Mais um susto

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto
Além do ex-prefeito Zé Franco (PSDB-Socorro) e dos prefeitos Fernandinho de Muribeca (PSC) e Alexandre de Pacatuba (PSC), o pré-candidato a governador Belivaldo Chagas (PSD) conseguiu o apoio do suplente do senador Eduardo Amorim (PSDB), Laurinho Menezes.
Além do ex-prefeito Zé Franco (PSDB-Socorro) e dos prefeitos Fernandinho de Muribeca (PSC) e Alexandre de Pacatuba (PSC), o pré-candidato a governador Belivaldo Chagas (PSD) conseguiu o apoio do suplente do senador Eduardo Amorim (PSDB), Laurinho Menezes.

Clique nas imagens para ampliar

Publicada em 08/08/2018 às 08:34:00

 

O pré-candidato a governador Beli
valdo Chagas (PSD) encerrou a sua 
convenção partidária no domingo (05) ciente que a sua coligação teria nove partidos: PSD, PT, MDB, PCdoB, PP, DC (antigo PSDC), PHS, Podemos e Avante. E que haveria apenas uma chapinha para deputado estadual entre Podemos/Avante.
Inicialmente se fechou um entendimento de uma chapinha com Podemos, Avante, PSDC e PHS. Mas, depois, após protesto do PCdoB que também defendia chapinha, mas concordou com o chapão antes da definição da chapinha, ficou acordado que o PSDC e PHS iriam para o chapão e fariam chapinha para a Assembleia apenas Podemos e Avante.
Quando o PSD foi fechar a ata na segunda-feira, prazo final para registro no Tribunal Regional Eleitoral (TRE), descobriu que o Podemos e Avante fecharam uma chapinha com PMN e Patriota para deputado federal e deputado estadual.
O problema é que o PMN tem candidato a governador, que é Milton Andrade. Em razão disso, o Podemos e Avante não vão poder estar na coligação majoritária de Belivaldo Chagas e, muito menos, fazer propaganda oficial para ele.
No programa eleitoral gratuito no rádio e na televisão os candidatos do Podemos e do Avante não vão poder pedir votos para Belivaldo, mesmo tendo definido em convenção que não vão se coligar nem apresentar candidato próprio a governador.
O Podemos é presidido em Sergipe pelo ex-secretário da Saúde e Inclusão Social, Zezinho Sobral, que é pré-candidato a deputado estadual. Já o Avante tem como presidente o ex-vereador de Aracaju, Valdir Santos, que é pré-candidato a deputado federal.
A coluna tem informações que o governador ficou muito chateado quando descobriu a manobra feita por esses dois partidos da sua base aliada que, inclusive, realizaram suas convenções dia 02 de agosto, bem antes do dia 05, que foi quando o partido de Belivaldo e a grande maioria dos aliados promoveram suas convenções.
O ex-governador Jackson Barreto (MDB) percebeu essa antecipação da convenção do Podemos e Avante e alertou Belivaldo sobre isso. Pelo visto, foi em vão...
Na formação das coligações Belivaldo foi o pré-candidato a governador mais afetado por ações políticas de aliados, uma vez que além de não contar com Podemos e Avante na coligação chegou a perder os partidos aliados PDT e PRB, que foram para a oposição.  
Trocando em miúdos, o que estamos vendo nesta eleição é que o projeto pessoal de dirigentes de partidos é mais importante que o projeto do agrupamento...

O pré-candidato a governador Beli valdo Chagas (PSD) encerrou a sua  convenção partidária no domingo (05) ciente que a sua coligação teria nove partidos: PSD, PT, MDB, PCdoB, PP, DC (antigo PSDC), PHS, Podemos e Avante. E que haveria apenas uma chapinha para deputado estadual entre Podemos/Avante.
Inicialmente se fechou um entendimento de uma chapinha com Podemos, Avante, PSDC e PHS. Mas, depois, após protesto do PCdoB que também defendia chapinha, mas concordou com o chapão antes da definição da chapinha, ficou acordado que o PSDC e PHS iriam para o chapão e fariam chapinha para a Assembleia apenas Podemos e Avante.
Quando o PSD foi fechar a ata na segunda-feira, prazo final para registro no Tribunal Regional Eleitoral (TRE), descobriu que o Podemos e Avante fecharam uma chapinha com PMN e Patriota para deputado federal e deputado estadual.
O problema é que o PMN tem candidato a governador, que é Milton Andrade. Em razão disso, o Podemos e Avante não vão poder estar na coligação majoritária de Belivaldo Chagas e, muito menos, fazer propaganda oficial para ele.
No programa eleitoral gratuito no rádio e na televisão os candidatos do Podemos e do Avante não vão poder pedir votos para Belivaldo, mesmo tendo definido em convenção que não vão se coligar nem apresentar candidato próprio a governador.
O Podemos é presidido em Sergipe pelo ex-secretário da Saúde e Inclusão Social, Zezinho Sobral, que é pré-candidato a deputado estadual. Já o Avante tem como presidente o ex-vereador de Aracaju, Valdir Santos, que é pré-candidato a deputado federal.
A coluna tem informações que o governador ficou muito chateado quando descobriu a manobra feita por esses dois partidos da sua base aliada que, inclusive, realizaram suas convenções dia 02 de agosto, bem antes do dia 05, que foi quando o partido de Belivaldo e a grande maioria dos aliados promoveram suas convenções.
O ex-governador Jackson Barreto (MDB) percebeu essa antecipação da convenção do Podemos e Avante e alertou Belivaldo sobre isso. Pelo visto, foi em vão...
Na formação das coligações Belivaldo foi o pré-candidato a governador mais afetado por ações políticas de aliados, uma vez que além de não contar com Podemos e Avante na coligação chegou a perder os partidos aliados PDT e PRB, que foram para a oposição.  
Trocando em miúdos, o que estamos vendo nesta eleição é que o projeto pessoal de dirigentes de partidos é mais importante que o projeto do agrupamento...

Só chapão

Com a decisão do Podemos e Avante em se coligar na proporcional com PMN e Patriota, a coligação de Belivaldo Chagas ficou apenas com sete partidos: PSD, PT, MDB, PCdoB, PP, DC e PHS. Com isso, não tem chapinha alguma, apenas chapão para deputado federal e deputado estadual.

Ficou no governo

O secretário de Turismo, Cincinato Jr (DC), não acompanhou o presidente estadual do PDT, Fábio Henrique, na ida para o agrupamento político de Eduardo Amorim (PSDB) e André Moura (PSC), onde emplacou a mulher, a deputada estadual Silvia Fontes (PDT), como vice de Eduardo. Ele permaneceu na base do governo e foi quem articulou o DC e PHS para a coligação de Belivaldo Chagas.

Mais tempo de TV

Essa coligação de Belivaldo tem hoje 16 pré-candidatos a deputado federal e 46 pré-candidatos a deputado estadual, devendo acrescentar mais dois nomes até o dia 15, prazo final para registro de candidaturas. Ela terá o maior tempo no programa eleitoral gratuito no rádio e na televisão, em torno de 43%, por reunir os maiores partidos do país.

Suplentes 1

Ontem à noite, no Conjunto Marcos Freire III, o pré-candidato a senador Rogério Carvalho (PT), anunciou o nome da vereadora Maria da Taiçoca como sua suplente.  Rogério diz que é um "orgulho" tê-la como suplente. O primeiro suplente do petista é Jorge Mitidieri.

Suplentes 2

Os suplentes do pré-candidato a senador Jackson Barreto (MDB) são Sérgio Gama, filho de João Augusto Gama (MDB), e Filadelfo Alexandre (MDB), ex-vice-prefeito de Estância.

Apoio em Estância

Com a perda do aliado Ivan Leite (PRB) em Estância, que foi ser vice de Eduardo Amorim (PSDB), Belivaldo Chagas, Jackson Barreto e Rogério Carvalho vão contar com o apoio no município de Filádelfo, do ex-prefeito Zé Nelson e das lideranças do PT. O prefeito Gilson Andrade (PTC) apoia Eduardo Amorim e o ex-prefeito Carlos Magno apoia Valadares Filho (PSB).  

Prestigiando Lula

Várias lideranças políticas de Sergipe vão marcar presença em Brasília, no próximo dia 15 de agosto, para o ato de registro de candidatura do ex-presidente Lula (PT) a presidente da República. Entre eles, o governador Belivaldo Chagas e o ex-governador Jackson Barreto, e os petistas Eliane Aquino, Márcio Macedo, Rogério Carvalho e João Daniel.

Nova pesquisa

Mais uma pesquisa eleitoral para governador, senador, deputado federal e deputado estadual está sendo feita em Sergipe. O Alo Sergipe entrou com registro da pesquisa no Tribunal Regional Eleitoral, no último dia 3. As entrevistas ocorreram de 02 a 05 de agosto, com 1.200 entrevistados, e a divulgação ocorrerá no próximo dia 9. 

O jumento prefeito 1

Ainda repercute nas redes sociais reportagem exibida no Fantástico, no último domingo, mostrando um comércio de diplomas de mérito para vereadores, prefeitos e secretários municipais envolvendo as empresas União Brasileira de Divulgação (UBD), de Pernambuco, e o Instituto Tiradentes, de Minas Gerais. Isso porque o prefeito Valmir Monteiro (PSC/Lagarto) foi homenageado recentemente, em Recife, pela UBD, como um dos 100 melhores prefeitos do país.

O jumento prefeito 2

Foi mostrado que políticos pagam a essas empresas, com recursos públicos, para serem premiados, e que até um jumento chamado "Precioso" esteve entre os "100 melhores prefeitos do Brasil", após negociação financeira feita pela reportagem. E que o Ministério Público do Rio Grande do Sul começou a investigar os políticos gaúchos que são suspeitos de usarem recursos públicos para conquistar as premiações.  

O prefeito jumento 3

Com o escândalo mostrado pelo Fantástico, a deputada estadual Goretti Reis (PSD) disse que vai acionar a Justiça para investigar se o prefeito Valmir Monteiro pagou, com recursos públicos, a empresa União Brasileira de Divulgação para ser premiado.

Na disputa 1

Cinco vereadores de Aracaju estarão participando diretamente das eleições deste ano. São pré-candidatos a deputado federal Élber Batalha (PSB) e Emília Correia (Patriota);  e a deputado estadual Isaac (PCdoB) e Manuel Marcos (PSDB). Américo de Deus é pré-candidato a vice-governador (Rede).

Na disputa 2

Alguns ex-vereadores vão tentar uma cadeira na Assembleia Legislativa. Entre eles: Valdir dos Santos (Avante), Daniel Fortes (PPS) e Agamenon Sobral (Avante).

Desabafo

Do pré-candidato a deputado estadual Esmeraldo Leal (PT), ex-secretário da Agricultura: "Fechadas as coligações, já pude perceber a empáfia de alguns caciques da política, comemorando de antemão suas vitórias. Só quero alertá-los de que a decisão final é do eleitor, do POVO. E de que esse povo organizado pode surpreender, votando em candidatos que vieram do povo, que o conheçam e possam coerentemente representá-lo. Como um desses candidatos, forjado na luta, estou pronto. E como essa luta é desigual, entre um trabalhador e oligarcas, vou precisar de todos e todas que, como eu, desejam uma sociedade mais justa e igualitária. Seja LEAL, e venceremos!".

Para o Planalto

A eleição presidencial terá sete candidatos com menos de 15 segundos para pedir votos em cada bloco do horário eleitoral fixo. Entre eles, Jair Bolsonaro (PSL), Guilherme Boulos (PSOL), Cabo Daciolo (Patriota), José Maria Eymael (DC), Vera Lúcia (PSTU), João Goulart Filho (PPL) e João Amoêdo (Novo). Eles vão ter de atuar no estilo "Enéas", um candidato a presidente da República que com apenas alguns segundos dizia uma frase e aos gritos usava o bordão "meu nome é Enéas".

Veja essa ...

Do vice de Jair Bolsonaro (PSL), general da reserva Antonio Hamilton Mourão (PRTB), durante evento da Câmara da Indústria e Comércio de Caxias do Sul (RS): "O Brasil herdou a indolência dos indígenas e a malandragem dos africanos". Essa dupla é realmente o caos...

Curtas

Foi sancionada e publicada no Diário Oficial da União (DOU) de ontem a Lei 13.702/18 autorizando a inclusão de todas as bacias hidrográficas de Sergipe, envolvendo todos os municípios sergipanos no mapa de atuação da Codevasf.

O deputado federal André Moura (PSC), que encampou esta luta junto ao Governo Federal, comemorou mais uma vitória para Sergipe. "Mais uma vitória para os agricultores de Sergipe, mais uma conquista. Agora podemos contar com todas as ações do órgão nos 75 municípios sergipanos", comemorou. 

Tomaram posse ontem os procuradores que foram eleitos conselheiros da Procuradoria-Geral do Município (PGM). A cerimônia ocorreu na sede da PGM de Aracaju e contou com a presença do procurador-geral Netônio Machado e do sub-procurador Thiago Carneiro.

Mais dois municípios decretaram situação de emergência por conta da longa estiagem: Nossa Senhora de Lourdes e São Miguel do Aleixo. Agora são 14 municípios em estado de emergência.

Líderes da disputa eleitoral para as eleições, Jair Bolsonaro e Lula persistem em acirrado duelo pela atração de seguidores em suas páginas oficiais no Facebook.

Os dois estiveram praticamente empatados, de 07 de julho a 06 de agosto, quanto às taxas de engajamento que obtiveram, mantendo expressiva distância dos demais atores da corrida presidencial, com João Amoêdo bem atrás da dupla.