Torcedor chora com a eliminação da Seleção Brasileira

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Clique nas imagens para ampliar

Publicada em 07/07/2018 às 07:48:00

 

Milton Alves
Queda da seleção 
brasileira de fute
bol na copa do mundo da Rússia entristece torcida e frusta planos de empresários donos de bares e restaurantes. A derrota na tarde de ontem por 2X1 para a seleção belga antecipa baixo movimento em estabelecimentos comerciais de Sergipe e gera incertezas para o setor comercial. Acreditando em um pós período junino de economia aquecida em virtude do até então bom rendimento da seleção brasileira, os polos comerciais começam a se reorganizar para o período de normalidade funcional. Apostando na presença da seleção comandada pelo técnico Tite na final do mundial, restaurantes instalados na Orla de Atalaia já se preparavam para o domingo, 15.
Sem esconder a paixão pelo futebol, Ricardo Nogueira, gerente de um bar na zona Sul de Aracaju, reconhece que houve certa precipitação por parte de muitos estabelecimentos e fornecedores. Crente na vitória contra a Bélgica, a expectativa era que pelo menos o Brasil pudesse protagonizar um duelo contra a França; encontro esperado por muitos após a derrota na final em 1998. "Começamos a acreditar no sucesso da nossa seleção, mas infelizmente tomamos mais esse baque e após o jogo era nítido a tristeza quase que geral. Se o Brasil estivesse vencido a festa não teria hora para acabar, e, evidentemente, o lucro seria maior", disse.
O reflexo da derrota esteve presente no semblante do estudante universitário Lucas Donizete. Se mostrando apaixonado por futebol é crente na evolução de Wilian e Gabriel Jesus, ele garante que a respectiva família já havia começado a arrecadar fundos para promover uma festa no melhor estilo carnaval brasileiro. Perguntado sobre a sensação após o apito final - além da evidente tristeza, ele reconhece que a dedicação da seleção canarinha durante o segundo tempo mostra a força do povo brasileiro pela paixão nacional. Com a derrota o jeito é desfazer os planos e tentar voltar à rotina normal.
"Acreditei mesmo nesses dois atletas. Acho até que eu era quase que um estranho no meio da multidão. Tinha convicção que hoje (ontem) seria o dia deles, mas não foi. Com a saída da Alemanha, Espanha e Argentina, a minha esperança crescia e a minha família já tinha até contratado um grupo de samba para o domingo da semana que vem", declarou o estudante que concluiu dizendo: "É assim; o jeito é reconhecer as falhas da nossa seleção e acreditar que em um futuro próximo conseguiremos conquistar o tão desejado hexa campeonato. Esporte é assim, apesar da tristeza temos que entender".
Contraponto - Seguindo no sentido contrário de muitos grupos país à fora, no bairro Atalaia houve família que buscou tentar esquecer a derrota com música e churrasco. O repórter acompanhou o encontro e percebeu que a máxima: 'o importante é participar', voltou a fazer sentido. Para o médico Douglas Gonçalves, o Brasil evidentemente passa por um período de reestabelecimento produtivo e é preciso entender a evolução. Ele garantiu ainda que segue na torcida para que o técnico Tite aceite permanecer comandando a seleção penta campeã mundial.

Queda da seleção  brasileira de fute bol na copa do mundo da Rússia entristece torcida e frusta planos de empresários donos de bares e restaurantes. A derrota na tarde de ontem por 2X1 para a seleção belga antecipa baixo movimento em estabelecimentos comerciais de Sergipe e gera incertezas para o setor comercial. Acreditando em um pós período junino de economia aquecida em virtude do até então bom rendimento da seleção brasileira, os polos comerciais começam a se reorganizar para o período de normalidade funcional. Apostando na presença da seleção comandada pelo técnico Tite na final do mundial, restaurantes instalados na Orla de Atalaia já se preparavam para o domingo, 15.
Sem esconder a paixão pelo futebol, Ricardo Nogueira, gerente de um bar na zona Sul de Aracaju, reconhece que houve certa precipitação por parte de muitos estabelecimentos e fornecedores. Crente na vitória contra a Bélgica, a expectativa era que pelo menos o Brasil pudesse protagonizar um duelo contra a França; encontro esperado por muitos após a derrota na final em 1998. "Começamos a acreditar no sucesso da nossa seleção, mas infelizmente tomamos mais esse baque e após o jogo era nítido a tristeza quase que geral. Se o Brasil estivesse vencido a festa não teria hora para acabar, e, evidentemente, o lucro seria maior", disse.
O reflexo da derrota esteve presente no semblante do estudante universitário Lucas Donizete. Se mostrando apaixonado por futebol é crente na evolução de Wilian e Gabriel Jesus, ele garante que a respectiva família já havia começado a arrecadar fundos para promover uma festa no melhor estilo carnaval brasileiro. Perguntado sobre a sensação após o apito final - além da evidente tristeza, ele reconhece que a dedicação da seleção canarinha durante o segundo tempo mostra a força do povo brasileiro pela paixão nacional. Com a derrota o jeito é desfazer os planos e tentar voltar à rotina normal.
"Acreditei mesmo nesses dois atletas. Acho até que eu era quase que um estranho no meio da multidão. Tinha convicção que hoje (ontem) seria o dia deles, mas não foi. Com a saída da Alemanha, Espanha e Argentina, a minha esperança crescia e a minha família já tinha até contratado um grupo de samba para o domingo da semana que vem", declarou o estudante que concluiu dizendo: "É assim; o jeito é reconhecer as falhas da nossa seleção e acreditar que em um futuro próximo conseguiremos conquistar o tão desejado hexa campeonato. Esporte é assim, apesar da tristeza temos que entender".

Contraponto - Seguindo no sentido contrário de muitos grupos país à fora, no bairro Atalaia houve família que buscou tentar esquecer a derrota com música e churrasco. O repórter acompanhou o encontro e percebeu que a máxima: 'o importante é participar', voltou a fazer sentido. Para o médico Douglas Gonçalves, o Brasil evidentemente passa por um período de reestabelecimento produtivo e é preciso entender a evolução. Ele garantiu ainda que segue na torcida para que o técnico Tite aceite permanecer comandando a seleção penta campeã mundial.