Categorias pedem estabilidade para os servidores da FHS

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto
SERVIDORES PEDEM ADIAMENTO DE VOTAÇÃO NA ALESE
SERVIDORES PEDEM ADIAMENTO DE VOTAÇÃO NA ALESE

Funcionários da FHS acompanham votação na Assembleia Legislativa
Funcionários da FHS acompanham votação na Assembleia Legislativa

Clique nas imagens para ampliar

Publicada em 29/08/2018 às 07:36:00

 

Em dia de votação de 
projetos na Assem-
bleia Legislativa de Sergipe (Alese), que teve galerias lotadas com os representantes de diversos sindicatos, para reivindicar mudanças em pontos de alguns projetos de lei, entre eles o que trata da estabilidade dos servidores da Fundação Hospitalar de Saúde (FHS) e do Refis, foram ouvidas as considerações de sindicalistas e servidores.
De acordo com o presidente do Sindicato dos Trabalhadores na Área da Saúde do Estado de Sergipe (SINTASA), Augusto Couto, todos os anos é uma incerteza da continuidade da Fundação Hospitalar de Saúde."O governo criou um projeto de lei, que segundo ele dá uma estabilidade, mas diante disso o sindicato junto com a comissão pedimos que colocasse um aditivo, que garanta a manutenção dos empregos dos servidores".
Para a secretária geral do Sindicato dos Enfermeiros de Sergipe (SEESE), Paula Aparecida, é importante acompanhar o destino dos concursados de 2009. "Todo mundo que faz concurso aguarda uma estabilidade, e infelizmente como a Fundação está sob ação judicial, então esses concursados que tem vínculo com a mesma, estão ainda com o quadro indefinido com o que vai acontecer.
Ademar Rodrigues, 43 anos, servidor que faz parte do quadro da Fundação Hospitalar de Saúde, e fez o concurso em 2009, afirmou que pleiteia a estabilidade. "Espero que resolvam essa situação, e que tudo dê certo e nossa estabilidade seja garantida para que possamos sustentar nossas famílias com trabalho e dignidade", afirmou.
"Estamos na luta a algum tempo, e o governador falou que fez o projeto e que os servidores não seriam prejudicados. O que a gente quer é não ser prejudicados, nem perder o emprego. Afinal de contas, são quase 7 mil funcionários, e estamos aqui hoje para acompanhar a garantia de estabilidade", disse Adriana, representante da Comissão de Saúde que trabalha no Hospital Regional de Lagarto.
Votação cancelada - Diante do impasse criado por alguns dos representantes dos sindicatos da área da Fundação Hospitalar de Saúde (FHS), o presidente da Assembleia Legislativa de Sergipe (Alese), Luciano Bispo, retirou o projeto dos servidores de pauta.
"O Governo e a Assembleia estão aberto ao diálogo, como estamos fazendo com todos os sindicatos, aí chegamos aqui e alguns não estão de acordo, ainda querem fazer mudanças, sendo assim, estou retirando o projeto de pauta e colocarei em votação quando eles entrarem num acordo", informou Bispo.

Em dia de votação de  projetos na Assem- bleia Legislativa de Sergipe (Alese), que teve galerias lotadas com os representantes de diversos sindicatos, para reivindicar mudanças em pontos de alguns projetos de lei, entre eles o que trata da estabilidade dos servidores da Fundação Hospitalar de Saúde (FHS) e do Refis, foram ouvidas as considerações de sindicalistas e servidores.
De acordo com o presidente do Sindicato dos Trabalhadores na Área da Saúde do Estado de Sergipe (SINTASA), Augusto Couto, todos os anos é uma incerteza da continuidade da Fundação Hospitalar de Saúde."O governo criou um projeto de lei, que segundo ele dá uma estabilidade, mas diante disso o sindicato junto com a comissão pedimos que colocasse um aditivo, que garanta a manutenção dos empregos dos servidores".
Para a secretária geral do Sindicato dos Enfermeiros de Sergipe (SEESE), Paula Aparecida, é importante acompanhar o destino dos concursados de 2009. "Todo mundo que faz concurso aguarda uma estabilidade, e infelizmente como a Fundação está sob ação judicial, então esses concursados que tem vínculo com a mesma, estão ainda com o quadro indefinido com o que vai acontecer.
Ademar Rodrigues, 43 anos, servidor que faz parte do quadro da Fundação Hospitalar de Saúde, e fez o concurso em 2009, afirmou que pleiteia a estabilidade. "Espero que resolvam essa situação, e que tudo dê certo e nossa estabilidade seja garantida para que possamos sustentar nossas famílias com trabalho e dignidade", afirmou.
"Estamos na luta a algum tempo, e o governador falou que fez o projeto e que os servidores não seriam prejudicados. O que a gente quer é não ser prejudicados, nem perder o emprego. Afinal de contas, são quase 7 mil funcionários, e estamos aqui hoje para acompanhar a garantia de estabilidade", disse Adriana, representante da Comissão de Saúde que trabalha no Hospital Regional de Lagarto.

Votação cancelada - Diante do impasse criado por alguns dos representantes dos sindicatos da área da Fundação Hospitalar de Saúde (FHS), o presidente da Assembleia Legislativa de Sergipe (Alese), Luciano Bispo, retirou o projeto dos servidores de pauta.
"O Governo e a Assembleia estão aberto ao diálogo, como estamos fazendo com todos os sindicatos, aí chegamos aqui e alguns não estão de acordo, ainda querem fazer mudanças, sendo assim, estou retirando o projeto de pauta e colocarei em votação quando eles entrarem num acordo", informou Bispo.