Movimento sindical organiza o "Dia do Basta em Sergipe"

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto
SINDICATOS ORGANIZAM PROTESTOS NA SEXTA-FEIRA
SINDICATOS ORGANIZAM PROTESTOS NA SEXTA-FEIRA

Clique nas imagens para ampliar

Publicada em 08/08/2018 às 08:29:00

 

Na noite desta segunda-feira (06), sindicatos filiados à Central Única dos Trabalhadores (CUT/SE) participaram de assembleia geral unificada para construir, na data de 10 de agosto, o Dia do Basta, Dia Nacional de Luta contra a destruição do Brasil, em defesa da democracia e dos direitos trabalhistas.
Na próxima sexta-feira, sindicatos farão protestos no turno da manhã, na porta da FAFEN, na sede do INSS (Av. Ivo do Prado), entre outras localidades. No turno da tarde, todos os sindicados, a juventude, o movimento estudantil e de trabalhadores do campo e da cidade, organizados pela Frente Brasil Popular, vão se concentrar à 15h na Praça General Valadão para a construção de um grande protesto em Aracaju.
Os professores vão paralisar na sexta-feira contra o corte de verbas da educação, a ameaça à soberania e à democracia brasileira. Dirigentes do Sintese (Professores) e Sindipema (Professores-Aracaju), a professora Ivonete Cruz e o professor Adelmo Santos informaram que os professores aprovaram a paralisação em assembleia. A medida segue as orientações da Confederação Nacional dos Trabalhadores da Educação (CNTE) que nacionalmente está mobilizando educadores de todo o País a participar da construção do Dia do Basta.
 "A conjuntura exige uma reação firme da classe trabalhadora. Na reta final, o governo golpista aprofunda os ataques às estatais privatizando; aprofunda o ataque à soberania nacional quando tenta vender a EMBRAER; afeta a segurança nacional e não aponta para nenhuma perspectiva de melhoria na situação de desemprego, na recuperação do salário. Então, eu acho que a classe trabalhadora precisa reagir à altura e no momento certo: o momento de eleição. Teremos duas movimentações: vamos defender a soberania nacional ao defender as estatais, em outro movimento a gente vai recolocar na pauta o nome dos golpistas que levaram o país a esta situação", explicou o presidente da CUT/SE, Rubens Marques, o professor Dudu.
Contra os ataques do governo federal aos trabalhadores e contra a tentativa de privatização, o dirigente do Sindicato dos Trabalhadores dos Correios (SINTECT/SE), Marcel Raimon, adiantou que dentro de poucos dias deve ser deflagrada uma forte greve nacional dos trabalhadores dos Correios. "Hoje o país precisa de união, independentemente das divergências da esquerda. Precisamos barrar este projeto neoliberal que está destruindo tudo. Por isso vamos participar desta luta e no Dia do Basta, pode ter certeza de que vai ter muita camisa amarela dos trabalhadores dos Correios por lá. Os trabalhadores não vão assistir a isso tudo inertes. Estamos dispostos. Esta luta é de todos nós!".
Outras categorias presentes na assembleia da CUT confirmaram participação no protesto do Dia do Basta, como o SINDASSE (Assistente Social), o SINASEFE (Trabalhadores do IFS), SINDIPREV (Previdenciários), Oposição Saúde GRUPO ATITUDE, SINDIJUS (Judiciário), OPOSIÇÃO PETROLEIRA e SINTSEP-SE (Servidores Federais).

Na noite desta segunda-feira (06), sindicatos filiados à Central Única dos Trabalhadores (CUT/SE) participaram de assembleia geral unificada para construir, na data de 10 de agosto, o Dia do Basta, Dia Nacional de Luta contra a destruição do Brasil, em defesa da democracia e dos direitos trabalhistas.
Na próxima sexta-feira, sindicatos farão protestos no turno da manhã, na porta da FAFEN, na sede do INSS (Av. Ivo do Prado), entre outras localidades. No turno da tarde, todos os sindicados, a juventude, o movimento estudantil e de trabalhadores do campo e da cidade, organizados pela Frente Brasil Popular, vão se concentrar à 15h na Praça General Valadão para a construção de um grande protesto em Aracaju.
Os professores vão paralisar na sexta-feira contra o corte de verbas da educação, a ameaça à soberania e à democracia brasileira. Dirigentes do Sintese (Professores) e Sindipema (Professores-Aracaju), a professora Ivonete Cruz e o professor Adelmo Santos informaram que os professores aprovaram a paralisação em assembleia. A medida segue as orientações da Confederação Nacional dos Trabalhadores da Educação (CNTE) que nacionalmente está mobilizando educadores de todo o País a participar da construção do Dia do Basta.
 "A conjuntura exige uma reação firme da classe trabalhadora. Na reta final, o governo golpista aprofunda os ataques às estatais privatizando; aprofunda o ataque à soberania nacional quando tenta vender a EMBRAER; afeta a segurança nacional e não aponta para nenhuma perspectiva de melhoria na situação de desemprego, na recuperação do salário. Então, eu acho que a classe trabalhadora precisa reagir à altura e no momento certo: o momento de eleição. Teremos duas movimentações: vamos defender a soberania nacional ao defender as estatais, em outro movimento a gente vai recolocar na pauta o nome dos golpistas que levaram o país a esta situação", explicou o presidente da CUT/SE, Rubens Marques, o professor Dudu.
Contra os ataques do governo federal aos trabalhadores e contra a tentativa de privatização, o dirigente do Sindicato dos Trabalhadores dos Correios (SINTECT/SE), Marcel Raimon, adiantou que dentro de poucos dias deve ser deflagrada uma forte greve nacional dos trabalhadores dos Correios. "Hoje o país precisa de união, independentemente das divergências da esquerda. Precisamos barrar este projeto neoliberal que está destruindo tudo. Por isso vamos participar desta luta e no Dia do Basta, pode ter certeza de que vai ter muita camisa amarela dos trabalhadores dos Correios por lá. Os trabalhadores não vão assistir a isso tudo inertes. Estamos dispostos. Esta luta é de todos nós!".
Outras categorias presentes na assembleia da CUT confirmaram participação no protesto do Dia do Basta, como o SINDASSE (Assistente Social), o SINASEFE (Trabalhadores do IFS), SINDIPREV (Previdenciários), Oposição Saúde GRUPO ATITUDE, SINDIJUS (Judiciário), OPOSIÇÃO PETROLEIRA e SINTSEP-SE (Servidores Federais).