Duda é a mais jovem campeã do mundo

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Publicada em 21/08/2018 às 06:56:00

 

Campeãs no último domingo do World Tour Finals, etapa mais importante do ano no vôlei de praia mundial, Ágatha e Duda (PR/SE) tiveram mais motivos para comemorar. Nesta segunda-feira, 20. A Federação Internacional de Voleibol (FIVB), também confirmou para a dupla o título do Circuito Mundial 2018, que soma pontos de todos os torneios realizados no ano. De quebra, a sergipana Duda quebrou um recorde que durava 23 temporadas.
Duda, de 20 anos recém-completados em agosto, tornou-se a atleta mais jovem a vencer o tour do vôlei de praia. O recorde até então era da campeã olímpica Sandra Pires, que em 1995 conquistou o tour com 21 anos.  A competição, no naipe feminino, acontece desde 1992. Duda celebrou a marca, mas destacou a importância do triunfo em equipe.
"Fico feliz por essa marca, é uma honra enorme, mas a maior alegria é pela conquista em grupo. Isso é tão especial. Acho que todo jovem que começa a jogar vôlei de praia sonha com um título como esse. Ágatha e eu conseguimos isso graças ao esforço da nossa comissão técnica, dos profissionais que trabalham conosco. Só tenho que valorizar o trabalho dessas pessoas, agradecer. Trabalho e o companheirismo talvez sejam as palavras que resumem essa conquista. A gente recorda os treinamentos intensos, as dores e notamos quanto foi difícil para chegar lá, mas quão gratificante também é ter as metas alcançadas", declarou.
Ágatha e Duda disputaram 10 torneios no Circuito Mundial 2018, tendo conquistado um ouro (Itapema, Brasil), uma prata (Moscou, Rússia) e um bronze (Varsóvia, Polônia), além de outras duas semifinais. Regularidade que fez com que as brasileiras atingissem 5.480 pontos, 40 acima das tchecas Hermannova e Slukova. O World Tour Finals, vencido no domingo, não conta pontos ao ranking por ter em disputa apenas as 'top 10' da temporada.
A medalhista olímpica Ágatha celebrou a conquista e também se lembrou das dificuldades no caminho, inclusive com mudança na comissão técnica durante o meio da temporada.
"Tivemos muitas 'pedrinhas', obstáculos. E encerrar o ano como a dupla número um do mundo é motivo de bastante comemoração, agradecimento pelo aprendizado. Essa diferença de 40 pontos mostra o alto nível do Circuito Mundial. Estamos felizes com o resultado, mas sabemos que podemos ir mais longe, ainda temos uma margem de crescimento, de melhora como dupla. E essa sensação é maravilhosa, comentou Ágatha
Se Duda conquista seu primeiro título do Circuito Mundial na carreira, Ágatha se torna bicampeã, pois já havia vencido em 2015, ao lado de Bárbara Seixas. A paranaense comentou a diferença das duas conquistas, da posição de 'referência' e destacou seguidamente a participação da comissão técnica, familiares, patrocinadores e apoiadores no título.

Campeãs no último domingo do World Tour Finals, etapa mais importante do ano no vôlei de praia mundial, Ágatha e Duda (PR/SE) tiveram mais motivos para comemorar. Nesta segunda-feira, 20. A Federação Internacional de Voleibol (FIVB), também confirmou para a dupla o título do Circuito Mundial 2018, que soma pontos de todos os torneios realizados no ano. De quebra, a sergipana Duda quebrou um recorde que durava 23 temporadas.
Duda, de 20 anos recém-completados em agosto, tornou-se a atleta mais jovem a vencer o tour do vôlei de praia. O recorde até então era da campeã olímpica Sandra Pires, que em 1995 conquistou o tour com 21 anos.  A competição, no naipe feminino, acontece desde 1992. Duda celebrou a marca, mas destacou a importância do triunfo em equipe.
"Fico feliz por essa marca, é uma honra enorme, mas a maior alegria é pela conquista em grupo. Isso é tão especial. Acho que todo jovem que começa a jogar vôlei de praia sonha com um título como esse. Ágatha e eu conseguimos isso graças ao esforço da nossa comissão técnica, dos profissionais que trabalham conosco. Só tenho que valorizar o trabalho dessas pessoas, agradecer. Trabalho e o companheirismo talvez sejam as palavras que resumem essa conquista. A gente recorda os treinamentos intensos, as dores e notamos quanto foi difícil para chegar lá, mas quão gratificante também é ter as metas alcançadas", declarou.
Ágatha e Duda disputaram 10 torneios no Circuito Mundial 2018, tendo conquistado um ouro (Itapema, Brasil), uma prata (Moscou, Rússia) e um bronze (Varsóvia, Polônia), além de outras duas semifinais. Regularidade que fez com que as brasileiras atingissem 5.480 pontos, 40 acima das tchecas Hermannova e Slukova. O World Tour Finals, vencido no domingo, não conta pontos ao ranking por ter em disputa apenas as 'top 10' da temporada.
A medalhista olímpica Ágatha celebrou a conquista e também se lembrou das dificuldades no caminho, inclusive com mudança na comissão técnica durante o meio da temporada.
"Tivemos muitas 'pedrinhas', obstáculos. E encerrar o ano como a dupla número um do mundo é motivo de bastante comemoração, agradecimento pelo aprendizado. Essa diferença de 40 pontos mostra o alto nível do Circuito Mundial. Estamos felizes com o resultado, mas sabemos que podemos ir mais longe, ainda temos uma margem de crescimento, de melhora como dupla. E essa sensação é maravilhosa, comentou Ágatha
Se Duda conquista seu primeiro título do Circuito Mundial na carreira, Ágatha se torna bicampeã, pois já havia vencido em 2015, ao lado de Bárbara Seixas. A paranaense comentou a diferença das duas conquistas, da posição de 'referência' e destacou seguidamente a participação da comissão técnica, familiares, patrocinadores e apoiadores no título.