Edvaldo reúne equipe e discute segunda etapa do Planejamento Estratégico de Aracaju

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto
Edvaldo Nogueira discursa para secretários e assessores
Edvaldo Nogueira discursa para secretários e assessores

Clique nas imagens para ampliar

Publicada em 19/08/2018 às 00:47:00

O prefeito Edvaldo Nogueira inaugurou nesta sexta-feira uma nova fase para sua gestão à frente da Prefeitura de Aracaju. Foi realizado nesta data o terceiro seminário do Planejamento Estratégico da capital, com a participação de todos os gestores da administração municipal, no qual foram discutidos os êxitos e dificuldades da primeira etapa do governo e se debateu as prioridades para implementação da nova etapa, que visa transformar Aracaju em uma cidade inteligente, humana e criativa.
O projeto que criou o Planejamento Estratégico, reunião de diretrizes e metas a serem seguidas na gestão, foi amplamente debatido por integrantes de todas as pastas da administração municipal. Com base nas discussões feitas e na realidade material da Prefeitura, o plano de trabalho foi dividido em duas fases.
A primeira começou em junho de 2017 e estendeu-se até julho de 2018, na qual foi desenvolvido um trabalho de recuperação das finanças municipais e regularização dos serviços públicos municipais.  "Nós fizemos um balanço de período com saldo positivo. Retomamos os serviços, colocamos em funcionamento a Educação que estava precária, fizemos recapeamento asfáltico, obras de saneamento, limpeza pública renovada, salários dos servidores em dia e ampliação dos atendimentos na Saúde. Foi um ano de reconstrução no qual obtivemos muitas vitórias", ressalta o prefeito.
Durante apresentação do relatório confeccionado para entendimento das ações do Planejamento Estratégico, Edvaldo apontou os avanços e empecilhos no desenvolvimento das 275 metas fixadas, nos 65 projetos. O avanço é inegável. "A análise da primeira etapa nos mostra o acerto na periodização das ações, pois ela nos permite promover ajustes, conhecer o que limita a consumação dos objetivos e, desta maneira, superar obstáculos", ressaltou.
O conhecimento adquirido no período de reconstrução da qualidade de vida, com o trabalho árduo desempenhado por cada pasta, permitiu o avanço para uma nova busca: colocar Aracaju novamente na vanguarda, como modelo de administração para o Brasil. Sendo assim, chega-se ao próximo passo: o processo de, entre julho de 2018 e dezembro de 2020, transformar a capital sergipana em uma cidade cuja tecnologia esteja à serviço da população. "Nosso desafio agora é fazer mais, tornar Aracaju uma cidade mais inteligente, humana e criativa, no sentido que precisamos tocar os projetos com eficácia. Eu estou muito animado, pois acredito que nosso Planejamento Estratégico é um instrumento para que consigamos desenvolver a cidade de maneira sustentável e dando protagonismo aos munícipes", garantiu Edvaldo.
As dificuldades encontradas na administração como as dividas de aproximadamente R$ 540 milhões em curto prazo, as escolas paralisadas por falta de merenda escolar e os salários atrasados dos servidores, obrigou uma reorganização dos serviços públicos como prioridade. "Ao acabar a primeira fase, a gestão dá passos para aquilo que era o grande propósito quando assumiu a Prefeitura, ou seja, será possível tomar em mãos o programa de governo, as ações prioritárias e fazer valer aquilo que a população precisa receber de resultado", aponta o consultor do Planejamento Estratégico de Aracaju, Júlio Filgueira.
A definição do Planejamento Estratégico é imprescindível para promover o desenvolvimento urbano sustentável e para garantir serviços públicos de excelência. "Nós tivemos três projetos definidos como prioridade e pudemos acompanhar diariamente sua evolução, então conseguimos realizar a licitação de limpeza pública e regularizar diversos serviços para a população aracajuana. Nesta nova etapa vamos avançar mais ainda, com novas metas e alternativas que ajudem melhorar ainda mais tudo que ofertamos", afirma o presidente da Empresa Municipal de Serviços Urbanos (Emsurb), Luiz Roberto Dantas.
O entendimento conjunto e os objetivos bem definidos ajudaram a trazer conquista de maneira célere, bem como esclarecer o que deveria ser priorizado em momentos de crise. "O Planejamento Estratégico é muito pertinente, pois orienta as ações para um resultado mais eficientes. A Secretaria Municipal da Saúde é uma pasta muito complexa, cheia de urgências, por isso se faz necessário um norteamento prévio para ter foco e conseguir beneficiar a população", explica a secretária da Saúde, Waneska Barbosa.