Sefaz fiscaliza 25 empresas que devem quase R$ 200 mi de ICMS

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Publicada em 14/08/2018 às 07:01:00

 

A Secretaria Estadual da Fazenda (Sefaz) deflagrou ontem mais uma operação de fiscalização contra empresas inscritas na Dívida ativa do Estado. Desta vez, os fiscais estiveram em 25 estabelecimentos comerciais, sendo seis em Aracaju e 19 nas cidades de Itabaiana, Lagarto, Estância, Propriá, Itaporanga D'Ajuda, Nossa Senhora do Socorro e Nossa Senhora da Glória. O objetivo é apurar a falta de repasses e pagamentos de impostos relacionados ao Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS). De acordo com a Sefaz, as lojas investigadas possuem débitos que somam cerca de R$ 198 milhões. 
O porta-voz da Sefaz, Helber Andrade, confirmou que as empresas foram notificadas e colocadas sob regime especial de fiscalização, ou seja, todas as vendas feitas por ela a partir de agora serão acompanhadas por fiscais do órgão, orientados a recolher o imposto devido em cada transação. Em algumas empresas, constatou-se que elas não funcionavam nos endereços indicados, despertando a suspeita de que as firmas teriam sido encerradas sem comunicação prévia ao Fisco. As empresas também estariam informando um movimento financeiro específico, mas não realizando o repasse do não podendo atuar normalmente no comércio.
O regime de fiscalização durará por tempo indeterminado e os casos com suspeitas de crime fiscal ou irregularidades mais graves serão encaminhados à Polícia Civil. A fiscalização especial já foi aplicada no mês passado contra a rede Ricardo Eletro, durante a chamada "Operação Saldão", que foi deflagrada para cobrar uma dívida acumulada de R$ 6,4 milhões em impostos. 

A Secretaria Estadual da Fazenda (Sefaz) deflagrou ontem mais uma operação de fiscalização contra empresas inscritas na Dívida ativa do Estado. Desta vez, os fiscais estiveram em 25 estabelecimentos comerciais, sendo seis em Aracaju e 19 nas cidades de Itabaiana, Lagarto, Estância, Propriá, Itaporanga D'Ajuda, Nossa Senhora do Socorro e Nossa Senhora da Glória. O objetivo é apurar a falta de repasses e pagamentos de impostos relacionados ao Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS). De acordo com a Sefaz, as lojas investigadas possuem débitos que somam cerca de R$ 198 milhões. 
O porta-voz da Sefaz, Helber Andrade, confirmou que as empresas foram notificadas e colocadas sob regime especial de fiscalização, ou seja, todas as vendas feitas por ela a partir de agora serão acompanhadas por fiscais do órgão, orientados a recolher o imposto devido em cada transação. Em algumas empresas, constatou-se que elas não funcionavam nos endereços indicados, despertando a suspeita de que as firmas teriam sido encerradas sem comunicação prévia ao Fisco. As empresas também estariam informando um movimento financeiro específico, mas não realizando o repasse do não podendo atuar normalmente no comércio.
O regime de fiscalização durará por tempo indeterminado e os casos com suspeitas de crime fiscal ou irregularidades mais graves serão encaminhados à Polícia Civil. A fiscalização especial já foi aplicada no mês passado contra a rede Ricardo Eletro, durante a chamada "Operação Saldão", que foi deflagrada para cobrar uma dívida acumulada de R$ 6,4 milhões em impostos.