Segunda noite do Curta-SE 18 exibe produções sergipanas no Cine Vitória

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Publicada em 26/07/2018 às 06:43:00

 

Última terça-feira, 24 de julho, foi dia de conferir as produções da terra na Mostra Competitiva de Curtas Sergipanos da 18ª edição do Festival Iberoamericano de Cinema de Sergipe, Curta-SE 18. Diversa, a exibição dos seis filmes concorrentes contou com produtores locais, universitários e egressos de cursos técnicos.
De Aquidabã, a então estilista Tamires Cruz, de 28 anos, decidiu contar sobre sua vida e carreira no ramo da moda no curta "Cidade Grande" produzido com colegas do Serviço de Aprendizagem Comercial (Senac). Mulher e negra, Tamires conta que sofreu preconceito ao chegar em Aracaju em busca de emprego. 
"Eu saí da minha cidade depois que minha mãe morreu. Sendo negra, vindo de família pobre e com pouco estudo, experimentei na pele a dificuldade de achar uma ocupação aqui na capital", relembrou a estilista. Resumidamente, a produção feita em parceria com os colegas da instituição, contou em 11 minutos a trajetória de estilista, que hoje produz peças variadas, inclusive vestidos de noiva.
O curta em questão foi uma das três produções da competição instruídas pelo diretor e roteirista Fábio Jaciuk. Para ele, os filmes são mais que alta qualidade técnica. "O filme é uma alma", disse o instrutor. "E ser selecionado para competir no Curta-SE foi um resultado muito positivo", completou.
O produtor Kaippe Reis, 23, acompanha o Curta-SE antes mesmo de ingressar no curso superior de Audiovisual da Universidade Federal de Sergipe. "O Curta-SE sempre foi essa janela de exibição, tanto que está aí há quase duas décadas, mostrando, fomentando e fortalecendo o que está sendo produzido aqui no estado", enaltece. Com Thaís Ramos, Kaíppe produziu o documentário "Ocupe a Cidade".
"São produções que a cada ano se superam. E nosso objetivo realmente é esse, de estimular a participação dos sergipanos no cinema", enfatizou a diretora executiva do Curta-SE Rosângela Rocha.
Os concorrentes da mostra sergipana foram: Atrás de Você, de Andrei Ferreira da Silva e Matheus Dantas Gonçalves; Cidade Grande, de Kauam Matos Marques Pereira; De Quando o Sol Vai Embora, de Werden Tavares Pinheiro; Mudando de Vida, de Robson dos Santos; Ocupe a Cidade, de Thaís Ramos e Kaippe Reis; e Só Sucesso, de José Augusto Alves dos Anjos Santos.
Após a exibição dos curtas, o público avaliou as produções dando notas de 1 a 5. Através do patrocínio bronze da Seguros Unimed, a Cerimônia de Premiação desta e das outras mostras ocorrem na próxima sexta-feira, 27, no Cine Vitória.
Na segunda noite de Curta-SE ainda houve a exibição da 1ª Mostra Informativa de Longas 20 anos com "Cuba, o amor, o tempo", um documentário dirigido por Alice de Andrade. Confira a programação completa do festival em curtase.org.br.
Curta-SE 2018 - O Festival ocorre até o dia 27 de julho. Após a cerimônia de abertura, no último dia 23, a programação seguiu para o Cinema Vitória. Haverá exibições curtas iberoamericanos, trailers e longas-metragens.
Apoio - Através da Lei de incentivo à Cultura, o Festival tem patrocínio bronze da Seguros Unimed; apoio cultural do Sebrae, Cinema Vitória, Inova Produções, Tag.i, G1 Sergipe, TV e FM Sergipe, Prefeitura Municipal de Aracaju, Secult-SE e da Casa Curta-SE. A realização é da AVBR Produções e da Secretaria do Audiovisual/Ministério da Cultura.

Última terça-feira, 24 de julho, foi dia de conferir as produções da terra na Mostra Competitiva de Curtas Sergipanos da 18ª edição do Festival Iberoamericano de Cinema de Sergipe, Curta-SE 18. Diversa, a exibição dos seis filmes concorrentes contou com produtores locais, universitários e egressos de cursos técnicos.
De Aquidabã, a então estilista Tamires Cruz, de 28 anos, decidiu contar sobre sua vida e carreira no ramo da moda no curta "Cidade Grande" produzido com colegas do Serviço de Aprendizagem Comercial (Senac). Mulher e negra, Tamires conta que sofreu preconceito ao chegar em Aracaju em busca de emprego. 
"Eu saí da minha cidade depois que minha mãe morreu. Sendo negra, vindo de família pobre e com pouco estudo, experimentei na pele a dificuldade de achar uma ocupação aqui na capital", relembrou a estilista. Resumidamente, a produção feita em parceria com os colegas da instituição, contou em 11 minutos a trajetória de estilista, que hoje produz peças variadas, inclusive vestidos de noiva.
O curta em questão foi uma das três produções da competição instruídas pelo diretor e roteirista Fábio Jaciuk. Para ele, os filmes são mais que alta qualidade técnica. "O filme é uma alma", disse o instrutor. "E ser selecionado para competir no Curta-SE foi um resultado muito positivo", completou.
O produtor Kaippe Reis, 23, acompanha o Curta-SE antes mesmo de ingressar no curso superior de Audiovisual da Universidade Federal de Sergipe. "O Curta-SE sempre foi essa janela de exibição, tanto que está aí há quase duas décadas, mostrando, fomentando e fortalecendo o que está sendo produzido aqui no estado", enaltece. Com Thaís Ramos, Kaíppe produziu o documentário "Ocupe a Cidade".
"São produções que a cada ano se superam. E nosso objetivo realmente é esse, de estimular a participação dos sergipanos no cinema", enfatizou a diretora executiva do Curta-SE Rosângela Rocha.
Os concorrentes da mostra sergipana foram: Atrás de Você, de Andrei Ferreira da Silva e Matheus Dantas Gonçalves; Cidade Grande, de Kauam Matos Marques Pereira; De Quando o Sol Vai Embora, de Werden Tavares Pinheiro; Mudando de Vida, de Robson dos Santos; Ocupe a Cidade, de Thaís Ramos e Kaippe Reis; e Só Sucesso, de José Augusto Alves dos Anjos Santos.
Após a exibição dos curtas, o público avaliou as produções dando notas de 1 a 5. Através do patrocínio bronze da Seguros Unimed, a Cerimônia de Premiação desta e das outras mostras ocorrem na próxima sexta-feira, 27, no Cine Vitória.
Na segunda noite de Curta-SE ainda houve a exibição da 1ª Mostra Informativa de Longas 20 anos com "Cuba, o amor, o tempo", um documentário dirigido por Alice de Andrade. Confira a programação completa do festival em curtase.org.br.

Curta-SE 2018 - O Festival ocorre até o dia 27 de julho. Após a cerimônia de abertura, no último dia 23, a programação seguiu para o Cinema Vitória. Haverá exibições curtas iberoamericanos, trailers e longas-metragens.

Apoio - Através da Lei de incentivo à Cultura, o Festival tem patrocínio bronze da Seguros Unimed; apoio cultural do Sebrae, Cinema Vitória, Inova Produções, Tag.i, G1 Sergipe, TV e FM Sergipe, Prefeitura Municipal de Aracaju, Secult-SE e da Casa Curta-SE. A realização é da AVBR Produções e da Secretaria do Audiovisual/Ministério da Cultura.