Novos protestos ampliam agenda de luta no Dia do Basta em Sergipe

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Publicada em 10/08/2018 às 08:33:00

 

No Dia do Basta, nesta sexta-feira, trabalhadores de todo Brasil realizam protestos contra o aumento do desemprego, a volta da miséria no Brasil, o aumento do preço do gás de cozinha e dos combustíveis, o aumento da mortalidade infantil, a prisão política de Lula, a retirada de direitos da classe trabalhadora, os cortes das políticas públicas, os cortes na saúde e educação, a desvalorização dos servidores públicos, as privatizações, a favor da democracia, da soberania nacional e em defesa das eleições 2018.
Em Sergipe, sindicatos filiados à Central Única dos Trabalhadores (CUT/SE) passaram a semana mobilizando suas bases para a construção do Dia do Basta. Ao fim desta quinta-feira, 9/8, a agenda de luta no turno da manhã foi ampliada. Confira:
Às 6h da manhã, em frente à Fábrica de Fertilizantes da Petrobrás - FAFEN, acontece o primeiro protesto do Dia do Basta, Dia Nacional de Luta.
Não haverá aula em nenhum município de Sergipe nas escolas da Rede Municipal e Estadual. A paralisação do SINTESE e SINDIPEMA cumpre orientação da Confederação Nacional dos Trabalhadores da Educação (CNTE) que mobilizou professores em todo o Brasil a participar dos protestos.
Em Aracaju, a partir das 15h, na Praça General Valadão, a Frente Brasil Popular, composta por sindicatos, centrais sindicais, movimento estudantil e movimentos sociais de trabalhadores do campo e da cidade, vai construir um grande protesto. Servidores públicos filiados à FETAM/CUT (Federação dos Trabalhadores do Serviço Público Municipal) confirmaram que vão viajar até Aracaju para participar do Dia do Basta.

No Dia do Basta, nesta sexta-feira, trabalhadores de todo Brasil realizam protestos contra o aumento do desemprego, a volta da miséria no Brasil, o aumento do preço do gás de cozinha e dos combustíveis, o aumento da mortalidade infantil, a prisão política de Lula, a retirada de direitos da classe trabalhadora, os cortes das políticas públicas, os cortes na saúde e educação, a desvalorização dos servidores públicos, as privatizações, a favor da democracia, da soberania nacional e em defesa das eleições 2018.
Em Sergipe, sindicatos filiados à Central Única dos Trabalhadores (CUT/SE) passaram a semana mobilizando suas bases para a construção do Dia do Basta. Ao fim desta quinta-feira, 9/8, a agenda de luta no turno da manhã foi ampliada. Confira:
Às 6h da manhã, em frente à Fábrica de Fertilizantes da Petrobrás - FAFEN, acontece o primeiro protesto do Dia do Basta, Dia Nacional de Luta.
Não haverá aula em nenhum município de Sergipe nas escolas da Rede Municipal e Estadual. A paralisação do SINTESE e SINDIPEMA cumpre orientação da Confederação Nacional dos Trabalhadores da Educação (CNTE) que mobilizou professores em todo o Brasil a participar dos protestos.
Em Aracaju, a partir das 15h, na Praça General Valadão, a Frente Brasil Popular, composta por sindicatos, centrais sindicais, movimento estudantil e movimentos sociais de trabalhadores do campo e da cidade, vai construir um grande protesto. Servidores públicos filiados à FETAM/CUT (Federação dos Trabalhadores do Serviço Público Municipal) confirmaram que vão viajar até Aracaju para participar do Dia do Basta.