Peritos analisam incêndio em agência bancária

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Publicada em 28/08/2018 às 07:39:00

 

Peritos contratados pelo Banco do Estado de Sergipe (Banese) seguem intensificando as investigações em torno do princípio de incêndio registrado no início da noite do último domingo, 26, em uma agência instalada no Calçadão da Rua João Pessoa, esquina da Praça Fausto Cardoso, região central de Aracaju. Em decorrência do horário e dia, nenhum cliente ou funcionário foi atingido pela ocorrência. Até o final da tarde de ontem a instituição financeira não havia contabilizado o nível integral de destruição causado pelo fogo. Um levantamento está sendo realizado a fim de identificar os danos e em seguida será apresentado pela direção do Banese.
Apesar do susto, a Assessoria de Comunicação do banco informou que o sinistro não foi de ampla proporção. Em virtude da agilidade operacional do Corpo de Bombeiros, as alegações apresentadas pelo Banese indicam que as chamas atingiram exclusivamente a área das centrais de autoatendimento, destruiu alguns equipamentos, mas não adentrou o setor administrativo. Uma prova disso é que os serviços não serão afetados e o correntista da agência poderá usar a conta corrente normalmente. Ontem e hoje o atendimento realizado na agência segue remanejado temporariamente em um ponto na Rua João Pessoa.
Os primeiros estudos indicam que uma pane elétrica teria gerado o curto-circuito em um cash e isso resultou no início das chamas. O controle das chamas ocorreu em menos de uma hora após primeiro chamado recebido pelo Centro Integrado de Operações de Segurança Pública (Ciosp). Conforme destacado pela Secretaria de Estado da Segurança Pública (SSP/se), através do capitão BM Luiz Jorge, coordenador das atividades, a solicitação via Ciosp foi feita por volta das 19h30 e às 20h15 o incêndio já estava controlado. A perspectiva é que o resultado do laudo seja apresentado em até 30 dias úteis.
 "Por se tratar de ocorrência em banco, em um dia de domingo, com pouco movimento de pessoas na rua, acionamos a Polícia Militar. Também solicitamos a presença da Energisa, que não cortou o fornecimento de energia do prédio porque estava chovendo muito, mas conseguiu desligar o quadro interno de energia, permitindo a atuação dos bombeiros. Os seguranças da agência informaram que, segundo as imagens das câmeras de segurança do local, o fogo teria começado na bateria do nobreack que fornece energia para as máquinas. Mas só uma perícia dará maiores conclusões", explica o capitão. (Milton Alves Júnior)

Peritos contratados pelo Banco do Estado de Sergipe (Banese) seguem intensificando as investigações em torno do princípio de incêndio registrado no início da noite do último domingo, 26, em uma agência instalada no Calçadão da Rua João Pessoa, esquina da Praça Fausto Cardoso, região central de Aracaju. Em decorrência do horário e dia, nenhum cliente ou funcionário foi atingido pela ocorrência. Até o final da tarde de ontem a instituição financeira não havia contabilizado o nível integral de destruição causado pelo fogo. Um levantamento está sendo realizado a fim de identificar os danos e em seguida será apresentado pela direção do Banese.
Apesar do susto, a Assessoria de Comunicação do banco informou que o sinistro não foi de ampla proporção. Em virtude da agilidade operacional do Corpo de Bombeiros, as alegações apresentadas pelo Banese indicam que as chamas atingiram exclusivamente a área das centrais de autoatendimento, destruiu alguns equipamentos, mas não adentrou o setor administrativo. Uma prova disso é que os serviços não serão afetados e o correntista da agência poderá usar a conta corrente normalmente. Ontem e hoje o atendimento realizado na agência segue remanejado temporariamente em um ponto na Rua João Pessoa.
Os primeiros estudos indicam que uma pane elétrica teria gerado o curto-circuito em um cash e isso resultou no início das chamas. O controle das chamas ocorreu em menos de uma hora após primeiro chamado recebido pelo Centro Integrado de Operações de Segurança Pública (Ciosp). Conforme destacado pela Secretaria de Estado da Segurança Pública (SSP/se), através do capitão BM Luiz Jorge, coordenador das atividades, a solicitação via Ciosp foi feita por volta das 19h30 e às 20h15 o incêndio já estava controlado. A perspectiva é que o resultado do laudo seja apresentado em até 30 dias úteis.
 "Por se tratar de ocorrência em banco, em um dia de domingo, com pouco movimento de pessoas na rua, acionamos a Polícia Militar. Também solicitamos a presença da Energisa, que não cortou o fornecimento de energia do prédio porque estava chovendo muito, mas conseguiu desligar o quadro interno de energia, permitindo a atuação dos bombeiros. Os seguranças da agência informaram que, segundo as imagens das câmeras de segurança do local, o fogo teria começado na bateria do nobreack que fornece energia para as máquinas. Mas só uma perícia dará maiores conclusões", explica o capitão. (Milton Alves Júnior)