Corpo de Otávio Frias Filho é cremado em São Paulo

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto
Otávio Frias Filho estava em tratamento de câncer no pâncreas
Otávio Frias Filho estava em tratamento de câncer no pâncreas

Clique nas imagens para ampliar

Publicada em 22/08/2018 às 07:36:00

 

Flávia Albuquerque 
Agência Brasil  
 
O corpo do jornalista Otavio Frias Filho, diretor de Redação do jornal Folha de S. Paulo, foi cremado no início da tarde de ontem(21) em cerimônia realizada no cemitério Horto da Paz, em Itapecerica da Serra. Aos 61 anos, Otávio Frias Filho foi vítima de um câncer originado no pâncreas.
O jornalista, dramaturgo e ensaísta dirigiu a Folha de S. Paulo durante 34 anos, e foi responsável pela criação do Manual de Redação, pela criação do primeiro cargo de ombudsman em um jornal na América Latina e da seção Erramos para reunir as correções do jornal.
O velório teve a presença de autoridades, intelectuais, jornalistas e representantes de diversas entidades, ressaltando seu papel para consolidar a Folha de S. Paulo como líder em circulação e audiência.
Homenagens - O editor-executivo da Folha de S. Paulo, Sérgio Dávila, ressaltou o papel do diretor para contemplar os diversos lados de um mesmo fato. "Seu legado continua na Folha e por todas as gerações de jornalistas formadas por ela. Perdemos um iluminista, que brigava para trazer o aspecto mais plural das ideias, obsessivo com o contraditório", afirmou Dávila.
O jornalista Clóvis Rossi, colunista da Folha de S. Paulo, destacou as marcas de jornalismo crítico, independente e apartidário deixados por Otávio Frias Filho como diretor da Folha de S. Paulo. "Suas marcas impedem que o jornal te peça para escrever para quem gosta ou não gosta".
O diretor de jornalismo da TV Bandeirantes, Fernando Mitre, lembrou do papel de Otávio Frias Filho na cobertura da Diretas Já. "Ele comandou a cobertura no episódio das Diretas Já, sempre lutando por um jornalismo de qualidade e independente."
O presidente da Record TV, Luiz Cláudio Costa, destacou o legado de ética e liberdade de imprensa deixado pelo diretor da Folha de S. Paulo. "Não se limitou somente ao jornalismo, mas foi importante para várias gerações."
O presidente da Rede TV, Amilcare Dallevo Júnior, lamentou a perda do jornalista, destacando seu papel pela liberdade de expressão e a pluralidade da informação.
Otávio Frias Filho deixa a esposa, a jornalista Fernanda Diamant, duas filhas e três irmãos.

O corpo do jornalista Otavio Frias Filho, diretor de Redação do jornal Folha de S. Paulo, foi cremado no início da tarde de ontem(21) em cerimônia realizada no cemitério Horto da Paz, em Itapecerica da Serra. Aos 61 anos, Otávio Frias Filho foi vítima de um câncer originado no pâncreas.
O jornalista, dramaturgo e ensaísta dirigiu a Folha de S. Paulo durante 34 anos, e foi responsável pela criação do Manual de Redação, pela criação do primeiro cargo de ombudsman em um jornal na América Latina e da seção Erramos para reunir as correções do jornal.
O velório teve a presença de autoridades, intelectuais, jornalistas e representantes de diversas entidades, ressaltando seu papel para consolidar a Folha de S. Paulo como líder em circulação e audiência.

Homenagens - O editor-executivo da Folha de S. Paulo, Sérgio Dávila, ressaltou o papel do diretor para contemplar os diversos lados de um mesmo fato. "Seu legado continua na Folha e por todas as gerações de jornalistas formadas por ela. Perdemos um iluminista, que brigava para trazer o aspecto mais plural das ideias, obsessivo com o contraditório", afirmou Dávila.
O jornalista Clóvis Rossi, colunista da Folha de S. Paulo, destacou as marcas de jornalismo crítico, independente e apartidário deixados por Otávio Frias Filho como diretor da Folha de S. Paulo. "Suas marcas impedem que o jornal te peça para escrever para quem gosta ou não gosta".
O diretor de jornalismo da TV Bandeirantes, Fernando Mitre, lembrou do papel de Otávio Frias Filho na cobertura da Diretas Já. "Ele comandou a cobertura no episódio das Diretas Já, sempre lutando por um jornalismo de qualidade e independente."
O presidente da Record TV, Luiz Cláudio Costa, destacou o legado de ética e liberdade de imprensa deixado pelo diretor da Folha de S. Paulo. "Não se limitou somente ao jornalismo, mas foi importante para várias gerações."
O presidente da Rede TV, Amilcare Dallevo Júnior, lamentou a perda do jornalista, destacando seu papel pela liberdade de expressão e a pluralidade da informação.
Otávio Frias Filho deixa a esposa, a jornalista Fernanda Diamant, duas filhas e três irmãos.