Moradores do Santa Maria cobram mais obras

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto
Moradores da Zona de Expansão cobram agilidade na execução das obras
Moradores da Zona de Expansão cobram agilidade na execução das obras

Clique nas imagens para ampliar

Publicada em 19/08/2018 às 00:47:00

Milton Alves Júnior

Os últimos cinco dias em Aracaju foram marcados por sucessivos protestos contra a irregularidade na pavimentação de ruas e avenidas de bairros pertencentes às zonas Norte e Sul da capital sergipana. Paralelo aos milhões de buracos presentes na malha viária de forma geral, moradores de áreas mais isoladas da região central dizem sofrer com a omissão do poder público perante a este tipo de problema. Para os contribuintes, verbas destinadas ao Imposto Predial Territorial Urbano (IPTU) não estão retornando aos aracajuanos conforme desejado. O resultado de toda essa insatisfação se resume aos bloqueios de ruas e críticas ao prefeito Edvaldo Nogueira.
Semana passada, moradores da rua Rosa Azul e mediações, no Bairro Santa Maria, onde funciona o Centro de Integração Raio de Sol (Ciras), um das principais instituições de atendimento às pessoas com deficiência da capital, decidiram utilizar galhos de árvores, pneus, móveis velhos e pedras para bloquear o fluxo de veículos. A medida teve como objetivo chamar a atenção da Prefeitura de Aracaju para o cenário de esquecimento vivenciado pela comunidade ao longo dos últimos anos. De acordo com o comerciante Reginaldo dos Santos, a população aguarda o cumprimento de promessas de campanha.
Entre as cobranças está a transformação do bairro Santa Maria em modelo para a cidade. Evitando se aprofundar nas críticas políticas em virtude do período eleitoral, o morador reconhece o problema unificado que atinge não apenas o Santa Maria. "Por onde a gente passa tem buraco, mas a desculpa do período chuvoso está sempre afiado na ponta da língua. Aqui no Santa Maria houve a promessa de qualificar toda a região, mas já se passaram dois anos desde a promessa e até agora o prefeito não pisou o pé aqui para ver como segue nossa situação. Parece que foi eleito, tomou posse e esqueceu da gente", avaliou.
Compartilhando com as lamentações dos aracajuanos, em sessão plenária o vereador Lucas Aribé (PSB) voltou a cobrar da Prefeitura Municipal de Aracaju a realização do serviço de pavimentação. Após pronunciamento Aribé protocolou uma indicação na Câmara, solicitando à Emurb a realização do serviço de pavimentação. "A rua não tem o mínimo de infraestrutura, nem calçada, nem asfalto, nem saneamento. A poeira invade as casas e, quando chove, alaga tudo. Os moradores vêm cobrando uma providência há muito tempo, não só na gestão do prefeito Edvaldo Nogueira. Em nome do povo, eu faço um apelo ao Poder Executivo para que resolva a questão", pediu.
Cansados de pedir apoio aos órgãos municipais, moradores da Zona de Expansão também lamentam enfrentar os mesmos problemas citados por Lucas e Reginaldo. A falta de pavimentação na Rua B, do Conjunto Franco Freire I, na Aruana, por exemplo, já foi mostrada pelo JORNAL DO DIA ao longo deste ano. Ocorre que, um buraco em meio a via, dificulta o trânsito de veículos e vulnerabiliza a passagem dos pedestres. "Botamos areia para tentar regularizar os paralelepípedos que ficaram soltos, mas não somos profissionais; essa foi uma ação paliativa. A prefeitura só lembra da gente em janeiro quando manda a fatura do IPTU", afirmou Gilberto Santana.
Em contraponto às críticas, a PMA informou que o Plano de Recapeamento Asfáltico possibilita notar uma significativa mudança nas principais vias do município. Desde o lançamento do programa, equipes da Empresa Municipal de Obras e Urbanização saem às ruas recuperando a pavimentação asfáltica dos principais corredores de trânsito da capital. Neste primeiro semestre de execução, o programa já beneficiou 21 vias em toda a cidade. O investimento ultrapassa R$ 5 milhões, com a aplicação de 15.500 toneladas de asfalto. Entre ações de tapa-buracos, recapeamento asfáltico e pavimentação, ao todo, já são 20,12 km de ruas e avenidas beneficiadas.
Durante atividade política realizada no início deste mês o prefeito Edvaldo Nogueira destacou o trabalho realizado pelo programa destapa buraco, e reconheceu as dificuldades financeiras para realizar serviços de pavimentação asfáltica em vias que seguem com piçarras ou paralelepípedos. "Estamos avançando na qualificação das ruas e avenidas de toda a cidade, essa ação está nítida. Sobre a criação de camadas em ruas sem asfalto existe impasse financeiro já que esta demanda o custo é maior. Os compromissos estão sendo respeitamos dentro do projeto de quatro anos de gestão", declarou.