Sergipe registra avanços no Ideb

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Publicada em 05/09/2018 às 06:51:00

 

O Ministério da Educação (MEC) divulgou nesta segunda-feira, o resultado do Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb), referente aos Anos Iniciais (1º ao 5º ano), Anos Finais (6º ano 9º ano) do Ensino Fundamental e Ensino Médio, do ano de 2017. Em Sergipe, o Ideb das escolas da rede estadual de ensino subiu nos três níveis de ensino. Além disso, o Estado melhorou no ranking nacional, quando comparado com outros estados.
 Nos Anos Iniciais, Sergipe deixou a 24ª posição (2015), passando a ocupar a 21ª (2017). Para este marcador, a rede geral, que abrange as redes municipal, estadual e privada, permaneceu na 24ª colocação, tanto em 2015 quanto em 2017.
 Já na avaliação dos Anos Finais, a rede estadual de Sergipe mostrou crescimento nos índices e conquistou a 22ª posição (2017), enquanto em 2015 era o 27°. Com relação ao total da rede, a posição também melhorou, passando de último do ranking, 27º (2015), para 23º (2017).
 No Ensino Médio, a evolução foi de 27° para o 22° na rede estadual.  No geral (redes federal, estadual e privada), estas conquistaram a 16ª posição em 2017, superando a 23ª colocação no ranking de 2015.
  “Nós tivemos evolução em todos os indicadores e atingimos a meta para as séries iniciais do ensino fundamental. Isso se deve à aplicação coerente de políticas de longo prazo, as quais vêm apresentando resultados agora. Por exemplo, nós temos uma capacitação docente muito importante na nossa rede. Essa política começou há um tempo e hoje a rede estadual e as redes municipais têm, praticamente, todos os professores licenciados. No caso de Sergipe, da rede estadual, boa parte tem atuação na sua área de formação. Então, nós começamos pelo fundamental, que é a boa formação dos professores, e estamos continuando com políticas de monitoramento e acompanhamento pedagógico”, informou o secretário de Estado da Educação, Josué Modesto.
De acordo com o gestor da Seed, é preciso persistir nas políticas que estão dando certo. “Vários projetos têm sido desenvolvidos nas escolas. Nós queremos generalizar as boas ideias, chamar os colégios que tiveram os melhores êxitos para compartilhar com as equipes pedagógicas e diretivas de outras unidades que não alcançaram êxitos tão expressivos, para trocar experiências e conhecimento. No momento, nós estamos com um curso de formação de diretores de escolas e queremos aproveitar para compartilhar as experiências exitosas. Agora, com uma política importante de formatação de currículos, esperamos também outro feito, que é a padronização dos calendários para assegurar aos nossos estudantes a efetividade do nosso calendário e a efetividade da oferta dos conteúdos. Nesse caso, nós estamos propondo um mecanismo mais ágil para a contratação de professores substitutos, porque surgem lacunas na oferta de disciplinas.”, enumerou o secretário.

O Ministério da Educação (MEC) divulgou nesta segunda-feira, o resultado do Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb), referente aos Anos Iniciais (1º ao 5º ano), Anos Finais (6º ano 9º ano) do Ensino Fundamental e Ensino Médio, do ano de 2017. Em Sergipe, o Ideb das escolas da rede estadual de ensino subiu nos três níveis de ensino. Além disso, o Estado melhorou no ranking nacional, quando comparado com outros estados.
 Nos Anos Iniciais, Sergipe deixou a 24ª posição (2015), passando a ocupar a 21ª (2017). Para este marcador, a rede geral, que abrange as redes municipal, estadual e privada, permaneceu na 24ª colocação, tanto em 2015 quanto em 2017.
 Já na avaliação dos Anos Finais, a rede estadual de Sergipe mostrou crescimento nos índices e conquistou a 22ª posição (2017), enquanto em 2015 era o 27°. Com relação ao total da rede, a posição também melhorou, passando de último do ranking, 27º (2015), para 23º (2017).
 No Ensino Médio, a evolução foi de 27° para o 22° na rede estadual.  No geral (redes federal, estadual e privada), estas conquistaram a 16ª posição em 2017, superando a 23ª colocação no ranking de 2015.
  “Nós tivemos evolução em todos os indicadores e atingimos a meta para as séries iniciais do ensino fundamental. Isso se deve à aplicação coerente de políticas de longo prazo, as quais vêm apresentando resultados agora. Por exemplo, nós temos uma capacitação docente muito importante na nossa rede. Essa política começou há um tempo e hoje a rede estadual e as redes municipais têm, praticamente, todos os professores licenciados. No caso de Sergipe, da rede estadual, boa parte tem atuação na sua área de formação. Então, nós começamos pelo fundamental, que é a boa formação dos professores, e estamos continuando com políticas de monitoramento e acompanhamento pedagógico”, informou o secretário de Estado da Educação, Josué Modesto.
De acordo com o gestor da Seed, é preciso persistir nas políticas que estão dando certo. “Vários projetos têm sido desenvolvidos nas escolas. Nós queremos generalizar as boas ideias, chamar os colégios que tiveram os melhores êxitos para compartilhar com as equipes pedagógicas e diretivas de outras unidades que não alcançaram êxitos tão expressivos, para trocar experiências e conhecimento. No momento, nós estamos com um curso de formação de diretores de escolas e queremos aproveitar para compartilhar as experiências exitosas. Agora, com uma política importante de formatação de currículos, esperamos também outro feito, que é a padronização dos calendários para assegurar aos nossos estudantes a efetividade do nosso calendário e a efetividade da oferta dos conteúdos. Nesse caso, nós estamos propondo um mecanismo mais ágil para a contratação de professores substitutos, porque surgem lacunas na oferta de disciplinas.”, enumerou o secretário.