Venda irregular de combustíveis é descoberta

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Publicada em 02/08/2018 às 10:52:00

Duas pessoas foram presas após serem flagradas comercializando clandestinamente combustíveis nas cidades de Brejo Grande e Ilha das Flores. A ação coordenada pela Polícia Civil resultou ainda na apreensão de 500 litros de combustíveis que estavam estocados em tonéis e garrafas de plástico em local impróprio para o  armazenamento do produto inflamável. O que chama a atenção dos agentes é que, paralelo ao risco inerente aos vizinhos, um dos locais abordados funcionava também como reforço escolar para crianças de várias idades. Os responsáveis pelo comércio foram presos, mas pagaram fiança e seguem respondendo o crime em liberdade.
Para que a ação unificada obtivesse o êxito previamente elaborado, de acordo com a Secretaria de Estado da Segurança Pública foi necessário mobilizar um efetivo superior a 15 policiais civis os quais atuam nas cidades de Brejo Grande, Ilha das Flores, Pacatuba e apoio da Coordenadoria da Polícia do Interior (COPCI). O delegado José Luiz Accioly - que esteve à frente da operação, contou ainda com o apoio do delegado de Neópolis, Tiago Lustosa. Os dois homens acusados de promover o comércio ilegal vão responder por crime de relação de consumo e crime ambiental.
Sem apresentar detalhes sobre a operação denominada 'Líquido Carburante', a SSP informou que foi possível chegar até os responsáveis após denúncias anônimas, partidas da própria população. Além do risco real de explosão, o mau cheiro passou a incomodar os vizinhos que eram obrigados a vivenciar diariamente com o problema. Após configurado o crime e remoção do líquido, José Luiz Accioly informou que durante a abordagem os profissionais envolvidos buscaram agir com cautela a fim de minimizar os riscos de acidentes. Durante a ação a via - principal de Brejo Grande, necessitou ser parcialmente interditada.
"Além de ser uma venda irregular, é totalmente perigoso para todos que estão ali próximos. A casa fica na rua principal, no Centro do município. As investigações envolvendo esse tipo de crime vão permanecer para que possamos evitar que este tipo de prática clandestina continue provocando risco à saúde e a integridade física de tantas pessoas", declarou. A Secretaria de Segurança solicita aos sergipanos que, caso possuam informações a respeito deste tipo de comércio ilegal, entrem em contrato com o Disque Denuncia 181, e comuniquem o fato. A identidade dos denunciantes será preservada. (Milton Alves Júnior)