Secretária da Saúde apresenta resultado do primeiro quadrimestre de 2018

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto
A secretária Waneska Barbosa durante sessão na Câmara Municipal
A secretária Waneska Barbosa durante sessão na Câmara Municipal

Clique nas imagens para ampliar

Publicada em 08/08/2018 às 07:44:00

 

A secretária municipal 
da Saúde, Waneska 
Barbosa, apresentou o resultado do primeiro quadrimestre de sua pasta.  A explanação ocorreu nesta terça-feira, por meio de audiência pública na Câmara Municipal de Aracaju (CMA). Como destaque está a ampliação no número de atendimentos e procedimentos ambulatoriais em comparação com o mesmo período de 2017.
Durante seu pronunciamento, a gestora analisou os indicadores de saúde, critérios adotados pelo Governo Federal para avaliar os trabalhos realizados e traçar metas. Aracaju está dentro do estipulado pelo Ministério da Saúde na maioria dos índices. Como exemplo, a taxa de mortalidade prematura (de 30 a 69 anos) pelo conjunto das principais doenças crônicas não transmissíveis; a proporção de registros de óbitos com causa básica definida; no número de novos casos de sífilis congênitas em menores de um ano de idade; casos novos de Aids em menores de cinco anos; proporção de partos normais pelo SUS, entre outros. 
 Foi possível evidenciar também o aumento da produção ambulatorial nos hospitais da zona Sul e Norte, na comparação com o quadrimestre de 2017. No primeiro ano de gestão, o Fernando Franco teve produção de 36.337 e o Nestor Piva 43.766, aumentando respectivamente, em 2018, para 40.217 e 54.056. 
 O número de procedimentos autorizados e confirmados também aumentou. Em 2017, 1.011.871 foram autorizados, número menor que os 1.228.785 de 2018. Da mesma forma, no quadrimestre do primeiro ano de gestão, 821.136 foram confirmados, contra 1.023.447 de 2018.  
Os dados foram apresentados no plenário da Câmara, oportunizando intervenções dos parlamentares. O vereador Fábio Meireles parabenizou toda a equipe de gestão da Saúde pelo "belíssimo trabalho na pasta, sobretudo com a implantação do prontuário eletrônico em Aracaju". 

A secretária municipal  da Saúde, Waneska  Barbosa, apresentou o resultado do primeiro quadrimestre de sua pasta.  A explanação ocorreu nesta terça-feira, por meio de audiência pública na Câmara Municipal de Aracaju (CMA). Como destaque está a ampliação no número de atendimentos e procedimentos ambulatoriais em comparação com o mesmo período de 2017.
Durante seu pronunciamento, a gestora analisou os indicadores de saúde, critérios adotados pelo Governo Federal para avaliar os trabalhos realizados e traçar metas. Aracaju está dentro do estipulado pelo Ministério da Saúde na maioria dos índices. Como exemplo, a taxa de mortalidade prematura (de 30 a 69 anos) pelo conjunto das principais doenças crônicas não transmissíveis; a proporção de registros de óbitos com causa básica definida; no número de novos casos de sífilis congênitas em menores de um ano de idade; casos novos de Aids em menores de cinco anos; proporção de partos normais pelo SUS, entre outros. 
 Foi possível evidenciar também o aumento da produção ambulatorial nos hospitais da zona Sul e Norte, na comparação com o quadrimestre de 2017. No primeiro ano de gestão, o Fernando Franco teve produção de 36.337 e o Nestor Piva 43.766, aumentando respectivamente, em 2018, para 40.217 e 54.056. 
 O número de procedimentos autorizados e confirmados também aumentou. Em 2017, 1.011.871 foram autorizados, número menor que os 1.228.785 de 2018. Da mesma forma, no quadrimestre do primeiro ano de gestão, 821.136 foram confirmados, contra 1.023.447 de 2018.  
Os dados foram apresentados no plenário da Câmara, oportunizando intervenções dos parlamentares. O vereador Fábio Meireles parabenizou toda a equipe de gestão da Saúde pelo "belíssimo trabalho na pasta, sobretudo com a implantação do prontuário eletrônico em Aracaju".