PSB E PDT EM GUERRA

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto
Nas rodas políticas e redes sociais o assunto do final de semana foi a foto e vídeo de Fábio Henrique, ao lado de André Moura em Socorro, pedindo voto para ele para o Senado, mesmo o PDT fazendo parte da coligação de Valadares Filho com sua mulher sendo a
Nas rodas políticas e redes sociais o assunto do final de semana foi a foto e vídeo de Fábio Henrique, ao lado de André Moura em Socorro, pedindo voto para ele para o Senado, mesmo o PDT fazendo parte da coligação de Valadares Filho com sua mulher sendo a


Clique nas imagens para ampliar

Publicada em 21/08/2018 às 07:33:00

 

Toda eleição que tem duas vagas para o 
Senado costuma ser problemática. Em 
2010, por exemplo, o então candidato a governador Marcelo Déda (PT) enfrentou problema por conta dos dois candidatos a senador - Antônio Carlos Valadares (PSB) e Eduardo Amorim (então PSC) - não estarem trabalhando juntos seus nomes. O clima foi ruim durante a campanha entre os candidatos ao Senado.  
A eleição caminhava para uma vitória de Eduardo e Albano Franco (PSDB) até que em um grande comício no mercado na semana das eleições, com a presença do então presidente Lula, foi feito um apelo de Déda e do próprio Lula para que votassem nos dois senadores da coligação. O resultado da interferência incisiva dos dois petistas acabou levando a vitória de Valadares e Eduardo e, consequentemente, a derrota de Albano que era candidato independente ao Senado.
Nas eleições deste ano está existindo conflitos nas coligações dos três principais candidatos ao governo. Na coligação de Belivaldo Chagas (PSD) tem desentendimento político entre Jackson Barreto (MDB) e Rogério Carvalho (PT) e na de Eduardo Amorim (PSDB) há discordia entre André Moura (PSC) e Heleno Silva (PRB).
Os candidatos a senador da chapa de Eduardo e Belivaldo não estão pedindo votos para o seu companheiro de Senado. Cada um está olhando para o seu umbigo, sendo corriqueiro lideranças políticas anunciarem apoio a candidatos a senador de coligações diferentes.
Agora quem está tendo esse problema na sua coligação é o candidato a governador Valadares Filho (PSB). Isso porque o aliado Fábio Henrique, presidente estadual do PDT e que emplacou a mulher, a deputada estadual Silvia Fontes (PDT), como candidata a vice chegou a declarar publicamente apoio a André Moura, quando a coligação tem como candidatos ao Senado Henri Clay e o próprio Valadares.
Quem não está aceitando isso é o senador Valadares, que ontem saiu com nota criticando a postura política de Fábio Henrique, principalmente por ser presidente do PDT e ter a mulher como vice.
Ainda deveremos ver mais conflitos nas três coligações com relação ao Senado, uma vez que a tendência é ninguém recuar da predisposição de trabalhar sozinho só vendo o lado de cada um, adotando, assim, os provérbios popular "cada um por si e Deus por todos" e "farinha pouca meu pirão primeiro".  

Toda eleição que tem duas vagas para o  Senado costuma ser problemática. Em  2010, por exemplo, o então candidato a governador Marcelo Déda (PT) enfrentou problema por conta dos dois candidatos a senador - Antônio Carlos Valadares (PSB) e Eduardo Amorim (então PSC) - não estarem trabalhando juntos seus nomes. O clima foi ruim durante a campanha entre os candidatos ao Senado.  
A eleição caminhava para uma vitória de Eduardo e Albano Franco (PSDB) até que em um grande comício no mercado na semana das eleições, com a presença do então presidente Lula, foi feito um apelo de Déda e do próprio Lula para que votassem nos dois senadores da coligação. O resultado da interferência incisiva dos dois petistas acabou levando a vitória de Valadares e Eduardo e, consequentemente, a derrota de Albano que era candidato independente ao Senado.
Nas eleições deste ano está existindo conflitos nas coligações dos três principais candidatos ao governo. Na coligação de Belivaldo Chagas (PSD) tem desentendimento político entre Jackson Barreto (MDB) e Rogério Carvalho (PT) e na de Eduardo Amorim (PSDB) há discordia entre André Moura (PSC) e Heleno Silva (PRB).
Os candidatos a senador da chapa de Eduardo e Belivaldo não estão pedindo votos para o seu companheiro de Senado. Cada um está olhando para o seu umbigo, sendo corriqueiro lideranças políticas anunciarem apoio a candidatos a senador de coligações diferentes.
Agora quem está tendo esse problema na sua coligação é o candidato a governador Valadares Filho (PSB). Isso porque o aliado Fábio Henrique, presidente estadual do PDT e que emplacou a mulher, a deputada estadual Silvia Fontes (PDT), como candidata a vice chegou a declarar publicamente apoio a André Moura, quando a coligação tem como candidatos ao Senado Henri Clay e o próprio Valadares.
Quem não está aceitando isso é o senador Valadares, que ontem saiu com nota criticando a postura política de Fábio Henrique, principalmente por ser presidente do PDT e ter a mulher como vice.
Ainda deveremos ver mais conflitos nas três coligações com relação ao Senado, uma vez que a tendência é ninguém recuar da predisposição de trabalhar sozinho só vendo o lado de cada um, adotando, assim, os provérbios popular "cada um por si e Deus por todos" e "farinha pouca meu pirão primeiro".  

Resposta de Valadares 1

Como de costume, o senador Antônio Carlos Valadares usou ontem as redes sociais para externar sua insatisfação com relação à posição de Fábio Henrique em apoiar André Moura para o Senado. Disse o parlamentar: "As coligações são acordos eleitorais celebrados entre partidos políticos que devem ser cumpridos pelos seus membros. No que diz respeito à nossa coligação, temos um acordo assinado e aprovado por todos os partidos que a integram, inclusive pelo PDT, apoiando os nomes indicados para os cargos de governador - Valadares Filho (PSB), vice - (Sílvia Fontes-PDT), e para as duas vagas de Senador, Henry Clay (PPL) e Antonio Carlos Valadares (PSB)".

Resposta de Valadares 2

Prossegue: "Portanto, essa decisão individual de Fábio Henrique em apoiar André Moura para uma das vagas de Senador, se contrapõe à aliança firmada entre os nossos partidos; e a sua gravidade ainda mais se acentua pelo fato de Fábio Henrique ser presidente de um partido que indicou na composição da chapa majoritária o nome da deputada Sílvia Fontes, sua esposa, como candidata a vice". 

Resposta de Valadares 3

Continua Valadares: "Quero declarar publicamente que discordo totalmente de tal posicionamento, porque não condiz com as decisões respaldadas em convenções dos partidos aliados, ratificadas em ato público na AEASE no dia 3 de agosto, e cujas atas estão registradas no TRE (Tribunal Regional Eleitoral)". 

Resposta de Valadares 4

Ressalta: "Repudio as articulações nefastas de políticos que usam da influência do poder econômico e político, e do falso anúncio de verbas milionárias às vésperas das eleições, como único discurso para mudar o apoio de partidos ou de suas lideranças".

Resposta de Valadares 5

Finaliza o senador: "A indicação do presidente da OAB, Henry Clay para compor, em nome da aliança, a chapa majoritária como candidato a Senador harmoniza-se com os princípios que sempre defendemos como a ética, a renovação, o fortalecimento dos partidos e a coerência no combate à corrupção e às investidas contra a liberdade e as desigualdades sociais.  Este sim, Henry Clay, é o candidato ao Senado com quem temos compromisso".

Explicando o inexplicável 1

O PDT saiu com nota ontem tentando explicar o vídeo veiculado nas redes sociais, no final de semana, com Fábio Henrique declarando que André Moura era seu candidato ao Senado em evento em Nossa Senhora do Socorro, onde foi prefeito, e que provocou a reação do senador Valadares. Na nota, o partido reafirma apoio à chapa majoritária completa encabeçada por Valadares Filho e com os dois candidatos a senador Valadares e Henri Clay (PPL).

Explicando o inexplicável 2

Diz ainda a nota: "Sobre o vídeo publicado nas redes sociais, com o pronunciamento do nosso candidato a deputado federal, a referida postagem se restringe apenas a um grupo que, em determinada área de Socorro, apoia a outros candidatos, não sendo a representatividade do apoio unificado do PDT".

Explicando o inexplicável 3

Ressalta a nota assinada pela Comissão Executiva Regional do PDT: "O PDT reforça o apoio integral e irrestrito aos candidatos ao Senado da coligação: Antônio Carlos Valadares e Henry Clay, e em prol do candidato a governo da verdadeira mudança: Valadares Filho".

Em Sergipe 1

O candidato a vice-presidente da República de Lula, Fernando Haddad (PT), estará em Sergipe nessa quarta-feira para uma grande caminhada em Aracaju e inauguração do comitê de Belivaldo Chagas na Av. Barão de Maruim. A caminhada sairá às 16h30 da Praça dos Mercados.

Em Sergipe 2

Haddad, que pode ser o candidato a presidente do PT caso a justiça não conceda o direito de Lula ser candidato, chegará em Aracaju às 8h. Logo depois, às 9h, concederá entrevista coletiva à imprensa, na sede do PT, na Av. Barão de Maruim. Já às 10h, participará do lançamento do livro Caravana Lula, também na sede do partido. No início da noite, após  a caminhada pelo centro, o candidato a vice presidente embarca para Campina Grande.

Lançamento

A ex-deputada estadual Conceição Vieira (PT), que já deixou a Casa Civil, assumiu a coordenação geral da campanha do governador Belivaldo Chagas, ficando o advogado José Carlos Felizola como coordenador financeiro. Segundo Conceição, a caminhada com Fernando Haddad pelo centro representará o lançamento da campanha de Belivaldo e Lula em Sergipe.

A luta continua

O vice-presidente nacional do PT, Marcio Macedo, reafirmou ontem que o PT lutará até o fim pela presença de Lula nas eleições 2018. "Lula está em uma prisão política, injusta, ilegal e arbitrária. Não há uma prova material contra Lula. Já registramos a sua candidatura e vamos continuar lutando, junto com o povo, para que Lula permaneça candidato. Lula tem competência, inteligência, liderança e capacidade política para consertar o Brasil e os povo sabe disso", declara.

Aparecida 1

Belivaldo iniciou a primeira carreata da campanha, no sábado, por Nossa Senhora Aparecida.  Escolheu o município pelo fato da a missa de posse ter sido no santuário de Nossa Senhora Aparecida, no Bugio, em Aracaju. "Demos o ponta pé inicial da nossa campanha justamente no município de Nossa Senhora Aparecida, aos pés da santa padroeira do país. Isso é sinal positivo e mostra que vamos caminhar com sucesso rumo à vitória", disse o candidato, depois de fazer uma prece em frente à imagem da santa.

Aparecida 2

O candidato a governador do PSD participou da carreata ao lado da vice Eliane Aquino; das prefeitas Vera (Aparecida) e Elayne de Dedé (Malhador); dos candidatos a senador Jackson Barreto e Rogério Carvalho; e do deputado federal e candidato a reeleição Fábio Reis (MDB). De lá a carreata seguiu para os municípios de Ribeirópolis, Frei Paulo e foi encerrada em Carira, onde os candidatos fizeram um ato político na praça José Durval Matos.

Nova pesquisa

Uma nova pesquisa para governador, senador, deputado federal e deputado estadual foi registrada no Tribunal Regional Eleitoral (TRE) no último sábado, 18, pelo Instituto Franca. A pesquisa, que será divulgada no dia 24, ouviu no período de 13 a 19 deste mês um total de 1.300 eleitores na capital e municípios do interior.

Plano de mídia

Na quinta-feira, às 14h, na sede do Tribunal Regional Eleitoral (TRE), ocorrerá a reunião destinada à elaboração do plano de mídia para as eleições de 2018. Participarão da reunião representantes de partidos e coligações, de emissoras de televisão e de rádio de Sergipe.

Veja essa ...

De Belivaldo Chagas sobre as atividades de campanha no final de semana: "Em todos os lugares que passamos, levamos a mensagem de que o povo de Sergipe não pode cair nas mãos de quem diz que quer ser governador, mas vai ser mandado por familiares". Foi uma alfinetada nos adversários Eduardo Amorim e Valadares Filho.

Curtas

Na agenda de hoje de Eduardo Amorim consta encontro de micros e pequenos empresários, às 8h; em seguida gravação do programa eleitoral. Às 16h reunião com lideranças de Siriri e às 18h mini carreata no Conjunto Bugio. Ontem à noite o candidato realizou mini-carreata no bairro Palestina.

 Hoje, às 6h30, a candidata a governadora Gilvani Santos (PSTU) tem panfletagem em Carmópolis; às 9h reunião com a militância; e às 13h reunião almoço com apoiadores em Carmópolis.

Na agenda desta terça-feira do candidato a governador Mendonça Prado (DEM) consta, às 9h, encontro com equipe de assessores, na sede do partido; e às 15h, carreata no João Alves, com concentração na entrada do conjunto.

De Jackson Barreto sobre resultado da pesquisa Ibope em que aparece em terceiro lugar para o Senado: "Toda minha vida pública foi para derrotar pesquisa. Não se preocupem com isso. Ao longo da minha vida pública tive a felicidade de começar atrás e derrotar todas elas. Vamos vencer mais uma!".

 O deputado federal André Moura apresentou na Câmara o Projeto de Lei 10748/2018 que propõe alterar o parágrafo único do art. 1º da Lei nº 8.072, de 1990, para considerar hediondo os crimes cometidos contra policiais. "É preciso ser cada vez mais rígido nos julgamentos de bandidos que agem contra os profissionais da segurança pública", defende André.