Grito dos Excluídos ocorre hoje após desfile

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Publicada em 07/09/2018 às 07:14:00

 

Milton Alves Júnior
Em entrevista coletiva 
realizada na manhã 
de ontem a Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) oficializou que a manifestação do Grito dos Excluídos reunirá hoje diversas organizações dos movimentos sindical e social comprometidos com as causas dos excluídos. Na capital sergipana, assim como ocorre todos os anos, a mobilização começa às 8h com uma celebração inter-religiosa na Catedral Metropolitana. Em seguida, as lideranças do movimento sindical e social seguem em marcha até a Av. Ivo do Prado de onde iniciam o desfile de protesto na Av. Barão de Maruim.
O arcebispo metropolitano de Aracaju, Dom João José Costa, ressalta que o "grito" será uma grande oportunidade para os cristãos expressarem o seu clamor também em defesa da vida humana, desde a sua concepção até o seu declínio natural. "Estaremos todos nós juntos mais uma vez para, como bem destaca o tema deste ano, valorizar a vida; ela deve estar sempre em primeiro lugar. O nosso lema é: Desigualdade gera violência: basta de privilégios. É com essa mensagem que estaremos nessa sexta-feira, Dia da Independência do Brasil, lutando por avanços cada vez mais humanos", disse.
Participação - Já garantiram presença no ato profissionais ligados ao Sindicato dos Trabalhadores em Educação no Estado de Sergipe (Sintese), Sindicato dos Bancários (SEEB), Sindicato dos Enfermeiros do Estado de Sergipe (SEESE), Sindicato dos Jornalistas do Estado de Sergipe (Sindijor), Sindicato dos Trabalhadores do Poder Judiciário de Sergipe (Sindijus), e Sindicato dos Trabalhadores no Serviço Público do Estado de Sergipe (Sintrase).
Constam ainda nessa lista representantes da União Nacional dos Estudantes (UNE), União Sergipana dos Estudantes Secundários (Uses), grêmios estudantis e profissionais da Universidade Federal de Sergipe (UFS), e do Instituto Federal de Sergipe (IFS). O ato conta com o apoio da Central Única dos Trabalhadores (CUT), e da Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil (CTB).

Em entrevista coletiva  realizada na manhã  de ontem a Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) oficializou que a manifestação do Grito dos Excluídos reunirá hoje diversas organizações dos movimentos sindical e social comprometidos com as causas dos excluídos. Na capital sergipana, assim como ocorre todos os anos, a mobilização começa às 8h com uma celebração inter-religiosa na Catedral Metropolitana. Em seguida, as lideranças do movimento sindical e social seguem em marcha até a Av. Ivo do Prado de onde iniciam o desfile de protesto na Av. Barão de Maruim.
O arcebispo metropolitano de Aracaju, Dom João José Costa, ressalta que o "grito" será uma grande oportunidade para os cristãos expressarem o seu clamor também em defesa da vida humana, desde a sua concepção até o seu declínio natural. "Estaremos todos nós juntos mais uma vez para, como bem destaca o tema deste ano, valorizar a vida; ela deve estar sempre em primeiro lugar. O nosso lema é: Desigualdade gera violência: basta de privilégios. É com essa mensagem que estaremos nessa sexta-feira, Dia da Independência do Brasil, lutando por avanços cada vez mais humanos", disse.

Participação - Já garantiram presença no ato profissionais ligados ao Sindicato dos Trabalhadores em Educação no Estado de Sergipe (Sintese), Sindicato dos Bancários (SEEB), Sindicato dos Enfermeiros do Estado de Sergipe (SEESE), Sindicato dos Jornalistas do Estado de Sergipe (Sindijor), Sindicato dos Trabalhadores do Poder Judiciário de Sergipe (Sindijus), e Sindicato dos Trabalhadores no Serviço Público do Estado de Sergipe (Sintrase).
Constam ainda nessa lista representantes da União Nacional dos Estudantes (UNE), União Sergipana dos Estudantes Secundários (Uses), grêmios estudantis e profissionais da Universidade Federal de Sergipe (UFS), e do Instituto Federal de Sergipe (IFS). O ato conta com o apoio da Central Única dos Trabalhadores (CUT), e da Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil (CTB).