PSS da Saúde possibilitará ampliar escalas de médicos e enfermeiros

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Clique nas imagens para ampliar

Publicada em 14/07/2018 às 01:28:00

Há noventa dias como diretor técnico do Hospital de Urgência de Sergipe (Huse), o médico Wagner Andrade, ressalta que muitas ações foram realizadas, atendendo à solicitação do Secretário de Estado da Saúde, Valberto Lima,  e que alguns ajustes em outros setores estão sendo feitos, principalmente no caso de escalas médicas que serão ampliadas com a contratação dos profissionais através do Processo Seletivo Simplificado (PSS) e atenderá com mais qualidade os usuários do Sistema Único de Saúde (SUS).

"Estamos aguardando o resultado do PSS da Fundação Hospitalar de Saúde, que já foi deflagrado para compor algumas escalas que estão com deficiência. No caso da oncologia, a parte da radioterapia e quimioterapia já estão normalizadas, o fluxo de pacientes é grande. A parte de oncologia pública está funcionando dentro do Huse. Com a autorização da contratação desses profissionais, nós devemos estar nos próximos trinta dias com a chamada dos classificados e vamos conseguir recompor as falhas pontualmente tanto na parte médica quanto de enfermagem que era um número que estava abaixo do que a gente precisava", informa o médico.

Ele explica, ainda, sobre as plaquetas e hemoderivados, destacando que no Huse só é realizada a solicitação e o Hemose é quem faz a distribuição. "Nós temos em média 600 pacientes internados por dia no Huse. Se a gente precisa de sangue é feito um pedido, o Hemose recebe e encaminha esse pedido diariamente. Pode acontecer um atraso de poucas horas ou dois dias no máximo, se não houver estoque suficiente daquele tipo de hemoderivado. Às vezes você tem um sangue muito raro e que não é reposto naquele momento, mas nunca tivemos desassistência por parte do Hemose", esclarece o diretor técnico do Huse.