Funcionários de limpeza de terceirizada voltam a parar

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto
Manifestação dos empregados da BTS, que presta serviços à Emsurb
Manifestação dos empregados da BTS, que presta serviços à Emsurb

Clique nas imagens para ampliar

Publicada em 31/08/2018 às 07:28:00

 

Pela terceira vez somente neste mês de agosto, trabalhadores do Grupo BTS, que presta serviços para a Prefeitura de Aracaju, cruzaram os braços como forma de pressionar as gestões pública e particular para que promovam de imediato a regularização do pagamento salarial e auxílios previstos pela legislação trabalhista. Com os trabalhos de serviços de jardinagem e varrição da capital suspensos em mais de 80% durante o dia de ontem, os profissionais se mobilizaram em frente ao Centro Administrativo Prefeito Aloísio Campos, sede da PMA, na tentativa de se reunir com o prefeito Edvaldo Nogueira.
Contando com o apoio do Sindicato dos Trabalhadores da Limpeza Pública e Comercial do Estado de Sergipe (Sindilimp), os manifestantes destacaram ainda que dezenas de trabalhadores estão gozando férias sem o pagamento dos valores devidos. Ao questionar os motivos para a recorrência dos problemas, a informação recebida pelo grupo empresarial indica que atrasos nos repasses financeiros por parte da administração pública municipal resultam na manutenção dos atrasos. Apara que esse tipo de irregularidade deixe de prejudicar dezenas de servidores é preciso que a PMA respeite os respectivos deveres contratuais.
A direção da Empresa Municipal de Serviços Urbanos (Emsurb), responsável por contratar a BTS, informou através de nota que a prefeitura vem efetuando os pagamentos à Empresa BTS Terceirizações de Serviços LTDA conforme previsto no calendário financeiro. A empresa municipal ressaltou ainda que cumpre o acordo de parcelamento firmado com a BTS, referente a dívida gerada e não quitada pela administração anterior. A Emsurb enfatiza que a relação BTS com seus trabalhadores foge do controle da Prefeitura de Aracaju e, consequentemente, da própria Emsurb.
"O que de fato acontece é que fica um gestor empurrando o problema para o outro lado e no meio dessa briga estão inúmeras famílias sem dinheiro para comprar comida, pagar aluguel de casa, educação dos filhos, contas de água, gás, luz e tantas outras coisas mais. Não estamos mais uma vez mobilizações porque desejamos parar as atividades e protestar; se estamos aqui é porque nossos direitos não estão sendo respeitados, independentemente de quem seja a culpa. Queremos ser respeitados na hora de receber nossos direitos da mesma forma que os superiores pressionam na hora de cobrar pelo serviço", destacou o agente de limpeza Felipe dos Santos.
A Empresa BTS Terceirizações de Serviços LTDA foi procurada pelo Jornal do Dia para se pronunciar sobre as críticas recebidas, mas não se manifestou oficialmente. (Milton Alves Júnior)

Pela terceira vez somente neste mês de agosto, trabalhadores do Grupo BTS, que presta serviços para a Prefeitura de Aracaju, cruzaram os braços como forma de pressionar as gestões pública e particular para que promovam de imediato a regularização do pagamento salarial e auxílios previstos pela legislação trabalhista. Com os trabalhos de serviços de jardinagem e varrição da capital suspensos em mais de 80% durante o dia de ontem, os profissionais se mobilizaram em frente ao Centro Administrativo Prefeito Aloísio Campos, sede da PMA, na tentativa de se reunir com o prefeito Edvaldo Nogueira.
Contando com o apoio do Sindicato dos Trabalhadores da Limpeza Pública e Comercial do Estado de Sergipe (Sindilimp), os manifestantes destacaram ainda que dezenas de trabalhadores estão gozando férias sem o pagamento dos valores devidos. Ao questionar os motivos para a recorrência dos problemas, a informação recebida pelo grupo empresarial indica que atrasos nos repasses financeiros por parte da administração pública municipal resultam na manutenção dos atrasos. Apara que esse tipo de irregularidade deixe de prejudicar dezenas de servidores é preciso que a PMA respeite os respectivos deveres contratuais.
A direção da Empresa Municipal de Serviços Urbanos (Emsurb), responsável por contratar a BTS, informou através de nota que a prefeitura vem efetuando os pagamentos à Empresa BTS Terceirizações de Serviços LTDA conforme previsto no calendário financeiro. A empresa municipal ressaltou ainda que cumpre o acordo de parcelamento firmado com a BTS, referente a dívida gerada e não quitada pela administração anterior. A Emsurb enfatiza que a relação BTS com seus trabalhadores foge do controle da Prefeitura de Aracaju e, consequentemente, da própria Emsurb.
"O que de fato acontece é que fica um gestor empurrando o problema para o outro lado e no meio dessa briga estão inúmeras famílias sem dinheiro para comprar comida, pagar aluguel de casa, educação dos filhos, contas de água, gás, luz e tantas outras coisas mais. Não estamos mais uma vez mobilizações porque desejamos parar as atividades e protestar; se estamos aqui é porque nossos direitos não estão sendo respeitados, independentemente de quem seja a culpa. Queremos ser respeitados na hora de receber nossos direitos da mesma forma que os superiores pressionam na hora de cobrar pelo serviço", destacou o agente de limpeza Felipe dos Santos.
A Empresa BTS Terceirizações de Serviços LTDA foi procurada pelo Jornal do Dia para se pronunciar sobre as críticas recebidas, mas não se manifestou oficialmente. (Milton Alves Júnior)