Convenções partidárias

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Publicada em 20/07/2018 às 09:47:00

 

Começa hoje o prazo - vai até cin
co de agosto - para que os par
tidos políticos realizem as convenções que vão definir candidatos e coligações para as eleições de sete de outubro. Até agora apenas o PSB já marcou a sua convenção estadual para o dia três de agosto, quando deverá confirmar as candidaturas de Valadares Filho ao governo e Valadares pai ao Senado.
O Estado de Sergipe deverá ter, ao menos, nove candidatos a governador. Além de Valadares Filho, Eduardo Amorim (PSDB), Belivaldo Chagas (PSD), Mendonça Prado (DEM), Dr Emerson (Rede), Milton Andrade (PMN) João Tarantela (PSL), Márcio Souza (PSOL) e Gilvani Alves (PSTU). Apesar de aparecer nas últimas pesquisas que estão sendo realizadas no Estado, a candidatura do Professor Dudu da CUT não deverá prosperar, já que o seu partido, o PT, fará aliança com Belivaldo, apresentando a candidatura de Rogério Carvalho ao Senado.
Para o Senado, também não deverá haver disputa interna nos partidos. Além de Valadares pai e Rogério Carvalho, devem disputar o ex-governador Jackson Barreto (MDB), Pastor Heleno (PRB), André Moura (PSC), delegado Alessandro Vieira (Rede), Sônia Meire (PSOL), Henri Clay Andrade (PPL), Reinaldo Nunes (PV) e petroleiro Clarckson Araújo (PSTU). A vereadora Emília Correa teve a candidatura rifada pela direção do Patriotas e Joel Almeida é do PT, cujo candidato será Rogério.
A definição das chapas e coligações para a Câmara Federal será tranquila em todos os partidos, mas a formação de coligações para a Assembleia Legislativa vão gerar polêmica, principalmente no âmbito do bloco que apoia Belivaldo Chagas.
O deputado Zezinho Guimarães (MDB), por exemplo, mantém a sua posição de não aceitar a formação de "chapinhas" para a Alese. "Nem eu, nem os deputados Garibaldi Mendonça e Luciano Bispo, assim como o PSD, vamos aceitar chapinhas. Tem que ser chapão. Ninguém se arvore em querer fazer chapinha. Somos unânimes em não aceitar isso em hipótese alguma, caso contrário haverá prejuízo para a chapa majoritária", avisa.
Ressalta Zezinho: "Não vou botar meu pescoço na guilhotina para salvar ninguém. Chega.  Belivaldo tem de se impor, ele é o líder. O governador tem de capitanear isso. Passamos quatro anos defendendo o governo, com ônus e bônus. Quando chega o período eleitoral a pessoa quer usufruir do governo só com bônus e ainda quer usufruir na eleição. Não aceitaremos isso. Tem que ser chapão. Ganha quem tiver voto".
O governador Belivaldo Chagas tem dito que não aceita discutir a questão do chapão agora, mas somente nas convenções partidárias. O prazo está  São contrários ao chapão o PT, PCdoB e Podemos.
O presidente do PSD, deputado Fábio Mitidieri também vai defender até o fim a formação de chapão tanto para deputado estadual quanto para deputado federal. "O PSD não tem como obrigar um partido aliado a fazer chapinha ou chapão, porque cada um tem sua autonomia.  Entendo que quem estiver na majoritária não pode estar em chapinha, mas em chapão".
O PT, apesar de ter Rogério na chapa majoritária - pode ainda ter Eliane Aquino, caso ela aceite o convite de Belivaldo para disputar a vaga de vice-governador - é um dos mais enfáticos na defesa da chapinha para estadual. Pelas contas do dirigente Sílvio Santos, que é candidato, o partido faria ao menos três deputados estaduais numa coligação com o PCdoB e outros partidos. No chapão, segundo ele, elegeria no máximo um - hoje o PT tem os deputados Francisco Gualberto, que disputará a reeleição, e Ana Lúcia, que não disputará e apoiará o vereador Iran Barbosa. 
O presidente estadual do PCdoB, vereador Professor Bittencourt, acha que numa chapinha com pequenas legendas, o seu partido teria chances de eleger três deputados - além dele, o vereador Isaac e Breno Silveira, genro do ex-secretário da Saúde, Almeida Lima.
No grupo de Amorim e André Moura deverão ser apresentadas várias chapas a deputado estadual, como já ocorreu nas eleições de 2014. Numa chapinha, um deputado pode se eleger com a metade dos votos de um candidato de uma coligação com grandes partidos.
Se no âmbito da oposição, chapinha ou chapão não representam problema, no ambiente governista, Belivaldo, Jackson e Rogério vão precisar de muito jogo de cintura para controlar a situação.

Começa hoje o prazo - vai até cin co de agosto - para que os par tidos políticos realizem as convenções que vão definir candidatos e coligações para as eleições de sete de outubro. Até agora apenas o PSB já marcou a sua convenção estadual para o dia três de agosto, quando deverá confirmar as candidaturas de Valadares Filho ao governo e Valadares pai ao Senado.
O Estado de Sergipe deverá ter, ao menos, nove candidatos a governador. Além de Valadares Filho, Eduardo Amorim (PSDB), Belivaldo Chagas (PSD), Mendonça Prado (DEM), Dr Emerson (Rede), Milton Andrade (PMN) João Tarantela (PSL), Márcio Souza (PSOL) e Gilvani Alves (PSTU). Apesar de aparecer nas últimas pesquisas que estão sendo realizadas no Estado, a candidatura do Professor Dudu da CUT não deverá prosperar, já que o seu partido, o PT, fará aliança com Belivaldo, apresentando a candidatura de Rogério Carvalho ao Senado.
Para o Senado, também não deverá haver disputa interna nos partidos. Além de Valadares pai e Rogério Carvalho, devem disputar o ex-governador Jackson Barreto (MDB), Pastor Heleno (PRB), André Moura (PSC), delegado Alessandro Vieira (Rede), Sônia Meire (PSOL), Henri Clay Andrade (PPL), Reinaldo Nunes (PV) e petroleiro Clarckson Araújo (PSTU). A vereadora Emília Correa teve a candidatura rifada pela direção do Patriotas e Joel Almeida é do PT, cujo candidato será Rogério.
A definição das chapas e coligações para a Câmara Federal será tranquila em todos os partidos, mas a formação de coligações para a Assembleia Legislativa vão gerar polêmica, principalmente no âmbito do bloco que apoia Belivaldo Chagas.
O deputado Zezinho Guimarães (MDB), por exemplo, mantém a sua posição de não aceitar a formação de "chapinhas" para a Alese. "Nem eu, nem os deputados Garibaldi Mendonça e Luciano Bispo, assim como o PSD, vamos aceitar chapinhas. Tem que ser chapão. Ninguém se arvore em querer fazer chapinha. Somos unânimes em não aceitar isso em hipótese alguma, caso contrário haverá prejuízo para a chapa majoritária", avisa.
Ressalta Zezinho: "Não vou botar meu pescoço na guilhotina para salvar ninguém. Chega.  Belivaldo tem de se impor, ele é o líder. O governador tem de capitanear isso. Passamos quatro anos defendendo o governo, com ônus e bônus. Quando chega o período eleitoral a pessoa quer usufruir do governo só com bônus e ainda quer usufruir na eleição. Não aceitaremos isso. Tem que ser chapão. Ganha quem tiver voto".
O governador Belivaldo Chagas tem dito que não aceita discutir a questão do chapão agora, mas somente nas convenções partidárias. O prazo está  São contrários ao chapão o PT, PCdoB e Podemos.
O presidente do PSD, deputado Fábio Mitidieri também vai defender até o fim a formação de chapão tanto para deputado estadual quanto para deputado federal. "O PSD não tem como obrigar um partido aliado a fazer chapinha ou chapão, porque cada um tem sua autonomia.  Entendo que quem estiver na majoritária não pode estar em chapinha, mas em chapão".
O PT, apesar de ter Rogério na chapa majoritária - pode ainda ter Eliane Aquino, caso ela aceite o convite de Belivaldo para disputar a vaga de vice-governador - é um dos mais enfáticos na defesa da chapinha para estadual. Pelas contas do dirigente Sílvio Santos, que é candidato, o partido faria ao menos três deputados estaduais numa coligação com o PCdoB e outros partidos. No chapão, segundo ele, elegeria no máximo um - hoje o PT tem os deputados Francisco Gualberto, que disputará a reeleição, e Ana Lúcia, que não disputará e apoiará o vereador Iran Barbosa. 
O presidente estadual do PCdoB, vereador Professor Bittencourt, acha que numa chapinha com pequenas legendas, o seu partido teria chances de eleger três deputados - além dele, o vereador Isaac e Breno Silveira, genro do ex-secretário da Saúde, Almeida Lima.
No grupo de Amorim e André Moura deverão ser apresentadas várias chapas a deputado estadual, como já ocorreu nas eleições de 2014. Numa chapinha, um deputado pode se eleger com a metade dos votos de um candidato de uma coligação com grandes partidos.
Se no âmbito da oposição, chapinha ou chapão não representam problema, no ambiente governista, Belivaldo, Jackson e Rogério vão precisar de muito jogo de cintura para controlar a situação.

 

A verdade

Com a hashtag #CompartilheaVerdade, o governador Belivaldo Chagas  publicou a seguinte nota nas redes sociais: "Na minha época era lorota, hoje inventaram esse nome chique, o tal de fake news. Mas a maldade continua a mesma. Esse vídeo de assalto com fuzil, que está rolando aí no zap, aconteceu na Bahia. Aqui em Sergipe estamos conseguindo reduzir os números da violência contratando cada vez mais policiais e investindo no setor de inteligência, prevenção e resolução de crimes. Obrigado SSP Sergipe pelo excelente trabalho. E você nem caia, nem fique espalhando essas fake news aí que aparecem. Desconfie sempre!"

 

Seminário

O Tribunal Regional Eleitoral de Sergipe (TRE-SE), por meio da Escola Judiciária Eleitoral, promove o Seminário de Propaganda Eleitoral e Fake News, nesta sexta-feira, das 8h30 às 17h. O evento ocorrerá no plenário do Tribunal e tem o objetivo de capacitar e atualizar servidores e magistrados sobre as inovações legislativas e doutrinárias em relação aos temas em debate.

 

Palestrantes

O seminário contará com os seguintes palestrantes: Alexandre Basílio, analista judiciário do TRE-RS; Rodrigo Ruf, gerente jurídico do Facebook, responsável pelo contencioso eleitoral; Rebeca Garcia, gerente de políticas públicas do Facebook; Paula Breim, gerente jurídica do Facebook, responsável pelo contencioso criminal; Keyla Maggessy, responsável pelo WhatsApp, incorporado pelo programa de resposta a autoridades (participação por videoconferência).

 

Convenção 

O PSB, que tem como pré-candidato a governador Valadares Filho, é o primeiro partido a marcar sua convenção partidária para as eleições 2018. A legenda agendou para o próximo dia 3 de agosto o Congresso Estadual Ordinário, a ser realizado das 14h às 19h, na Associação dos Engenheiros Agrônomos de Sergipe (AEASE).

 

Pauta

Na pauta do Congresso Estadual, o projeto político do PSB e as eleições 2018; análise da nominata de pré-candidatos filiados ao PSB, com a aprovação de candidaturas para os cargos de governador, vice-governador, senador, suplente de senador, deputados federais e deputados estaduais; fixação de coligações majoritária e proporcionais; e sorteio de números para os candidatos proporcionais.

 

Pesquisas

Do advogado e publicitário Carlos Montalvão, sobre os resultados das últimas pesquisas para governo e Senado: "Em pesquisa Eleitoral divulgada a três meses da eleição o resultado é sempre o mesmo. Identifica-se mais de 40% entre nulos, em branco, indecisos e empate técnico na dianteira. Chega a eleição a desculpa é atribuída aos 40%. E, no final, todos acertam o resultado".

 

Programa

O Democratas está elaborando um plano de governo para ser apresentado pelo candidato Mendonça Prado. "Esperamos contar com as suas sugestões visando o aperfeiçoamento do projeto. Caso você queira contribuir com ideias que possam ser avaliadas e inseridas na proposta, entre em contato conosco através do WhatsApp 079 981135708.Estamos à disposição para reuniões, palestras, entrevistas e debates. O objetivo é estabelecer o diálogo de forma democrática e oportunizar a todos condições de opinar sobre o futuro que queremos para o nosso estado", diz mensagem do candidato.

 

Ana Alves

Por falar em DEM, há a expectativa em torno da possível candidatura da jornalista Ana Alves para a Câmara Federal. Ana é filha do ex-governador João Alves e da senadora Maria do Carmo. 

 

Candidatura

O advogado Alexandre Figueiredo confirma nesta sexta-feira, 20, sua pré-candidatura a deputado federal, durante o 1º Encontro da Grande Aracaju, a ser realizado às 18h no Cotinguiba Esporte Clube. O evento reunirá lideranças políticas e sociais, aliados, amigos, membros de movimentos sindicais e apoiadores do projeto de renovação política e deverá contar com a presença do governador de Sergipe, Belivaldo Chagas, do secretário de Governo, Benedito Figueiredo, pai do pré-candidato pelo MDB, do deputado estadual Garibalde Mendonça e vereador Bigode.

 

Ação judicial

A prefeita de Capela, Silvani Sukita, anunciou ontem a abertura de processo contra o seu ex-marido, ex-prefeito Sukita, por conta de áudio espalhado nas rodas sociais, sobre uma suposta infidelidade de sua ex-esposa. "Ofendeu minha honra de mãe e mulher", reagiu Silvani, que disse que não mais o apoiará na campanha para deputado federal.

 

Patriotas

A vereadora Emília Corrêa venceu a queda de braço com o presidente do Patriotas em Sergipe, João Nascimento, que não queria a sua candidatura ao Senado. João foi destituído pela direção nacional do partido e a vereadora assume o comando. Em tom irônico, o ex-presidente do diretório distribuiu a seguinte nota: "Agradeço à Ver Emília Corrêa por ter exigido minha destituição da presidência do Partido enquanto desejo sucesso na caminhada vindoura. Espero que a Ver Emília Corrêa leve consigo o bônus e ônus de ter alcançado o ápice de um projeto político.  Mesmo recebendo a ingratidão levo comigo a gratidão do aprendizado. Vida que segue!Sigo com cabeça erguida."

 

Hospital

O governo rompeu o contrato com o consórcio que seria responsável pela construção do Hospital do Câncer em Aracaju, em função da lentidão do cumprimento e execução da obra. A Secretaria de Comunicação do governo informou que a administração precisou se cercar de toda a segurança jurídica para não gerar prejuízos futuros para o Estado. Somente 3% da obra iniciada em fevereiro de 2017 havia sido realizada, quando pelo cronograma oficial a construção já deveria ter alcançado 21%.