Atendimento no Case é comprometido por oscilação no sistema do Ministério da Saúde

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Publicada em 23/08/2018 às 07:51:00

 

Nas primeiras horas da manhã desta quarta-feira, 22, o Sistema Hórus, do Ministério da Saúde (MS), mostrou- se inoperante, atrasando o início do atendimento aos usuários do Centro de Atenção à Saúde de Sergipe (Case), gerenciado pela Secretaria de Estado da Saúde (SES). Utilizado pela unidade para dispensação dos medicamentos, o Hórus se mantém oscilante nos últimos tempos apresentando problema de lentidão e queda com maior regularidade. O estado não detém poder do sistema Hórus, tudo é controlado pelo Departamento de Informática do SUS (Datasus) do Ministério da Saúde.  
"Trabalhamos no limite do sistema. Servidores passam do horário quase diariamente para poder atender todos os usuários. Segunda e terça dessa semana foram os piores dias, mesmo os servidores tentando, não conseguiram fazer login do sistema. De acordo com o Ministério da Saúde e Datasus providências para novo software estão sendo tomadas", informa a farmacêutica do Case, Tais Andreza Costa Dantas
Com o sistema inoperante não há possibilidade de entrega dos medicamentos, pois o estado pode perder dispensações pela não visualização do cadastro do usuário e precisar pagar a contrapartida.  "Todos os dias estamos informando os usuários da lentidão do sistema e pedindo compreensão, mas fazendo de tudo para que sejam atendidos até o horário final de expediente dos servidores. Após o meio-dia ele melhora um pouco, e até às 16h vamos tentar fazer essas dispensações. Vamos conseguir", diz Taís.
O Hórus é o Sistema Nacional de Gestão da Assistência Farmacêutica, no módulo Básico, que permite executar as ações de gestão dos medicamentos do Componente Básico, por meio da realização de movimentações como entrada, distribuição e dispensação. 

Nas primeiras horas da manhã desta quarta-feira, 22, o Sistema Hórus, do Ministério da Saúde (MS), mostrou- se inoperante, atrasando o início do atendimento aos usuários do Centro de Atenção à Saúde de Sergipe (Case), gerenciado pela Secretaria de Estado da Saúde (SES). Utilizado pela unidade para dispensação dos medicamentos, o Hórus se mantém oscilante nos últimos tempos apresentando problema de lentidão e queda com maior regularidade. O estado não detém poder do sistema Hórus, tudo é controlado pelo Departamento de Informática do SUS (Datasus) do Ministério da Saúde.  
"Trabalhamos no limite do sistema. Servidores passam do horário quase diariamente para poder atender todos os usuários. Segunda e terça dessa semana foram os piores dias, mesmo os servidores tentando, não conseguiram fazer login do sistema. De acordo com o Ministério da Saúde e Datasus providências para novo software estão sendo tomadas", informa a farmacêutica do Case, Tais Andreza Costa Dantas
Com o sistema inoperante não há possibilidade de entrega dos medicamentos, pois o estado pode perder dispensações pela não visualização do cadastro do usuário e precisar pagar a contrapartida.  "Todos os dias estamos informando os usuários da lentidão do sistema e pedindo compreensão, mas fazendo de tudo para que sejam atendidos até o horário final de expediente dos servidores. Após o meio-dia ele melhora um pouco, e até às 16h vamos tentar fazer essas dispensações. Vamos conseguir", diz Taís.
O Hórus é o Sistema Nacional de Gestão da Assistência Farmacêutica, no módulo Básico, que permite executar as ações de gestão dos medicamentos do Componente Básico, por meio da realização de movimentações como entrada, distribuição e dispensação.