Secretaria anuncia data para cirurgias cardíacas

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto
A Coordenadoria Estadual de Defesa do Consumidor (Procon) autuou dois supermercados da rede GBarbosa, durante uma fiscalização de rotina realizada na última sexta-feira. Na filial do bairro São José, o diretor do Procon, Andrews Matheus, verificou que o r
A Coordenadoria Estadual de Defesa do Consumidor (Procon) autuou dois supermercados da rede GBarbosa, durante uma fiscalização de rotina realizada na última sexta-feira. Na filial do bairro São José, o diretor do Procon, Andrews Matheus, verificou que o r

Clique nas imagens para ampliar

Publicada em 14/08/2018 às 07:12:00

 

Milton Alves Júnior
Em até 15 dias úteis as 
cirurgias cardiológicas 
realizadas pela Fundação de Beneficência Hospital de Cirurgia voltam a ser disponibilizadas pelo Governo de Sergipe. O anúncio foi feito na manhã de ontem pela direção da Secretaria de Estado da Saúde, a qual garante que a unidade hospitalar, inclusive, já começou a promover o agendamento de procedimentos cirúrgicos nas dependências cardiológicas. Por enquanto, apenas os agendamentos foram liberados. Tanto o hospital - quanto a SES, não informaram quando será realizado o primeiro procedimento cirúrgico após reestabelecimento operacional.
Apesar do avanço na estrutura física, a administração estadual reconhece que no decorrer das últimas reuniões outros problemas foram detectados e precisam ser solucionados a fim de qualificar o serviço ofertado ao usuário do Sistema Único de Saúde (SUS). Diante dos impasses foi necessário desenvolver um plano de reestruturação já foi apresentado, e aprovado pelo governador Belivaldo Chagas. A perspectiva por parte da SES é que em até dez dias as soluções para problemas como: baixo efetivo funcional e pagamento a fornecedores com boletos em aberto há vários meses, sejam apresentadas pela pasta.
De acordo com André Carvalho, assessor de comunicação da Secretaria de Saúde, alguns fornecedores declaram enfrentar situação delicada financeiramente em virtude de pendências da gestão anterior, e por este motivo se recusam a prestar serviços ao Estado enquanto pelo menos parte da dívida não seja quitanda. A proposta do governo é regularizar em curto prazo a inadimplência e proporcionar avanços imediatos para o sistema. Com base em dados apresentados pela direção hospitalar ficou constatado que hoje mais de 300 pacientes aguardam pelo procedimento.
 "Durante as reuniões sobre a situação das cirurgias cardíacas descobrimos outros problemas. Foi realizado um estudo para reestruturarmos o serviço e até o final da próxima semana essas ações serão detalhadas. Passamos a situação para o governador Belivaldo Chagas que prontamente solicitou mobilização unilateral para que essa situação seja regularizada o mais rápido possível", disse. No que se refere ao retorno das cirurgias o comunicador destacou que essa pendência está prestes a ser regularizada.
 "Eu mesmo já me deparei com pacientes sendo convidados a agendar o procedimento. Possuímos plena convicção da representatividade desse serviço, e estamos contentes em perceber que paulatinamente o Estado tem conseguido solucionar os problemas", afirmou André. A informação apresentada pelo Governo do Estado foi confirmada pela direção do Hospital de Cirurgia. De acordo com a direção da unidade, com a conclusão das reformas, apenas ajustes administrativos inviabilizam, de fato, o reinicio das cirurgias. Todos os pacientes com autorização para a Cirurgia serão convidadas gradativamente até que a fila de espera seja cessada.

Em até 15 dias úteis as  cirurgias cardiológicas  realizadas pela Fundação de Beneficência Hospital de Cirurgia voltam a ser disponibilizadas pelo Governo de Sergipe. O anúncio foi feito na manhã de ontem pela direção da Secretaria de Estado da Saúde, a qual garante que a unidade hospitalar, inclusive, já começou a promover o agendamento de procedimentos cirúrgicos nas dependências cardiológicas. Por enquanto, apenas os agendamentos foram liberados. Tanto o hospital - quanto a SES, não informaram quando será realizado o primeiro procedimento cirúrgico após reestabelecimento operacional.
Apesar do avanço na estrutura física, a administração estadual reconhece que no decorrer das últimas reuniões outros problemas foram detectados e precisam ser solucionados a fim de qualificar o serviço ofertado ao usuário do Sistema Único de Saúde (SUS). Diante dos impasses foi necessário desenvolver um plano de reestruturação já foi apresentado, e aprovado pelo governador Belivaldo Chagas. A perspectiva por parte da SES é que em até dez dias as soluções para problemas como: baixo efetivo funcional e pagamento a fornecedores com boletos em aberto há vários meses, sejam apresentadas pela pasta.
De acordo com André Carvalho, assessor de comunicação da Secretaria de Saúde, alguns fornecedores declaram enfrentar situação delicada financeiramente em virtude de pendências da gestão anterior, e por este motivo se recusam a prestar serviços ao Estado enquanto pelo menos parte da dívida não seja quitanda. A proposta do governo é regularizar em curto prazo a inadimplência e proporcionar avanços imediatos para o sistema. Com base em dados apresentados pela direção hospitalar ficou constatado que hoje mais de 300 pacientes aguardam pelo procedimento.
 "Durante as reuniões sobre a situação das cirurgias cardíacas descobrimos outros problemas. Foi realizado um estudo para reestruturarmos o serviço e até o final da próxima semana essas ações serão detalhadas. Passamos a situação para o governador Belivaldo Chagas que prontamente solicitou mobilização unilateral para que essa situação seja regularizada o mais rápido possível", disse. No que se refere ao retorno das cirurgias o comunicador destacou que essa pendência está prestes a ser regularizada.
 "Eu mesmo já me deparei com pacientes sendo convidados a agendar o procedimento. Possuímos plena convicção da representatividade desse serviço, e estamos contentes em perceber que paulatinamente o Estado tem conseguido solucionar os problemas", afirmou André. A informação apresentada pelo Governo do Estado foi confirmada pela direção do Hospital de Cirurgia. De acordo com a direção da unidade, com a conclusão das reformas, apenas ajustes administrativos inviabilizam, de fato, o reinicio das cirurgias. Todos os pacientes com autorização para a Cirurgia serão convidadas gradativamente até que a fila de espera seja cessada.