Municípios ainda não fizeram a retirada dos repelentes

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Publicada em 23/08/2018 às 07:41:00

 

Apesar de cronograma alinhado pela Secretaria de Estado da Saúde (SES) com os 75 municípios, 22 ainda não foram ao Centro de Distribuição de Medicamentos e Insumos (Cadim), localizado no Centro Administrativo da Saúde Senador Gilvan Rocha. Destes, seis não justificaram as ausências. A SES disponibilizou um quantitativo para cada município, totalizando 100 mil unidades do produto, importante proteção contra o zica vírus e doenças causadas pelo mosquito Aedes Aegypti.
A SES informa que 13 municípios remarcaram a retirada dos repelentes para esta quarta- feira, 22, outros três para o dia 23. Ainda de acordo com a SES, seis municípios não compareceram e não solicitaram o reagendamento, são eles: Itabi, Riachão, Japoatã, Japaratuba, Estância e São Miguel.
A distribuição de repelentes tem como objetivo proteger as gestantes contra a picada do Aedes Aegypti, pernilongos e mosquitos que transmitem doenças, como a microcefalia, por exemplo. De acordo com a farmacêutica Fabiana Santos de Carvalho, a ação de distribuição dos repelentes foi iniciada pelo Ministério da Saúde em janeiro de 2016 e prosseguiu desde então com a ação preventiva.
Os municípios devem  encaminhar os repelentes às unidades de saúde para serem repassados ao público-alvo que, segundo sugestão do Ministério da Saúde, são as gestantes acompanhadas pelo Sistema Único de Saúde (SUS) e cadastradas no Programa Bolsa Família; as populações de áreas endêmicas para arboviroses transmitidas pelo Aedes Aegypti; populações com contraindicação à imunização contra a febre amarela; idosos; e agentes comunitários de saúde expostos a condições de risco.

Apesar de cronograma alinhado pela Secretaria de Estado da Saúde (SES) com os 75 municípios, 22 ainda não foram ao Centro de Distribuição de Medicamentos e Insumos (Cadim), localizado no Centro Administrativo da Saúde Senador Gilvan Rocha. Destes, seis não justificaram as ausências. A SES disponibilizou um quantitativo para cada município, totalizando 100 mil unidades do produto, importante proteção contra o zica vírus e doenças causadas pelo mosquito Aedes Aegypti.
A SES informa que 13 municípios remarcaram a retirada dos repelentes para esta quarta- feira, 22, outros três para o dia 23. Ainda de acordo com a SES, seis municípios não compareceram e não solicitaram o reagendamento, são eles: Itabi, Riachão, Japoatã, Japaratuba, Estância e São Miguel.
A distribuição de repelentes tem como objetivo proteger as gestantes contra a picada do Aedes Aegypti, pernilongos e mosquitos que transmitem doenças, como a microcefalia, por exemplo. De acordo com a farmacêutica Fabiana Santos de Carvalho, a ação de distribuição dos repelentes foi iniciada pelo Ministério da Saúde em janeiro de 2016 e prosseguiu desde então com a ação preventiva.
Os municípios devem  encaminhar os repelentes às unidades de saúde para serem repassados ao público-alvo que, segundo sugestão do Ministério da Saúde, são as gestantes acompanhadas pelo Sistema Único de Saúde (SUS) e cadastradas no Programa Bolsa Família; as populações de áreas endêmicas para arboviroses transmitidas pelo Aedes Aegypti; populações com contraindicação à imunização contra a febre amarela; idosos; e agentes comunitários de saúde expostos a condições de risco.