Brejo Grande: por falta de coleta, morador pôs lixo na Prefeitura

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto
Falta de saneamento e de coleta de lixo criou insatisfação nos moradores da cidade
Falta de saneamento e de coleta de lixo criou insatisfação nos moradores da cidade

Clique nas imagens para ampliar

Publicada em 03/08/2018 às 07:57:00

 

Milton Alves Júnior
Moradores do muni
cípio sergipano de 
Brejo Grande (Baixo São Francisco) seguem sofrendo com a irregularidade operacional na coleta de lixo doméstico e comercial. Se deparando com situações semelhantes às crises enfrentadas por milhares de aracajuanos ao longo dos últimos quatro anos, os cidadãos brejo-grandenses começaram a pressionar o prefeito Clysmer Ferreira (PSB) para que o cenário de descaso administrativo fosse solucionado em caráter imediato. Como o pleito não foi atendido, João Neto, morador da cidade, decidiu de forma inusitada recolher o lixo de casa e depositar na frente da prefeitura.
Como se já não bastasse a forma democrática por ele em protestar contra a situação, um vereador - o qual o manifestante optou por não divulgar o nome, recolheu as sacolas e foi até a casa de João Neto para botar o lixo de volta na calçada dele. Se mostrando indignado com a atitude do parlamentar da base aliada do prefeito, o contribuinte voltou a se dirigir até a sede da administração municipal e recolocou as sacolas na entrada principal. 
De acordo com João Neto, a atitude adotada por ele deveria ser seguida pelos demais moradores da cidade que estão insatisfeitos com a situação. "Não era bom que todos fizessem a mesma coisa? Queria ver o vereador levar sacola por sacola na casa de cada um. Recebemos a informação que o serviço seria normalizado no início dessa semana, mas até a manhã dessa quinta-feira nenhum caminhado coletor apareceu. Resolvi deixar o lixo lá na porta da prefeitura. Eles que resolvam como irão descartar", declarou.
O prefeito Clysmer Ferreira não se manifestou oficialmente sobre o ocorrido. A prefeitura, por sua vez, garantiu que a coleta do descarte doméstico acumulado começa a ser normalizado na região. A garantia da Prefeitura não foi suficiente para aplacar a insatisfação do morador, que promete repetir o protesto inusitado caso a situação se repita na cidade. "Não quero botar pressão em ninguém, mas acredito que se cada um começar a sair da zona de 'conforto' e começar a protestar dessa forma, quero ver se esse tipo de problema vai mais ocorrer em nosso Estado. Todas as vezes que o problema se repetir eu farei isso, afinal, a prefeitura é responsável pela coleta e já que o caminhão não passa na porta da minha casa, então que passe lá na prefeitura", avisou.

Moradores do muni cípio sergipano de  Brejo Grande (Baixo São Francisco) seguem sofrendo com a irregularidade operacional na coleta de lixo doméstico e comercial. Se deparando com situações semelhantes às crises enfrentadas por milhares de aracajuanos ao longo dos últimos quatro anos, os cidadãos brejo-grandenses começaram a pressionar o prefeito Clysmer Ferreira (PSB) para que o cenário de descaso administrativo fosse solucionado em caráter imediato. Como o pleito não foi atendido, João Neto, morador da cidade, decidiu de forma inusitada recolher o lixo de casa e depositar na frente da prefeitura.
Como se já não bastasse a forma democrática por ele em protestar contra a situação, um vereador - o qual o manifestante optou por não divulgar o nome, recolheu as sacolas e foi até a casa de João Neto para botar o lixo de volta na calçada dele. Se mostrando indignado com a atitude do parlamentar da base aliada do prefeito, o contribuinte voltou a se dirigir até a sede da administração municipal e recolocou as sacolas na entrada principal. 
De acordo com João Neto, a atitude adotada por ele deveria ser seguida pelos demais moradores da cidade que estão insatisfeitos com a situação. "Não era bom que todos fizessem a mesma coisa? Queria ver o vereador levar sacola por sacola na casa de cada um. Recebemos a informação que o serviço seria normalizado no início dessa semana, mas até a manhã dessa quinta-feira nenhum caminhado coletor apareceu. Resolvi deixar o lixo lá na porta da prefeitura. Eles que resolvam como irão descartar", declarou.
O prefeito Clysmer Ferreira não se manifestou oficialmente sobre o ocorrido. A prefeitura, por sua vez, garantiu que a coleta do descarte doméstico acumulado começa a ser normalizado na região. A garantia da Prefeitura não foi suficiente para aplacar a insatisfação do morador, que promete repetir o protesto inusitado caso a situação se repita na cidade. "Não quero botar pressão em ninguém, mas acredito que se cada um começar a sair da zona de 'conforto' e começar a protestar dessa forma, quero ver se esse tipo de problema vai mais ocorrer em nosso Estado. Todas as vezes que o problema se repetir eu farei isso, afinal, a prefeitura é responsável pela coleta e já que o caminhão não passa na porta da minha casa, então que passe lá na prefeitura", avisou.