Um corpo no mundo

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Clique nas imagens para ampliar

Publicada em 13/08/2018 às 07:40:00

 

Um corpo no mundo
Se entre as quatro paredes do estúdio, Luedji Luna equilibra timbres e enunciado, privilegiando o assento crioulo das canções, em cima do palco não é diferente. Há diversos registros de apresentações suas, mais ou menos informais, nos palcos da capital paulista, onde está radicada. Em todos os vídeos, a artista domina a cena, acompanhada por violões com dedilhados cheios de volume, de timbres graves. É a sua palavra preta, a palavra que busca um pedaço de chão ancestral, no entanto, a única dona, o sujeito absoluto da canção. Fica a dica, portanto: Dia 18 de agosto, no Che Music Bar.

Se entre as quatro paredes do estúdio, Luedji Luna equilibra timbres e enunciado, privilegiando o assento crioulo das canções, em cima do palco não é diferente. Há diversos registros de apresentações suas, mais ou menos informais, nos palcos da capital paulista, onde está radicada. Em todos os vídeos, a artista domina a cena, acompanhada por violões com dedilhados cheios de volume, de timbres graves. É a sua palavra preta, a palavra que busca um pedaço de chão ancestral, no entanto, a única dona, o sujeito absoluto da canção. Fica a dica, portanto: Dia 18 de agosto, no Che Music Bar.