Sergipe é o terceiro estado a apresentar o Inventário Florestal

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Publicada em 04/08/2018 às 08:05:00

 

Um ato histórico. Assim pode ser sintetizada a apresentação do primeiro Inventário Florestal Nacional em Sergipe (INF-SE), uma ação coordenada pelo Serviço Florestal Brasileiro, em parceria com a Secretaria de Estado de Meio Ambiente e dos Recursos Hídricos (Semarh), que visa à produção de informações estratégicas sobre a quantidade e qualidade das florestas. A solenidade de apresentação aconteceu ontem no auditório da Codise, em Aracaju.  
Para a realização do Inventário, o Serviço Florestal Brasileiro, órgão do Ministério do Meio Ambiente, firmou acordo de cooperação com a Semarh, no qual, por meio do Fundo Estadual de Recursos Hídricos (Funerh), custeou atividades no valor de R$1,6 milhão, ficando a cargo do Serviço Florestal a coordenação do trabalho de coleta de dados em campo, a complicação e análise das informações e publicação dos resultados.
Com o inventário, foi possível atestar que apenas 13% do Estado de Sergipe é coberto por florestas, totalizando cerca de 286 mil hectares, distribuídos entre os biomas caatinga e mata atlântica. Essa cobertura ocorre de forma desigual: 56% dos municípios apresentam entre 1% e 10% de cobertura florestal enquanto apenas 10 dos 75 municípios sergipanos abrigam metade de toda a área de floresta do estado.
O levantamento identificou também que 20% das florestas de Sergipe estão nas 23 Unidades de Conservação (UCs) existentes no estado. A área protegida total é de 119 mil hectares, o que corresponde a 5% do território do estado, mas pouco menos da metade das UCs - cerca de 57 mil hectares - contém floresta. Foram levantados 177 pontos amostrais em Sergipe e, apesar da baixa cobertura vegetal, o Estado apresentou 535 espécies, entre árvores, palmeiras, cactos, herbáceas e ervas, sendo que, dessas, 57 foram identificadas pela primeira vez, e 5 árvores estão na lista de extinção.E apenas 10 municípios detêm metade dos 13% de cobertura vegetal, sendo que o município de Areia Branca, na região de mata atlântica, tem a maior cobertura vegetal do Estado, 42%; e Canindé de São Francisco a segunda maior área, 19%.
A procuradora da República do Ministério Público Federal, Lívia Tinôco, afirmou que a realização do Inventário é a forma de conhecer melhor os biomas, pensar formas de manejo entre os agricultores, no momento da utilização das florestas, e também sobre o processo de desertificação que vem ocorrendo nos municípios. "Ter o inventário nos permite fazer o acompanhamento da supressão e dos riscos que nós, como sociedade, estamos impondo à manutenção das florestas".

Um ato histórico. Assim pode ser sintetizada a apresentação do primeiro Inventário Florestal Nacional em Sergipe (INF-SE), uma ação coordenada pelo Serviço Florestal Brasileiro, em parceria com a Secretaria de Estado de Meio Ambiente e dos Recursos Hídricos (Semarh), que visa à produção de informações estratégicas sobre a quantidade e qualidade das florestas. A solenidade de apresentação aconteceu ontem no auditório da Codise, em Aracaju.  
Para a realização do Inventário, o Serviço Florestal Brasileiro, órgão do Ministério do Meio Ambiente, firmou acordo de cooperação com a Semarh, no qual, por meio do Fundo Estadual de Recursos Hídricos (Funerh), custeou atividades no valor de R$1,6 milhão, ficando a cargo do Serviço Florestal a coordenação do trabalho de coleta de dados em campo, a complicação e análise das informações e publicação dos resultados.
Com o inventário, foi possível atestar que apenas 13% do Estado de Sergipe é coberto por florestas, totalizando cerca de 286 mil hectares, distribuídos entre os biomas caatinga e mata atlântica. Essa cobertura ocorre de forma desigual: 56% dos municípios apresentam entre 1% e 10% de cobertura florestal enquanto apenas 10 dos 75 municípios sergipanos abrigam metade de toda a área de floresta do estado.
O levantamento identificou também que 20% das florestas de Sergipe estão nas 23 Unidades de Conservação (UCs) existentes no estado. A área protegida total é de 119 mil hectares, o que corresponde a 5% do território do estado, mas pouco menos da metade das UCs - cerca de 57 mil hectares - contém floresta. Foram levantados 177 pontos amostrais em Sergipe e, apesar da baixa cobertura vegetal, o Estado apresentou 535 espécies, entre árvores, palmeiras, cactos, herbáceas e ervas, sendo que, dessas, 57 foram identificadas pela primeira vez, e 5 árvores estão na lista de extinção.E apenas 10 municípios detêm metade dos 13% de cobertura vegetal, sendo que o município de Areia Branca, na região de mata atlântica, tem a maior cobertura vegetal do Estado, 42%; e Canindé de São Francisco a segunda maior área, 19%.
A procuradora da República do Ministério Público Federal, Lívia Tinôco, afirmou que a realização do Inventário é a forma de conhecer melhor os biomas, pensar formas de manejo entre os agricultores, no momento da utilização das florestas, e também sobre o processo de desertificação que vem ocorrendo nos municípios. "Ter o inventário nos permite fazer o acompanhamento da supressão e dos riscos que nós, como sociedade, estamos impondo à manutenção das florestas".