Leigos a serviço das vocações

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Publicada em 29/08/2018 às 23:37:00

 

* Dom Edvaldo Gonçalves Amaral, SDB
Na década de 1930, surgiu entre os católicos americanos um movimento de leigos, imitando um pouco em sua metodologia de trabalho o Lions Club e que por isso mesmo tomou inicialmente o nome de Serra Clube. "Leigos a serviço das vocações" - era seu lema e objetivo de sua ação. O nome do movimento é em homenagem a São Junípero Serra, grande apóstolo franciscano espanhol, que por mais de trinta anos foi missionário no México e na então chamada Nova Espanha, hoje Califórnia. Aí começou o Serra Clube com suas reuniões mensais, realizadas durante uma refeição, à imitação do Lions e de outros movimentos semelhantes. Frei Junípero foi beatificado pelo Papa São João Paulo II no dia 25 de setembro de 1988 e canonizado pelo Papa Francisco, quando de sua visita a Washington em 23 de setembro de 2015.
O Serra Clube, hoje denominado Movimento Vocacional Serra, formado por leigos, homens e mulheres, tem por finalidade rezar e trabalhar pelas vocações sacerdotais e religiosas na Igreja. É urgência absoluta na pastoral da Igreja o desenvolvimento e cultivo das vocações de especial serviço eclesial, como são os sacerdotes e os religiosos, consagrados ao serviço de Deus, ao anúncio do Evangelho, com a palavra e o exemplo.
Seus objetivos são: favorecer e promover vocações ao serviço ministerial na Igreja e apoiar os sacerdotes em seu sagrado ministério; valorizar e animar entre os leigos a vida religiosa consagrada; ajudar seus membros a reconhecer e responder com sua própria vida a dignidade de cristãos em meio ao mundo.
O Movimento Vocacional Serra chegou ao Brasil na segunda metade do século passado, trazido pelo então Arcebispo do Rio de Janeiro, Cardeal Dom Jaime Câmara, que encontrou na pessoa do primeiro presidente brasileiro, Luiz Alexandre Compagnoni, grande líder e devotado apóstolo das vocações sacerdotais e religiosas, todo o empenho necessário para a sua implantação no país. Com zelo e competência, o Compagnoni fundou o Serra nas principais capitais brasileiras e inúmeras outras cidades. Hoje o Movimento Serra tem um conselho nacional e se encontra em plena expansão em mais de duzentos centros espalhados em todo o Brasil.
Em Aracaju, pude sempre admirar a vitalidade e a ação do Movimento Serra, ali fundado em 1977, quando era Arcebispo Dom Luciano José Cabral Duarte e eu era seu Bispo Auxiliar. A atuação do Movimento Vocacional Serra se faz sentir no despertar das vocações sacerdotais e no cuidado com o Seminário Arquidiocesano.
Que São Junípero Serra abençoe os esforços e trabalhos dos sócios sergipanos do movimento que leva seu nome, para sempre maior vitalidade da presença da Igreja no mundo.
* * *
E.T. - Na próxima quinta-feira, 06/09, redigirá o artigo o meu amigo Raymundinho Mello, curador de meus textos para publicação em Aracaju. Se Deus quiser, retomarei este salutar convívio com os caros leitores na quinta seguinte, 13/09.
* Dom Edvaldo Gonçalves Amaral, SDB é Arcebispo Emérito de Maceió (foi Bispo Auxiliar de Aracaju - 1975 a 1980)
dedvaldo@salesianorecife.org.br 

* Dom Edvaldo Gonçalves Amaral, SDB

Na década de 1930, surgiu entre os católicos americanos um movimento de leigos, imitando um pouco em sua metodologia de trabalho o Lions Club e que por isso mesmo tomou inicialmente o nome de Serra Clube. "Leigos a serviço das vocações" - era seu lema e objetivo de sua ação. O nome do movimento é em homenagem a São Junípero Serra, grande apóstolo franciscano espanhol, que por mais de trinta anos foi missionário no México e na então chamada Nova Espanha, hoje Califórnia. Aí começou o Serra Clube com suas reuniões mensais, realizadas durante uma refeição, à imitação do Lions e de outros movimentos semelhantes. Frei Junípero foi beatificado pelo Papa São João Paulo II no dia 25 de setembro de 1988 e canonizado pelo Papa Francisco, quando de sua visita a Washington em 23 de setembro de 2015.
O Serra Clube, hoje denominado Movimento Vocacional Serra, formado por leigos, homens e mulheres, tem por finalidade rezar e trabalhar pelas vocações sacerdotais e religiosas na Igreja. É urgência absoluta na pastoral da Igreja o desenvolvimento e cultivo das vocações de especial serviço eclesial, como são os sacerdotes e os religiosos, consagrados ao serviço de Deus, ao anúncio do Evangelho, com a palavra e o exemplo.
Seus objetivos são: favorecer e promover vocações ao serviço ministerial na Igreja e apoiar os sacerdotes em seu sagrado ministério; valorizar e animar entre os leigos a vida religiosa consagrada; ajudar seus membros a reconhecer e responder com sua própria vida a dignidade de cristãos em meio ao mundo.
O Movimento Vocacional Serra chegou ao Brasil na segunda metade do século passado, trazido pelo então Arcebispo do Rio de Janeiro, Cardeal Dom Jaime Câmara, que encontrou na pessoa do primeiro presidente brasileiro, Luiz Alexandre Compagnoni, grande líder e devotado apóstolo das vocações sacerdotais e religiosas, todo o empenho necessário para a sua implantação no país. Com zelo e competência, o Compagnoni fundou o Serra nas principais capitais brasileiras e inúmeras outras cidades. Hoje o Movimento Serra tem um conselho nacional e se encontra em plena expansão em mais de duzentos centros espalhados em todo o Brasil.
Em Aracaju, pude sempre admirar a vitalidade e a ação do Movimento Serra, ali fundado em 1977, quando era Arcebispo Dom Luciano José Cabral Duarte e eu era seu Bispo Auxiliar. A atuação do Movimento Vocacional Serra se faz sentir no despertar das vocações sacerdotais e no cuidado com o Seminário Arquidiocesano.
Que São Junípero Serra abençoe os esforços e trabalhos dos sócios sergipanos do movimento que leva seu nome, para sempre maior vitalidade da presença da Igreja no mundo.

* * *


E.T. - Na próxima quinta-feira, 06/09, redigirá o artigo o meu amigo Raymundinho Mello, curador de meus textos para publicação em Aracaju. Se Deus quiser, retomarei este salutar convívio com os caros leitores na quinta seguinte, 13/09.

* Dom Edvaldo Gonçalves Amaral, SDB é Arcebispo Emérito de Maceió (foi Bispo Auxiliar de Aracaju - 1975 a 1980)dedvaldo@salesianorecife.org.br