Inquérito conclui que idoso caiu em elevador por "falha humana"

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Publicada em 14/08/2018 às 07:00:00

 

A 1ª Delegacia Metropolitana (1ª DM) concluiu ontem o inquérito policial sobre a morte do aposentado José Nunes da Silveira, 94 anos, que caiu no fosso do elevador de um dos blocos do Condomínio Jardim América, na Avenida Hermes Fontes, bairro Luzia (zona sul de Aracaju). O acidente aconteceu no dia 13 de julho deste ano. A investigação, conduzida pelo delegado Everton Santos, concluiu que houve "falha humana" nos procedimentos de manutenção do equipamento e pediu o indiciamento de três pessoas ligadas à empresa responsável pela manutenção: o proprietário da firma e dois técnicos que trabalharam no local naquela manhã. 
De acordo com Everton, eles irão responder por homicídio culposo (sem intenção de matar) e, se condenados podem ser punidos com até quatro anos de prisão. Não houve pedido de prisão e os suspeitos responderão ao processo em liberdade. O delegado explicou que a conclusão pelo indiciamento por homicídio se deu por causa dos 15 depoimentos prestados sobre o fato, principalmente, por moradores, funcionários do condomínio e da própria empresa responsável. 
Duas destas testemunhas confirmaram que, no momento do acidente, o elevador do prédio estava parado no quinto andar e as portas dos andares abaixo não estavam travadas e nem isoladas, como orientam os procedimentos de segurança para manutenção de elevadores. Os depoimentos indicaram ainda que não houve comunicação prévia da empresa aos moradores do prédio sob o serviço de manutenção no elevador, o que, segundo Everton, poderia fazer qualquer pessoa como vítima. E que houve uma demora de cerca de 30 minutos para que os funcionários da empresa chamassem o socorro médico para o idoso, que saía para caminhar na praça do condomínio e caiu do terceiro andar, a uma altura de quase oito metros. 

A 1ª Delegacia Metropolitana (1ª DM) concluiu ontem o inquérito policial sobre a morte do aposentado José Nunes da Silveira, 94 anos, que caiu no fosso do elevador de um dos blocos do Condomínio Jardim América, na Avenida Hermes Fontes, bairro Luzia (zona sul de Aracaju). O acidente aconteceu no dia 13 de julho deste ano. A investigação, conduzida pelo delegado Everton Santos, concluiu que houve "falha humana" nos procedimentos de manutenção do equipamento e pediu o indiciamento de três pessoas ligadas à empresa responsável pela manutenção: o proprietário da firma e dois técnicos que trabalharam no local naquela manhã. 
De acordo com Everton, eles irão responder por homicídio culposo (sem intenção de matar) e, se condenados podem ser punidos com até quatro anos de prisão. Não houve pedido de prisão e os suspeitos responderão ao processo em liberdade. O delegado explicou que a conclusão pelo indiciamento por homicídio se deu por causa dos 15 depoimentos prestados sobre o fato, principalmente, por moradores, funcionários do condomínio e da própria empresa responsável. 
Duas destas testemunhas confirmaram que, no momento do acidente, o elevador do prédio estava parado no quinto andar e as portas dos andares abaixo não estavam travadas e nem isoladas, como orientam os procedimentos de segurança para manutenção de elevadores. Os depoimentos indicaram ainda que não houve comunicação prévia da empresa aos moradores do prédio sob o serviço de manutenção no elevador, o que, segundo Everton, poderia fazer qualquer pessoa como vítima. E que houve uma demora de cerca de 30 minutos para que os funcionários da empresa chamassem o socorro médico para o idoso, que saía para caminhar na praça do condomínio e caiu do terceiro andar, a uma altura de quase oito metros.