41 flagrados por exercício ilegal da educação física no 1º semestre

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Publicada em 03/08/2018 às 07:59:00

 

O setor de orientação e fiscalização do Conselho Regional de Educação Física da 20ª Região Sergipe (CREF20/SE) divulgou ontem dados de fiscalização e atuação realizada em todo o estado no primeiro semestre deste ano. O objetivo foi identificar e apurar desobediências às normas estabelecidas pela legislação que regulamenta a atividade profissional em Educação Física, com vistas a preservar os interesses da coletividade pela oferta à sociedade de um serviço de qualidade e seguro, orientado por profissionais habilitados e qualificados. 
Durante o período, foram realizadas 968 vistas a estabelecimentos, 805 pessoas consultadas, em 41 municípios sergipanos, sendo que muitos deles visitados mais de uma vez, se não todos os meses, como é o caso das cidades de Itabaiana e Lagarto, as quais as denúncias de irregulares em academias ou pessoas sem formação dando aulas, são recorrentes. 
"É importante destaca que além das denúncias, que são prioridade, são feitas visitas diariamente às academias, centros de treinamentos, praças, escolas, ou seja, qualquer lugar que esteja oferecendo alguma prática de exercício, para certificarmos que um profissional, devidamente formado e registrado no conselho, esteja presente," explicou o supervisor de orientação e fiscalização do CREF20/SE, Diego Vidal.
Desse total de 968 visitas, 40 foram em escolas, 308 em empresas não credenciadas, 660 credenciadas, 72 estavam fechadas no momento da visita, 576 estavam regulares, 27 tiveram atividades encerradas e 161 em outras situações. Já as pessoas físicas foram 805 consultadas, os quais 121 apresentavam alguma irregularidade, e 41 pessoas foram flagradas por exercício ilegal da profissão. Além também de 164 estagiários consultados, sendo que 90 estavam irregulares. "O profissional responsável pela instituição deve se identificar, apresentando sua cédula de identidade profissional, prestando todas as informações solicitadas relativas à entidade e seu quadro profissional", informou a fiscal Caroline Martins. Ainda segundo Carol, a parte concedente do estágio deve manter, à disposição da fiscalização, documentos que comprovem a condição dos seus estagiários.
Quando da participação em atividades de estágio, os estudantes deverão estar devidamente identificados, garantindo a todos a visualização da sua condição de estagiário. "Os estagiários devem estar identificados, atuarem de conformidade com o disposto nos seus programas de estágio e acompanhados/orientados por um profissional de Educação Física habilitado e registrado no CREF," concluiu a fiscal.

O setor de orientação e fiscalização do Conselho Regional de Educação Física da 20ª Região Sergipe (CREF20/SE) divulgou ontem dados de fiscalização e atuação realizada em todo o estado no primeiro semestre deste ano. O objetivo foi identificar e apurar desobediências às normas estabelecidas pela legislação que regulamenta a atividade profissional em Educação Física, com vistas a preservar os interesses da coletividade pela oferta à sociedade de um serviço de qualidade e seguro, orientado por profissionais habilitados e qualificados. 
Durante o período, foram realizadas 968 vistas a estabelecimentos, 805 pessoas consultadas, em 41 municípios sergipanos, sendo que muitos deles visitados mais de uma vez, se não todos os meses, como é o caso das cidades de Itabaiana e Lagarto, as quais as denúncias de irregulares em academias ou pessoas sem formação dando aulas, são recorrentes. 
"É importante destaca que além das denúncias, que são prioridade, são feitas visitas diariamente às academias, centros de treinamentos, praças, escolas, ou seja, qualquer lugar que esteja oferecendo alguma prática de exercício, para certificarmos que um profissional, devidamente formado e registrado no conselho, esteja presente," explicou o supervisor de orientação e fiscalização do CREF20/SE, Diego Vidal.
Desse total de 968 visitas, 40 foram em escolas, 308 em empresas não credenciadas, 660 credenciadas, 72 estavam fechadas no momento da visita, 576 estavam regulares, 27 tiveram atividades encerradas e 161 em outras situações. Já as pessoas físicas foram 805 consultadas, os quais 121 apresentavam alguma irregularidade, e 41 pessoas foram flagradas por exercício ilegal da profissão. Além também de 164 estagiários consultados, sendo que 90 estavam irregulares. "O profissional responsável pela instituição deve se identificar, apresentando sua cédula de identidade profissional, prestando todas as informações solicitadas relativas à entidade e seu quadro profissional", informou a fiscal Caroline Martins. Ainda segundo Carol, a parte concedente do estágio deve manter, à disposição da fiscalização, documentos que comprovem a condição dos seus estagiários.
Quando da participação em atividades de estágio, os estudantes deverão estar devidamente identificados, garantindo a todos a visualização da sua condição de estagiário. "Os estagiários devem estar identificados, atuarem de conformidade com o disposto nos seus programas de estágio e acompanhados/orientados por um profissional de Educação Física habilitado e registrado no CREF," concluiu a fiscal.