Projetos de empréstimo serão discutidos

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Publicada em 12/10/2012 às 03:04:00

Chico Freire
chicofreire@jornaldodiase.com.br

O líder da oposição na Assembleia Legislativa, deputado Venâncio Fonseca (PP), confirmou para a próxima terça-feira, 16, a discussão nas Comissões temáticas dos projetos do governo do Estado que tratam da contratação de empréstimos junto ao governo federal. Na última quarta-feira, a bancada de oposição na Casa derrubou o requerimento para tramitação em regime de urgência apresentado pelo líder do governo, deputado Francisco Gualberto (PT).

"O Poder Legislativo é isso mesmo. É uma casa de debates, de discussões, e muitas vezes a temperatura aumenta um pouco e depois volta a normalidade", disse Venâncio, confirmando ter sido procurado pelo líder do governo. Segundo ele, que agora lidera uma maioria no parlamento, na próxima segunda-feira serão convocadas as comissões para que na terça-feira comece a tramitação e o debate sobre o projeto do empréstimo.

"O governo hoje não pode impor só o seu querer e a sua vontade", declarou Venâncio Fonseca, observando que na maioria das vezes é necessário buscar um entendimento politico para resolver os impasses. "O que não adianta é partir para a agressividade, para a desqualificação, porque isso não vai trazer nenhum beneficio. Pelo contrario, prejudica e dificulta as coisas", avisou.

Sobre a influência do empresário Edvan Amorim em relação às decisões da bancada de oposição, Venâncio apenas disse que se trata de uma "realidade do momento". "Porque antes o governo tinha a maioria esmagadora, enquanto hoje existe uma equivalência de força, um equilíbrio", garante o opositor do governo. "Não estamos levando nenhum recado de Edvan Amorim", afirma.

O líder da oposição garantiu ainda que em nenhum momento o seu grupo disse que iria votar contra o projeto de empréstimo do governo. "O que se quer é o direito de discutir o projeto, a sua capacidade de endividamento, a capacidade de pagamento, a situação financeira do estado, quais são as prioridades, até porque, dentro do projeto existem algumas especificações e algumas vinculações a determinadas obras, mas existe dentro do projeto cerca de R$ 400 milhões que estão soltos, sem saber ainda qual a vinculação do empréstimo e qual o tipo de projeto, e é isso que nós queremos saber".