 10h participará de encontro com autoridades públicas, no auditório da UFS, com a presença do reitor Angelo Antoniolli. Já às 12h30 Yossi almoça no Quartel do Exército e às 15h participa de encontro com autoridades da Igreja Católica de Aracaju e o governador Belivaldo Chagas. Às 18h ele recebe o título de cidadania sergipana, na Assembleia Legislativa. 

 

Veja essa ...

O pré-candidato ao Planalto, deputado federal Jair Bolsonaro (PSL-RJ), teve que se esconder no banheiro na tarde de ontem para escapar de uma passageira que passou a cercá-lo e a chamá-lo de "lixo" na sala de embarque do aeroporto de Congonhas, em São Paulo. 

 

Curtas

Para o presidente da Assembleia, Luciano Bispo, o primeiro semestre foi bastante positivo para o Poder Legislativo. "Tivemos uma interface com todos os poderes, entidades, corporações e até as forças armadas. Esta Assembleia foi a mais transparente possível com seus projetos, atendendo tanto ao governo quanto à sociedade", avalia.

 

Enquanto discursava ontem em plenário a deputada estadual Ana Lúcia (PT) demonstrou satisfação com a aprovação do projeto de lei complementar que altera a tabela remuneratória da Carreira dos Profissionais do Magistério Público Estadual, com ganho real de 6% a 15%. E disse que em 2019, com um novo governo, a luta continuava.

 

Foi suficiente para os deputados de oposição Georgeo Passos (Rede), Gustinho Ribeiro (SD) e Antônio dos Santos (PSC) demonstrarem satisfação achando que a deputada se referia a um governo de Eduardo Amorim. Percebendo isso, Ana Lúcia disse que se referiu a um novo governo porque o eleito seria escolhido democraticamente pelo povo sergipano.

 

O diretor-presidente do ITPS, Kaká Andrade, foi eleito para o cargo de vice-presidente pela região Nordeste da Associação Brasileira das Instituições de Pesquisa Tecnológica e Inovação (ABIPTI). A posse ocorreu no último dia 28 de junho, em São Luís (MA), durante o Congresso ABIPTI 2018.