Carro pega fogo no bairro Olaria

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto
O veículo ficou completamente destruído
O veículo ficou completamente destruído

Clique nas imagens para ampliar

Publicada em 08/08/2018 às 07:47:00

 

Um problema mecânico pode ter sido a causa do susto sofrido na manhã de ontem por uma família. Por volta das 12 horas,dois adultos e duas crianças transitavam por ruas do bairro Olaria, zona Oeste de Aracaju, quando o veículo rapidamente começou a esquentar e pegar fogo. Diante do aumento das chamas, os proprietários não tiveram tempo de pegar o extintor e tentar apagar o fogo. Desesperado, os pais tiveram tempo apenas de desafivelar os santos e resgatar os filhos. Apesar da abrangência do sinistro, ninguém se feriu na ação.
De acordo com testemunhas, também não foi necessário acionar equipes do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu), tampouco conduzi-los para alguma unidade hospitalar. Condutora do veículo, Ilma Santana informou que minutos antes da pane o carro já vinha apresentando problemas. Após o motor parar de funcionar de forma repentina, a condutora deu a partida no carro e o fogo começou. O carro ficou destruído pelas chamas mesmo com os agentes do Corpo de Bombeiros terem chegado ao local com menos de 15 minutos após o primeiro contrato com o Ciosp.
"Foi tudo muito rápido e assustador. Estávamos com nossos filhos no banco de traz e o fogo começou muito rápido depois que tentei reativar o carro. A gente achava que a fumaça poderia subir e a gente apagar com o extintor, mas para vocês terem ideia, meus marido não teve tempo nem de pegar a carteira dele depois que retiramos as crianças", disse. Por mais de uma hora o fluxo na rua irmã Dulce ficou parcialmente bloqueado para o fluxo de pessoas e veículos. O Corpo de Bombeiros apagou o incêndio e resfriou a pista.
"Estamos tristes com a perda, abalados com o susto provocado em todos nós, mas relaxados por saber que não sofremos nada fisicamente; em especial as crianças. Os bens materiais a gente luta para reconquistar. O que vale mesmo é que estamos vivos e não precisamos ir nem para o hospital", afirmou Ilma Santana. (Milton Alves Júnior)

Um problema mecânico pode ter sido a causa do susto sofrido na manhã de ontem por uma família. Por volta das 12 horas,dois adultos e duas crianças transitavam por ruas do bairro Olaria, zona Oeste de Aracaju, quando o veículo rapidamente começou a esquentar e pegar fogo. Diante do aumento das chamas, os proprietários não tiveram tempo de pegar o extintor e tentar apagar o fogo. Desesperado, os pais tiveram tempo apenas de desafivelar os santos e resgatar os filhos. Apesar da abrangência do sinistro, ninguém se feriu na ação.
De acordo com testemunhas, também não foi necessário acionar equipes do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu), tampouco conduzi-los para alguma unidade hospitalar. Condutora do veículo, Ilma Santana informou que minutos antes da pane o carro já vinha apresentando problemas. Após o motor parar de funcionar de forma repentina, a condutora deu a partida no carro e o fogo começou. O carro ficou destruído pelas chamas mesmo com os agentes do Corpo de Bombeiros terem chegado ao local com menos de 15 minutos após o primeiro contrato com o Ciosp.
"Foi tudo muito rápido e assustador. Estávamos com nossos filhos no banco de traz e o fogo começou muito rápido depois que tentei reativar o carro. A gente achava que a fumaça poderia subir e a gente apagar com o extintor, mas para vocês terem ideia, meus marido não teve tempo nem de pegar a carteira dele depois que retiramos as crianças", disse. Por mais de uma hora o fluxo na rua irmã Dulce ficou parcialmente bloqueado para o fluxo de pessoas e veículos. O Corpo de Bombeiros apagou o incêndio e resfriou a pista.
"Estamos tristes com a perda, abalados com o susto provocado em todos nós, mas relaxados por saber que não sofremos nada fisicamente; em especial as crianças. Os bens materiais a gente luta para reconquistar. O que vale mesmo é que estamos vivos e não precisamos ir nem para o hospital", afirmou Ilma Santana. (Milton Alves Júnior)