Denarc faz nova apreensão de drogas sintéticas na Atalaia

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto
Os novos tipos de droga sintética foram apreendidas em residências de Aracaju
Os novos tipos de droga sintética foram apreendidas em residências de Aracaju

Clique nas imagens para ampliar

Publicada em 05/07/2018 às 07:27:00

 

Gabriel Damásio
Mais uma apreensão de drogas sintéticas foi realizada na noite desta terça-feira pelo Departamento de Narcóticos (Denarc), da Polícia Civil. Policiais da unidade apuraram uma denúncia anônima e foram a um terreno baldio na Atalaia (zona sul de Aracaju). Ali, os agentes apreenderam mais de 1.200 comprimidos de ecstasy, 16 gramas da substância MDMA (metilenodioximetanfetamina, conhecida informalmente como 'Michael Douglas'), 60 ampolas de lança perfume e duas balanças digitais que eram utilizadas para pesar as drogas.
A apreensão do material foi confirmada ontem pelo Denarc, que relacionou as drogas aos acusados detidos nas duas fases da 'Operação Jardim do Éden', deflagrada em maio e que já resultou na prisão de 12 acusados de receber e revender drogas sintéticas em eventos de música eletrônica na capital. Segundo o delegado Osvaldo Resende, diretor do Denarc, as informações preliminares apontam que os entorpecentes estavam escondidos dentro de um matagal no terreno e pertenciam a traficantes presos durante a operação. 
Dentre os comprimidos de ecstasy, foram identificados os comercializados com os nomes 'minions' (alusão a um desenho animado), 'chanel' (nome de uma estilista francesa),  'duracell' (marca de pilhas de longa duração), 'moncler' (marca de jaquetas britânica) e 'happy feet' ('pés felizes', em tradução literal). As substâncias, segundo a polícia, são consideradas caras e muito procuradas por jovens de classe média alta que buscam dançar e ficar acordados por longas horas em festas de música eletrônica, mas que podem causar problemas graves de saúde e até a morte. De acordo com Osvaldo, alguns envolvidos com a quadrilha ainda não foram presos e estão buscando esconder as drogas em locais diferentes de sua residência.
A polícia garante que as investigações prosseguem no sentido de localizar e prender outros integrantes dos grupos criminosos identificados. A procedência das drogas achadas ontem também será investigada. 

Mais uma apreensão de drogas sintéticas foi realizada na noite desta terça-feira pelo Departamento de Narcóticos (Denarc), da Polícia Civil. Policiais da unidade apuraram uma denúncia anônima e foram a um terreno baldio na Atalaia (zona sul de Aracaju). Ali, os agentes apreenderam mais de 1.200 comprimidos de ecstasy, 16 gramas da substância MDMA (metilenodioximetanfetamina, conhecida informalmente como 'Michael Douglas'), 60 ampolas de lança perfume e duas balanças digitais que eram utilizadas para pesar as drogas.
A apreensão do material foi confirmada ontem pelo Denarc, que relacionou as drogas aos acusados detidos nas duas fases da 'Operação Jardim do Éden', deflagrada em maio e que já resultou na prisão de 12 acusados de receber e revender drogas sintéticas em eventos de música eletrônica na capital. Segundo o delegado Osvaldo Resende, diretor do Denarc, as informações preliminares apontam que os entorpecentes estavam escondidos dentro de um matagal no terreno e pertenciam a traficantes presos durante a operação. 
Dentre os comprimidos de ecstasy, foram identificados os comercializados com os nomes 'minions' (alusão a um desenho animado), 'chanel' (nome de uma estilista francesa),  'duracell' (marca de pilhas de longa duração), 'moncler' (marca de jaquetas britânica) e 'happy feet' ('pés felizes', em tradução literal). As substâncias, segundo a polícia, são consideradas caras e muito procuradas por jovens de classe média alta que buscam dançar e ficar acordados por longas horas em festas de música eletrônica, mas que podem causar problemas graves de saúde e até a morte. De acordo com Osvaldo, alguns envolvidos com a quadrilha ainda não foram presos e estão buscando esconder as drogas em locais diferentes de sua residência.
A polícia garante que as investigações prosseguem no sentido de localizar e prender outros integrantes dos grupos criminosos identificados. A procedência das drogas achadas ontem também será investigada.