Começam os debates

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto
O pré-candidato a senador Heleno Silva (PRB) está dando o que falar nas redes sociais por gravar vídeos criticando o governo Michel Temer, que tem o apoio da sua chapa majoritária. No vídeo que postou Heleno diz: \"É lamentável o que o governo Temer e
O pré-candidato a senador Heleno Silva (PRB) está dando o que falar nas redes sociais por gravar vídeos criticando o governo Michel Temer, que tem o apoio da sua chapa majoritária. No vídeo que postou Heleno diz: \"É lamentável o que o governo Temer e

Clique nas imagens para ampliar

Publicada em 10/08/2018 às 08:46:00

 

A TV Bandeirantes promoveu ontem 
à noite, às 22h, o primeiro debate 
com candidatos à Presidência da República nas eleições deste ano.  Sem o ex-presidente Lula (PT) o debate teve a participação de oito dos 13 candidatos, todos de coligações com no mínimo cinco congressistas, obrigados a serem convidados pela lei eleitoral.   
Estiveram presentes Alvaro Dias (Podemos), Cabo Daciolo (Patriota), Ciro Gomes (PDT), Geraldo Alckmin (PSDB), Guilherme Boulos (PSOL), Henrique Meirelles (MDB), Jair Bolsonaro (PSL) e Marina Silva (Rede).
Ao longo de cinco blocos, os candidatos responderam a perguntas de eleitores, jornalistas e de concorrentes. O debate foi mediado pelo jornalista Ricardo Boechat.
Até o primeiro turno das eleições, em 7 de outubro, outras emissoras e veículos promoverão debates com candidatos à Presidência e aos governos estaduais.
Em Sergipe, as TV´s Atalaia e Sergipe também vão promover debate com os candidatos a governador, como ocorre a cada eleição. As regras ainda serão discutidas com os assessores dos candidatos.
O debate da TV Atalaia será no dia 28 de setembro e o da TV Sergipe no dia 2 de outubro
O debate é o momento da campanha em que os candidatos estão mais expostos. O eleitor pode conhecê-los de uma forma que não conseguiria pelas propagandas. Nas propagandas, toda a atenção está voltada para o candidato e tudo já foi preparado para que ele transmita uma boa imagem.
Já em um debate, essa atenção é dividida com os adversários. Nada está posto: o candidato pode sair muito bem, ou muito mal na foto. Melhor ou pior do que seus concorrentes. Tudo depende de sua capacidade.
O fator improviso é mais um elemento que torna o debate um momento muito especial. Não há como fugir: em um programa transmitido para milhares de pessoas, cujo "roteiro" (ordem e teor dos temas e perguntas) é definido na hora, os candidatos têm grandes chances de serem pegos de surpresa. Para além de preparo prévio e de propostas consistentes, é preciso muito traquejo para elaborar boas respostas.
Trocando em miúdos, o debate é um espaço de confronto de ideias, uma grande oportunidade do eleitor comparar os posicionamentos dos candidatos e alcançar conclusões mais contundentes a respeito deles.
É importante o eleitor assistir...

A TV Bandeirantes promoveu ontem  à noite, às 22h, o primeiro debate  com candidatos à Presidência da República nas eleições deste ano.  Sem o ex-presidente Lula (PT) o debate teve a participação de oito dos 13 candidatos, todos de coligações com no mínimo cinco congressistas, obrigados a serem convidados pela lei eleitoral.   
Estiveram presentes Alvaro Dias (Podemos), Cabo Daciolo (Patriota), Ciro Gomes (PDT), Geraldo Alckmin (PSDB), Guilherme Boulos (PSOL), Henrique Meirelles (MDB), Jair Bolsonaro (PSL) e Marina Silva (Rede).
Ao longo de cinco blocos, os candidatos responderam a perguntas de eleitores, jornalistas e de concorrentes. O debate foi mediado pelo jornalista Ricardo Boechat.
Até o primeiro turno das eleições, em 7 de outubro, outras emissoras e veículos promoverão debates com candidatos à Presidência e aos governos estaduais.
Em Sergipe, as TV´s Atalaia e Sergipe também vão promover debate com os candidatos a governador, como ocorre a cada eleição. As regras ainda serão discutidas com os assessores dos candidatos.
O debate da TV Atalaia será no dia 28 de setembro e o da TV Sergipe no dia 2 de outubro
O debate é o momento da campanha em que os candidatos estão mais expostos. O eleitor pode conhecê-los de uma forma que não conseguiria pelas propagandas. Nas propagandas, toda a atenção está voltada para o candidato e tudo já foi preparado para que ele transmita uma boa imagem.
Já em um debate, essa atenção é dividida com os adversários. Nada está posto: o candidato pode sair muito bem, ou muito mal na foto. Melhor ou pior do que seus concorrentes. Tudo depende de sua capacidade.
O fator improviso é mais um elemento que torna o debate um momento muito especial. Não há como fugir: em um programa transmitido para milhares de pessoas, cujo "roteiro" (ordem e teor dos temas e perguntas) é definido na hora, os candidatos têm grandes chances de serem pegos de surpresa. Para além de preparo prévio e de propostas consistentes, é preciso muito traquejo para elaborar boas respostas.
Trocando em miúdos, o debate é um espaço de confronto de ideias, uma grande oportunidade do eleitor comparar os posicionamentos dos candidatos e alcançar conclusões mais contundentes a respeito deles.
É importante o eleitor assistir...

 Não terá registro

A coluna recebeu a informação que a primeira suplente do senador Antônio Carlos Valadares (PSB) nas eleições deste ano, Cris Araújo Teixeira, não poderá registrar sua candidatura. É que no período estabelecido pela legislação eleitoral ela não se desincompatibilizou de um cargo que tem na rádio Rio FM, em Porto da Folha, de propriedade do marido Teixeira dos Caminhões. Em sendo verdade, Valadares terá que encontrar um outro primeiro suplente de posse.

A fama

Teixeira Caminhões ficou famoso no estado após ter concedido entrevista na Rio FM acusando o deputado federal André Moura (PSC) de "torcer" pela derrota do pré-candidato a governador Eduardo Amorim (PSDB) nas eleições deste ano. Chegou a explicar que André sendo eleito senador, onde terá mandato de oito anos, poderá concorrer ao governo do estado em 2022.

Próxima quinta

Está na pauta do Superior Tribunal de Justiça (STJ) do próximo dia 16 de agosto o julgamento do agravo em recurso especial do pré-candidato ao Senado, Rogério Carvalho (PT), relacionado à condenação de improbidade administrativa quando era secretário da Saúde. Será julgado pela Primeira Turma, às 14h.

O quadro 1

Em 12 de abril deste ano Rogério teve liminar negada pelo STJ em recurso impetrado contra condenação em ação de improbidade administrativa movida pelo Ministério Público de Sergipe.

O quadro 2

Segundo um advogado consultado pela coluna, se Rogério perder estará inelegível nas eleições deste ano e, consequentemente, terá sua candidatura indeferida pelo Tribunal Regional Eleitoral (TRE).

Posse no turismo 1

Acontece nesta sexta-feira a posse de Manoelito Franco como secretário de Turismo, e de Cacau Franco como presidente da Empresa Sergipana de Turismo (Emsetur).  A solenidade ocorrerá às 9h, no Real Classic Hotel, na orla de Aracaju.

Posse no turismo 2

A posse de Manoelito e Cacau, filho e primo do ex-prefeito Zé Franco (PSDB-Nossa Senhora do Socorro), faz parte de um acordo político entre o tucano e o governador Belivaldo Chagas (PSD). Zé Franco terá agora o comando da Secretaria de Turismo, que já esteve à frente o seu hoje adversário político Fábio Reis (PDT), ex-prefeito de Socorro.

Cabide de emprego

Quando esteve no comando da Secretaria de Turismo, Fábio Henrique nomeou sete ex-secretários da sua gestão como prefeito de Socorro. Alguns já foram exonerados desde quando deixou o governo para se aliar aos Valadares (PSB), a exemplo de Saulo Eloy (ex-secretário da Saúde). Outros serão nos próximos dias.

Selando a aliança

O suplente do senador Eduardo Amorim (PSDB), o empresário Laurinho Menezes (PR), chega hoje de viagem e no final da tarde terá o primeiro encontro com o pré-candidato a governador Belivaldo Chagas (PSD) já na condição de aliado. Foi o advogado Said Schoucair quem viabilizou o entendimento político dos dois, uma vez que é amigo de infância de Laurinho.

Chumbo pela frente

A coluna tem informações de que Laurinho está disposto a gravar depoimentos "bombásticos", que vão acabar beneficiando Belivaldo Chagas. "Ele vai somar muito à campanha de Belivaldo", declarou a fonte.

O motivo

A coluna tem informações que o rompimento político de Laurinho com Eduardo Amorim teve a ver com a falta de cumprimento de acordo político. Pelo acordo, que passou pela viabilidade de uma certa quantia em dinheiro para a campanha eleitoral de 2010, Eduardo, sendo eleito senador, deixaria o empresário assumir mandato de um ano nos primeiros quatro anos no Senado e mais um ano durante os outros quatro anos de mandato.   Só que não foi cumprido, pois o empresário só assumiu por 120 dias.

Fundo partidário 1

A Resolução TSE nº 23.568/18 estabeleceu as diretrizes gerais para a gestão e a repartição do Fundo Especial de Financiamento de Campanha (FEFC), que é distribuído aos diretórios nacionais dos partidos políticos para financiamento de campanhas eleitorais. O fundo integra o Orçamento Geral da União  e  o seu  montante é de R$ 1.7 bilhão.

Fundo partidário 2

Os partidos que vão receber a maior parte do fundo são MDB de Jackson Barreto (R$ 230 milhões, com 21 parlamentares no Senado e 61 na Câmara), PT de Rogério Carvalho (R$ 212 milhões, com 9 representantes no Senado e 61 na Câmara), PSDB de Eduardo Amorim (R$ 185 milhões, com 12 no Senado e 48 na Câmara), PP de Laércio Oliveira (R$ 131milhões, com 6 representantes no Senado e 44 na Câmara).

Fundo partidário 3

Os critérios, a serem fixados pela direção executiva nacional de cada partido, devem prever a obrigação de se aplicar, no mínimo, 30% (trinta por cento) do total recebido do fundo no custeio de campanhas eleitorais de candidatas do respectivo partido ou da coligação.

Veja essa ...

Na ata da convenção partidária já registrada no Tribunal Regional Eleitoral (TRE) o PDT registrou como candidato a deputado estadual o motorista de Fábio Henrique, Marcos Santos Silva, com o número que a deputada estadual Silvia Fontes (PDT), sua esposa, foi eleita em 2014. Segundo uma fonte, isso foi estratégia de Fábio para analisar a possibilidade de colocar na vaga o seu irmão Adilson Júnior, vice-prefeito de São Cristovão.

...e essa...

Ainda de acordo com a fonte Fábio Henrique está aguardando a repartição do Fundo Especial de Financiamento de Campanha (FEFC) para ver a disponibilidade de recursos e a viabilidade da sua candidatura a deputado federal e a do irmão a deputado estadual. Ocorrendo isso, Adilson será o candidato da família a deputado estadual. Como diz o amigo João Fontes é mesmo o "bolsa família".

Curtas

O pré-candidato a governador Valadares Filho (PSB) visitou ontem a Fecomércio visando ouvir os representantes para compreender melhor as demandas do setor produtivo local, conhecendo seus pleitos e as necessidades empresariais, na intenção de elaborar o plano de governo que será apresentado no processo eleitoral deste ano.

Do pré-candidato a senador, Jackson Barreto, ontem, durante entrevista na rádio Luandê, em Tobias Barreto: "Tem candidato aí endinheirado. Está confiando somente no dinheiro porque não tem serviços prestados, não tem obras para apresentar ao povo. Quando chega a eleição, confunde as pessoas com dinheiro".

O governador Belivaldo Chagas (PSD) anunciou ontem que na próxima semana irá encaminhar o projeto de lei para Assembleia Legislativa garantindo a estabilidade do emprego dos servidores da FHS.

Mesmo como vice-prefeito de São Cristovão, Adilson Júnior pode concorrer a uma cadeira na Assembleia Legislativa desde que nesse período eleitoral não assuma mandato de prefeito.