Perda de aliados

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto
Na noite da terça-feira, o pré-candidato a governador Belivaldo Chagas (PSD) recebeu o apoio da presidente da Câmara Municipal de Nossa Senhora do Socorro, Maria da Taiçoca. A vereadora, que é candidata suplente ao Senado de Rogério Carvalho (PT), reuniu
Na noite da terça-feira, o pré-candidato a governador Belivaldo Chagas (PSD) recebeu o apoio da presidente da Câmara Municipal de Nossa Senhora do Socorro, Maria da Taiçoca. A vereadora, que é candidata suplente ao Senado de Rogério Carvalho (PT), reuniu

Clique nas imagens para ampliar

Publicada em 09/08/2018 às 08:14:00

 

Até o momento, o pré-candidato a governador Belivaldo Chagas (PSD) foi o que mais perdeu aliados nesse processo eleitoral. A primeira baixa foi o deputado estadual Gustinho Ribeiro (SD), depois o PRB e por último o PDT.
Se for analisar melhor essas baixas, será possível ver que elas não vão comprometer o seu projeto de continuar à frente do governo do estado nos próximos quatro anos.
Em Lagarto mesmo, base eleitoral de Gustinho Ribeiro, Belivaldo conta com o apoio da família Reis composta pelo deputado federal Fábio Reis (MDB), a deputada estadual Goretti Reis (PSD), o ex-prefeito Jerônimo Reis (MDB) e o ex-deputado federal Sérgio Reis (Podemos). Os Reis são uma força política não só em Lagarto, mas na região centro-sul.
A base eleitoral do PRB é no sertão, com a grande influência política do ex-prefeito Heleno Silva e do deputado federal Jony Marco. Nessa região, Belivaldo tem o apoio político do ex-prefeito de Glória, Serginho Oliveira, e do prefeito Chico do Correio (PT), que faz uma gestão muito bem avaliada pela população.
Até a decisão do ex-prefeito de Estância, Ivan Leite (PRB), de acompanhar o partido e ser vice do pré-candidato a governador Eduardo Amorim (PSDB) não comprometeu muito.  Isso porque Belivaldo terá no município o apoio do ex-prefeito José Nelson, do ex-vice-prefeito Filádelfo e de lideranças do PT, a exemplo de Dominguinhos do PT.
A ida do PDT, presidido pelo ex-prefeito Fábio Henrique, para o agrupamento político dos Valadares também não vai provocar baixas. É que Belivaldo ganhou o apoio do ex-prefeito José Franco (PSDB), que é a maior liderança política em Socorro. Sem falar que ele tem o apoio do prefeito padre Inaldo (PCdoB) e conseguiu o apoio da presidente da Câmara Municipal, Maria da Taiçoca, que é uma liderança forte no município.
Além de José Franco, o governador também conquistou o apoio do ex-aliado de Eduardo Amorim, o suplente de senador do tucano Laurinho Menezes. Também conseguiu o apoio do prefeito de Pacatuba, Alexandre Martins, que é do PSC do deputado federal André Moura, e do prefeito de Muribeca, Fernandinho Franco (PSDB), que é do partido de Eduardo.
Em Pacatuba, Belivaldo Chagas ainda tem o apoio político da ex-prefeita Diva.
Trocando em miúdos ninguém subestime a capacidade política do "galeguinho", que tem dito em suas falas que "traíra não monta no meu cangote, tenho pescoço grosso"...

Até o momento, o pré-candidato a governador Belivaldo Chagas (PSD) foi o que mais perdeu aliados nesse processo eleitoral. A primeira baixa foi o deputado estadual Gustinho Ribeiro (SD), depois o PRB e por último o PDT.
Se for analisar melhor essas baixas, será possível ver que elas não vão comprometer o seu projeto de continuar à frente do governo do estado nos próximos quatro anos.
Em Lagarto mesmo, base eleitoral de Gustinho Ribeiro, Belivaldo conta com o apoio da família Reis composta pelo deputado federal Fábio Reis (MDB), a deputada estadual Goretti Reis (PSD), o ex-prefeito Jerônimo Reis (MDB) e o ex-deputado federal Sérgio Reis (Podemos). Os Reis são uma força política não só em Lagarto, mas na região centro-sul.
A base eleitoral do PRB é no sertão, com a grande influência política do ex-prefeito Heleno Silva e do deputado federal Jony Marco. Nessa região, Belivaldo tem o apoio político do ex-prefeito de Glória, Serginho Oliveira, e do prefeito Chico do Correio (PT), que faz uma gestão muito bem avaliada pela população.
Até a decisão do ex-prefeito de Estância, Ivan Leite (PRB), de acompanhar o partido e ser vice do pré-candidato a governador Eduardo Amorim (PSDB) não comprometeu muito.  Isso porque Belivaldo terá no município o apoio do ex-prefeito José Nelson, do ex-vice-prefeito Filádelfo e de lideranças do PT, a exemplo de Dominguinhos do PT.
A ida do PDT, presidido pelo ex-prefeito Fábio Henrique, para o agrupamento político dos Valadares também não vai provocar baixas. É que Belivaldo ganhou o apoio do ex-prefeito José Franco (PSDB), que é a maior liderança política em Socorro. Sem falar que ele tem o apoio do prefeito padre Inaldo (PCdoB) e conseguiu o apoio da presidente da Câmara Municipal, Maria da Taiçoca, que é uma liderança forte no município.
Além de José Franco, o governador também conquistou o apoio do ex-aliado de Eduardo Amorim, o suplente de senador do tucano Laurinho Menezes. Também conseguiu o apoio do prefeito de Pacatuba, Alexandre Martins, que é do PSC do deputado federal André Moura, e do prefeito de Muribeca, Fernandinho Franco (PSDB), que é do partido de Eduardo.
Em Pacatuba, Belivaldo Chagas ainda tem o apoio político da ex-prefeita Diva.
Trocando em miúdos ninguém subestime a capacidade política do "galeguinho", que tem dito em suas falas que "traíra não monta no meu cangote, tenho pescoço grosso"...

Zé Franco no governo 1

Manoel do Prado Franco Neto, filho do ex-prefeito José Franco (PSDB-Nossa Senhora do Socorro), foi nomeado ontem para assumir a Secretaria de Turismo comandada anteriormente pelo ex-prefeito Fábio Henrique (PDT), que deixou o governo para se aliar aos Valadares e emplacar sua mulher, a deputada estadual Silvia Fontes (PDT), como vice de Valadares Filho (PSB). A sua nomeação, que já era esperada, foi publicada no Diário Oficial dessa quarta-feira, 08.

Zé Franco no governo 2

A nomeação de Manoelito, como é chamado, já é fruto de um entendimento político entre o governador Belivaldo Chagas e José Franco. Zé Franco, que retornou de viagem, deve deixar o ninho tucano nos próximos dias. Ele rompeu politicamente com o senador Eduardo Amorim, presidente do PSDB, por não ter sido ouvido no processo eleitoral como ex-presidente da legenda que cedeu o posto para que se filiasse e comandasse a sigla no estado.

Zé Franco no governo 3

Como a coluna já registrou, José Franco declarou a amigos que nas eleições deste ano vai mostrar força e prestigio político ao levar 21 [dos 24] vereadores de Socorro para apoiar Belivaldo Chagas e André Moura, assim como 13 ex-vereadores. "Vou fechar Socorro em apoio a Belivaldo e André. Vou gastar sola de sapato para eleger os dois", chegou a afirmar.

Remanejado

Cincinato Jr, que estava interino na Secretaria de Turismo, permanecerá no governo em uma função ligada diretamente ao governador Belivaldo Chagas. Ele, que era adjunto de Fábio Henrique no Turismo, não acompanhou o ex-prefeito na ida para a oposição.

Nota 1

Ontem a assessoria de Eduardo Amorim encaminhou nota à coluna dizendo que o prefeito de Pacatuba, Alexandre Martins (PSC), segue apoiando a candidatura de Eduardo para o Governo do Estado. Informa que ele desmentiu a informação de que apoiaria apenas a candidatura de André ao Senado no grupo de oposição e seguiria Belivaldo para o governo como informou ontem a coluna.

Nota 2

Segundo a nota, o prefeito declarou que segue na oposição ao governo estadual e tem compromisso com a candidatura a governador de Eduardo Amorim. Uma fonte do governo reafirmou apoio de Alexandre a Belivaldo.

Nota 3

Ainda na nota, é colocado que Eduardo Amorim também contará com apoio de prefeitos do MDB, partido que integra a coligação da base do governador Belivaldo Chagas. Foi colocado que a prefeita Cândida Leite (Riachuelo) e o prefeito Edson Cruz (Santa Luzia do Itanhy) já declararam que votarão em Eduardo Amorim para o Governo do Estado.

No gabinete 1

O senador Eduardo Amorim recebeu ontem em seu gabinete, em Brasília,  os prefeitos Junior Barrozo (PSC- Santana de São Francisco) e Edson Cruz (PMDB-Santa Luzia do Itanhy); e o presidente da Federação dos Municípios do Estado de Sergipe (FAMES), Marcos José Barreto. Na ocasião, eles discutiram assuntos relacionados ao desenvolvimento dos municípios.

No gabinete 2

"Essa é uma luta constante nossa junto aos gestores municipais. Sabemos das dificuldades, mas não temos o direito de desistir. Pelo contrário, vamos seguir lutando e acreditando. Estou e estarei sempre à disposição para qualquer necessidade. Esse gabinete é nosso, e ele se manterá de portas escancaradas para atender a todos, independente de cor partidária", enfatizou Eduardo.

Na tribuna da Câmara

O deputado Valadares Filho (PSB-SE), em pronunciamento feito ontem na Tribuna da Câmara, apontou soluções para saúde, educação, segurança pública e desemprego em Sergipe. "Só conseguiremos sair dessa crise a que fomos levados, se tivermos um olhar moderno, atento e ágil para atrair empreendimentos importantes, pensando o futuro de uma forma diferente e isso trará como consequência o aumento do nosso PIB e a geração de emprego e renda", afirmou sobre uma saída para a crise econômica.

 

Cassado

Por 5 x 2, o Pleno do Tribunal Regional Eleitoral (TRE) manteve a cassação ontem do mandato do prefeito de Poço Redondo, Júnior Chagas (PRB) e do seu vice, pela acusação de compra de votos nas eleições de 2016. A sua assessoria jurídica vai recorrer.

Primeiros registros

O TRE já deferiu os primeiros pedidos de registro de candidaturas para as eleições 2018.  São os 28 nomes de candidatos do PSOL e 02 do NOVO. Os dois candidatos do partido NOVO postulam o cargo de deputado federal. Já o PSOL apresentou registro de candidaturas às vagas de governador (Márcio Souza), vice-governador (Simone Rocha), senador (Josimário Mick e Sônia Meire), 1º e 2º suplentes, deputado federal e deputado estadual.

Limite de gastos 1

O TRE informou ontem os gastos permitidos em relação as campanhas eleitorais nas eleições 2018, conforme Resolução TSE 23.553/2017. Para presidente da República o limite de gastos de campanha será de R$ 70 milhões no 1º turno e em caso de 2º  turno o limite de gastos de campanha será de R$ 35 milhões.

Limite de gastos 2

Quanto ao cargo de governador de Sergipe, considerando o eleitorado de 1.572.064 aptos a votar, o montante limite de gastos será de R$ 4,9 milhões (1º turno) e 2,450 milhões (2º turno).  Já para o cargo de senador o limite de gastos será de R$ 2.5 milhões, para deputado federal R$ 2.5 milhões e para do deputado estadual R$ 1 milhão.

Veja essa ...

Em sessão administrativa na noite de ontem, os ministros do STF (Supremo Tribunal Federal) aprovaram, por 7 votos a 4, a inclusão do reajuste de 16,38% nos próprios salários na proposta de Orçamento para o próximo ano sob alegação de que estão com seus salários defasados. O salário dos ministros hoje é de R$ 33 mil e serve como teto para todo o funcionalismo público. A concessão do aumento salarial depende de aprovação de projeto de lei pelo Congresso Nacional. Se o salário dos ministros estão defasados imagine os dos servidores públicos que estão há anos sem reajuste.

Curtas

O pré-candidato ao Senado Jackson Barreto (MDB) recebeu ontem o apoio do ex-presidente do Sindicato dos Trabalhadores nos Serviços Públicos do Estado de Sergipe (Sintrase), Waldir Rodrigues. O sindicalista justifica o apoio a atuação de JB para implantação do Plano de Cargos, Carreiras e Vencimentos, o PCCV dos servidores públicos.

Jackson Barreto foi destaque ontem no jornal Estadão por se manter contrário ao impeachment da ex-presidenta Dilma Rousseff.  O jornal  traçou panorama das alianças do Partido dos Trabalhadores (PT) para as eleições de 2018 e ressaltou o posicionamento de JB, governador do Estado à época.

Felipe Melo de Oliveira vai disputar mandato de deputado estadual pelo PP com o número que o deputado estadual Venâncio Fonseca usou por várias eleições quando comandava o partido em Sergipe. Hoje Venâncio está no PSC e o PP está sob o comando do deputado federal Laércio Oliveira.

A coluna publicou ontem que Fábio Henrique tinha deixado o governo e ido para o agrupamento político de Eduardo Amorim e André Moura. A coluna e o Sergipe todo sabem que o PDT se coligou com o PSB dos Valadares, portanto, foi só um pequeno equívoco.

Na manhã de hoje o secretário Rosman Pereira (Planejamento, Orçamento e Gestão) concede entrevista coletiva à imprensa sobre a posição oficial do Governo do Estado com relação a liminar concedida pelo juiz Manoel Costa Neto anulando Concurso de Soldado da Polícia Militar. Será às 7h45, em seu gabinete na Seplag.