SuperAção ultrapassa meta com oferta de 555 vagas para pessoas com deficiência e reabilitados

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto
NA TERCEIRA EDIÇÃO DO EVENTO, FORAM CRIADAS 555 VAGAS DE EMPREGO
NA TERCEIRA EDIÇÃO DO EVENTO, FORAM CRIADAS 555 VAGAS DE EMPREGO

Clique nas imagens para ampliar

Publicada em 26/07/2018 às 07:12:00

 

A quarta-feira foi um dia movimentado na Praça Fausto Cardoso, no Centro de Aracaju. Na terceira edição do SuperAção, uma série de serviços, oficinas educativas e oportunidades de trabalho foram ofertadas para pessoas com deficiência e reabilitados após apresentações artísticas que emocionaram os presentes. Mais de 20 empresas estiveram presentes disponibilizando 555 vagas de emprego, superando a expectativa inicial de 400 vagas. O evento foi uma iniciativa do Fórum Estadual de Inserção da Pessoa com Deficiência e Reabilitados no Mercado de Trabalho, que reunde diversas instiuições públicas, privadas e do terceiro setor.
Em seu stand, a equipe do Núcleo de Apoio ao Trabalho (NAT) realizou o cadastro no Sistema Nacional de Emprego (SINE) com encaminhamento imediato para as vagas ofertas exclusivamente para esse público. As mais de 20 empresas presentes se organizaram em mesas para atender as PcDs e receber seus currículos. A coordenadora Estadual do Trabalho e Emprego da Secretara de Estado da Inclusão Social, Sandra Magna Rezende, explica que o número de vagas oferecidas foi além do esperado. "Estavam programadas 400 vagas de emprego, mas novas empresas se interessaram e se juntaram a nós. Foram 555 vagas em mais de 20 empresas parceiras", explicou.
Representante de uma dessas empresas, o gerente da G&E, Ricardo Cruz, considera fundamental que empresários se conscientizem sobre o papel dos PcDs e desconstruam a visão equivocada e preconceituosa de que são pessoas incapazes. "Nós já temos alguns colaboradores com deficiência em diversos setores da nossa empresa e continuamos nos adequando para criar mais oportunidades para esse púbico. Até o final deste ano, pretendemos abrir 19 novas vagas exclusivas para eles. O objetivo é encontrar pessoas que se encaixem no perfil da empresa e possam colaborar com ela", disse.
Há um ano e meio desempregada, Janaí da Paixão foi atendida pelo NAT e garantiu duas cartas de encaminhamento para empresas. "É muito interessante esse evento, porque abre espaço para a gente se encaixar nas oportunidades. Vou sair hoje com duas cartas e estou muito feliz, e espero conseguir êxito dentro dessas vagas, porque também somos capazes dentro da sociedade", salientou.
O jornalista Jasse Neto mantém um canal no YouTube chamado "Minha vida sobre rodas", no qual fala sobre o dia a dia de um cadeirante. Além de fazer imagens para seu canal, ele foi ao SuperAção em busca de oportunidades de trabalho e falou sobre como o mercado pode receber melhor os PcDs. "As empresas precisam, além de oferecer a vaga, dar uma condição para que a pessoa com deficiência possa desenvolver sua atividade de forma plena. Nós temos as mesmas capacidades; a única diferença é a condição adequada que deve ser oferecida para realizarmos nossa função com êxito", defendeu.
A coordenadora do Fórum e auditora fiscal do Trabalho, Urcelina Porto, avaliou a terceira edição do SuperAção como positiva e destacou a ação conjunta de empresas e instituições para levar essas oportunidades aos PcDs. "O nosso foco é inserir as pessoas no mercado de trabalho através desse esforço conjunto com as instituições de trabalho. É um cenário de conscientização, porque precisamos trabalhar a sociedade como um todo para erradicar o preconceito com os PcDs", completou.
Além do NAT/Seidh e da Superintendência Regional do Trabalho e Emprego, participaram do evento a Sergipe Administradora de Cartões e Serviços (Seac), Fundat, Senai, Sistema Nacional da Indústria, Senac, Ministério Público do Trabalho, Instituto Iluminar, Aracaju Acessível, Adevise, Ministério do Trabalho, Previdência Social e INSS, UFS, UNIT, Conselhos Municipal e Estadual da Pessoa com Deficiência, e muitos outros parceiros que integram o Fórum.

A quarta-feira foi um dia movimentado na Praça Fausto Cardoso, no Centro de Aracaju. Na terceira edição do SuperAção, uma série de serviços, oficinas educativas e oportunidades de trabalho foram ofertadas para pessoas com deficiência e reabilitados após apresentações artísticas que emocionaram os presentes. Mais de 20 empresas estiveram presentes disponibilizando 555 vagas de emprego, superando a expectativa inicial de 400 vagas. O evento foi uma iniciativa do Fórum Estadual de Inserção da Pessoa com Deficiência e Reabilitados no Mercado de Trabalho, que reunde diversas instiuições públicas, privadas e do terceiro setor.
Em seu stand, a equipe do Núcleo de Apoio ao Trabalho (NAT) realizou o cadastro no Sistema Nacional de Emprego (SINE) com encaminhamento imediato para as vagas ofertas exclusivamente para esse público. As mais de 20 empresas presentes se organizaram em mesas para atender as PcDs e receber seus currículos. A coordenadora Estadual do Trabalho e Emprego da Secretara de Estado da Inclusão Social, Sandra Magna Rezende, explica que o número de vagas oferecidas foi além do esperado. "Estavam programadas 400 vagas de emprego, mas novas empresas se interessaram e se juntaram a nós. Foram 555 vagas em mais de 20 empresas parceiras", explicou.
Representante de uma dessas empresas, o gerente da G&E, Ricardo Cruz, considera fundamental que empresários se conscientizem sobre o papel dos PcDs e desconstruam a visão equivocada e preconceituosa de que são pessoas incapazes. "Nós já temos alguns colaboradores com deficiência em diversos setores da nossa empresa e continuamos nos adequando para criar mais oportunidades para esse púbico. Até o final deste ano, pretendemos abrir 19 novas vagas exclusivas para eles. O objetivo é encontrar pessoas que se encaixem no perfil da empresa e possam colaborar com ela", disse.
Há um ano e meio desempregada, Janaí da Paixão foi atendida pelo NAT e garantiu duas cartas de encaminhamento para empresas. "É muito interessante esse evento, porque abre espaço para a gente se encaixar nas oportunidades. Vou sair hoje com duas cartas e estou muito feliz, e espero conseguir êxito dentro dessas vagas, porque também somos capazes dentro da sociedade", salientou.
O jornalista Jasse Neto mantém um canal no YouTube chamado "Minha vida sobre rodas", no qual fala sobre o dia a dia de um cadeirante. Além de fazer imagens para seu canal, ele foi ao SuperAção em busca de oportunidades de trabalho e falou sobre como o mercado pode receber melhor os PcDs. "As empresas precisam, além de oferecer a vaga, dar uma condição para que a pessoa com deficiência possa desenvolver sua atividade de forma plena. Nós temos as mesmas capacidades; a única diferença é a condição adequada que deve ser oferecida para realizarmos nossa função com êxito", defendeu.
A coordenadora do Fórum e auditora fiscal do Trabalho, Urcelina Porto, avaliou a terceira edição do SuperAção como positiva e destacou a ação conjunta de empresas e instituições para levar essas oportunidades aos PcDs. "O nosso foco é inserir as pessoas no mercado de trabalho através desse esforço conjunto com as instituições de trabalho. É um cenário de conscientização, porque precisamos trabalhar a sociedade como um todo para erradicar o preconceito com os PcDs", completou.
Além do NAT/Seidh e da Superintendência Regional do Trabalho e Emprego, participaram do evento a Sergipe Administradora de Cartões e Serviços (Seac), Fundat, Senai, Sistema Nacional da Indústria, Senac, Ministério Público do Trabalho, Instituto Iluminar, Aracaju Acessível, Adevise, Ministério do Trabalho, Previdência Social e INSS, UFS, UNIT, Conselhos Municipal e Estadual da Pessoa com Deficiência, e muitos outros parceiros que integram o Fórum.