Zé Paulo Becker promove oficina de atualização musical para artistas sergipanos

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Publicada em 21/08/2018 às 07:01:00

 

Pluralizar o conhecimento artístico e qualificar os profissionais das mais diferentes linguagens, com informações sobre o mercado de trabalho, inovação, empreendedorismo, gestão cultural, entre outros assuntos. Este foi o objetivo do projeto 'Ossos do Ofício', ação idealizada pela Fundação Cultural Cidade de Aracaju (Funcaju). O evento foi realizado nos dias 17 e 18 de agosto, no Centro Cultural de Aracaju.
O primeiro dia do evento contou com uma oficina ministrada pelo Duo Vieira, composta pela dupla Rebeca Vieira e o violonista sete cordas Ricardo Vieira. Já o sábado foi permeado de mais conhecimentos e troca de experiências entre os participantes através do workshop 'Levadas Brasileiras Para Violão', conduzido por um dos violonistas mais importantes do Brasil, Zé Paulo Becker.
Reconhecido internacionalmente, Becker participa do Trio Madeira Brasil e já tocou com Ney Matogrosso, Elza Soares, Chico Buarque, Zé Renato, entre outros. Durante o evento, o músico distribuiu o seu livro - que leva o mesmo nome do workshop - para os artistas presentes acompanharem as canções. As orientações do violonista foram pautadas de riquíssimas informações, inclusive dicas sobre as técnicas do violão.
"Foi uma oportunidade bacana de participar deste workshop para falar um pouco deste livro e bater um papo com essa garotada sobre meu trabalho, de como estudar e se organizar dentro de uma carreira profissional", detalhou Zé Paulo Becker. O músico Dami Dória confirmou. "Esse workshop possibilita, nós artistas, a desenvolvermos várias ideias para compor e para trabalhar".
De acordo com o diretor de Arte e Cultura da Funcaju, Nino Karvan, a realização de mais uma edição do 'Ossos do Ofício' segue os objetivos estratégicos estabelecidos pela Funcaju. "Essa é mais uma iniciativa importante porque segue a visão da Funcaju, que é de contribuir com a formação dos artistas. O projeto não é somente voltado para a classe musical, mas também aborda outras linguagens. E esta edição foi voltada para os músicos", afirmou.

Pluralizar o conhecimento artístico e qualificar os profissionais das mais diferentes linguagens, com informações sobre o mercado de trabalho, inovação, empreendedorismo, gestão cultural, entre outros assuntos. Este foi o objetivo do projeto 'Ossos do Ofício', ação idealizada pela Fundação Cultural Cidade de Aracaju (Funcaju). O evento foi realizado nos dias 17 e 18 de agosto, no Centro Cultural de Aracaju.
O primeiro dia do evento contou com uma oficina ministrada pelo Duo Vieira, composta pela dupla Rebeca Vieira e o violonista sete cordas Ricardo Vieira. Já o sábado foi permeado de mais conhecimentos e troca de experiências entre os participantes através do workshop 'Levadas Brasileiras Para Violão', conduzido por um dos violonistas mais importantes do Brasil, Zé Paulo Becker.
Reconhecido internacionalmente, Becker participa do Trio Madeira Brasil e já tocou com Ney Matogrosso, Elza Soares, Chico Buarque, Zé Renato, entre outros. Durante o evento, o músico distribuiu o seu livro - que leva o mesmo nome do workshop - para os artistas presentes acompanharem as canções. As orientações do violonista foram pautadas de riquíssimas informações, inclusive dicas sobre as técnicas do violão.
"Foi uma oportunidade bacana de participar deste workshop para falar um pouco deste livro e bater um papo com essa garotada sobre meu trabalho, de como estudar e se organizar dentro de uma carreira profissional", detalhou Zé Paulo Becker. O músico Dami Dória confirmou. "Esse workshop possibilita, nós artistas, a desenvolvermos várias ideias para compor e para trabalhar".
De acordo com o diretor de Arte e Cultura da Funcaju, Nino Karvan, a realização de mais uma edição do 'Ossos do Ofício' segue os objetivos estratégicos estabelecidos pela Funcaju. "Essa é mais uma iniciativa importante porque segue a visão da Funcaju, que é de contribuir com a formação dos artistas. O projeto não é somente voltado para a classe musical, mas também aborda outras linguagens. E esta edição foi voltada para os músicos", afirmou.