Disputa de quadrilhas motivou crimes na Hermes Fontes, diz polícia

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Publicada em 11/08/2018 às 07:31:00

 

Em entrevista coletiva dada na manhã de ontem, delegados do Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), deram detalhes sobre operação deflagrada nesta quinta-feira. O objetivo foi cumprir mandados de prisão e busca e apreensão relacionados a dois homicídios ocorridos em janeiro e março deste ano, na Avenida Hermes Fontes, bairro Grageru (zona sul). A ação é fruto de aproximadamente sete meses de investigação, para apurar os assassinatos de Nivaldo Rocha Cruz Filho, 30 anos, ocorrido no dia 20 de janeiro; e de Alex Santos Silva, 24 anos, em 11 de março. 
As vítimas duas foram mortas na Hermes Fontes, no momento em que saiam de um bar. Segundo o delegado Kássio Viana, há suspeitas de que há mais pessoas envolvidas no caso, "Nós prendemos quatro pessoas e isso não significa que só elas tenham participado dos crimes, temos outras informações que estamos levantando no decorrer da investigação provavelmente a gente chegue a outros participantes também", afirmou.
As primeiras conclusões apontam que o motivo do crime estaria relacionado a uma disputa entre dois grupos rivais que atuavam no tráfico de drogas e em outros crimes na região do bairro Rosa Elze, em São Cristóvão. "Ainda estamos no processo de investigação para saber se tem mais de um mandante, porque as vezes nesse ramo do tráfico muitas pessoas se associam para poder patrocinar a morte e um rival", garantiu o delegado Kássio Viana.
Cinco pessoas já foram presas: David Matheus de Santana, 22 anos (em Aracaju, na 13 de Julho); Robson Rodrigues de Jesus (em Itabaiana); Naelly Cássia Barbosa Santos, 27 anos, que estava em posse de anabolizantes (em Aracaju, no Bairro Olaria); Júlio Nathan Barbosa Santos (em Arapiraca) e Ramon Reis da Silva, de 32 anos, que possui passagem por tráfico de drogas e homicídio (ontem, em Caruaru/PE).
A delegada Thereza Simony reforça a importância dessas prisões para a continuidade das investigações de outras ações criminosas: "Esses presos têm um histórico de tráfico de drogas tanto em Nossa Senhora do Socorro como em Aracaju, com essas prisões, de certa forma, vamos conseguir elucidar outros crimes, porque os familiares das vítimas vão se sentir mais encorajados para fazer denúncias e fazer com que as provas surjam nos autos." completou.
Um total de 60 profissionais, entre delegados, agentes e escrivães participam da operação. O efetivo é composto por policiais das cinco divisões do DHPP, além de equipes da Coordenadoria Polícia Civil da Capital (Copcal), Coordenadoria de Polícia Civil do Interior (Copci) e do Departamento de Narcóticos (Denarc), para o cumprimento de mandados nas cidades de Aracaju, Areia Branca e Itabaiana.

Em entrevista coletiva dada na manhã de ontem, delegados do Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), deram detalhes sobre operação deflagrada nesta quinta-feira. O objetivo foi cumprir mandados de prisão e busca e apreensão relacionados a dois homicídios ocorridos em janeiro e março deste ano, na Avenida Hermes Fontes, bairro Grageru (zona sul). A ação é fruto de aproximadamente sete meses de investigação, para apurar os assassinatos de Nivaldo Rocha Cruz Filho, 30 anos, ocorrido no dia 20 de janeiro; e de Alex Santos Silva, 24 anos, em 11 de março. 
As vítimas duas foram mortas na Hermes Fontes, no momento em que saiam de um bar. Segundo o delegado Kássio Viana, há suspeitas de que há mais pessoas envolvidas no caso, "Nós prendemos quatro pessoas e isso não significa que só elas tenham participado dos crimes, temos outras informações que estamos levantando no decorrer da investigação provavelmente a gente chegue a outros participantes também", afirmou.
As primeiras conclusões apontam que o motivo do crime estaria relacionado a uma disputa entre dois grupos rivais que atuavam no tráfico de drogas e em outros crimes na região do bairro Rosa Elze, em São Cristóvão. "Ainda estamos no processo de investigação para saber se tem mais de um mandante, porque as vezes nesse ramo do tráfico muitas pessoas se associam para poder patrocinar a morte e um rival", garantiu o delegado Kássio Viana.
Cinco pessoas já foram presas: David Matheus de Santana, 22 anos (em Aracaju, na 13 de Julho); Robson Rodrigues de Jesus (em Itabaiana); Naelly Cássia Barbosa Santos, 27 anos, que estava em posse de anabolizantes (em Aracaju, no Bairro Olaria); Júlio Nathan Barbosa Santos (em Arapiraca) e Ramon Reis da Silva, de 32 anos, que possui passagem por tráfico de drogas e homicídio (ontem, em Caruaru/PE).
A delegada Thereza Simony reforça a importância dessas prisões para a continuidade das investigações de outras ações criminosas: "Esses presos têm um histórico de tráfico de drogas tanto em Nossa Senhora do Socorro como em Aracaju, com essas prisões, de certa forma, vamos conseguir elucidar outros crimes, porque os familiares das vítimas vão se sentir mais encorajados para fazer denúncias e fazer com que as provas surjam nos autos." completou.
Um total de 60 profissionais, entre delegados, agentes e escrivães participam da operação. O efetivo é composto por policiais das cinco divisões do DHPP, além de equipes da Coordenadoria Polícia Civil da Capital (Copcal), Coordenadoria de Polícia Civil do Interior (Copci) e do Departamento de Narcóticos (Denarc), para o cumprimento de mandados nas cidades de Aracaju, Areia Branca e Itabaiana.