Mãe é indiciada por cegar os próprios filhos em Itabaiana

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Publicada em 07/09/2018 às 07:15:00

 

A Polícia Civil concluiu nesta quinta-feira o inquérito que investigava o caso de uma mulher que teria cegado três dos quatro filhos para obter benefícios previdenciários. A jovem de 29 anos será indiciada por lesão corporal gravíssima e pode ser condenada a até oito anos de prisão, além de perder a guarda das crianças em definitivo. A delegada Josefa Valéria Nascimento, do núcleo de Atendimento a Grupos Vulneráveis da Delegacia Regional de Itabaiana, ouviu mais de 15 depoimentos relacionados ao caso.
Ontem, a delegada do caso confirmou já ter elementos suficientes para indiciar a mãe das crianças. "Nós temos vários indícios de que as crianças pioravam quando estavam na presença da mãe e melhoravam quando estavam na presença de outros familiares", disse Josefa, acrescentando que, quando as crianças eram internadas, a responsável pela compra dos medicamentos e aplicação deles era a própria mãe. A polícia quer saber se os colírios eram administrados ou que tipo de outra substância pode ter sido colocada nos olhos das crianças. "Há também provas de que a mãe ficava de posse da medicação o tempo inteiro", completou a delegada.
Os laudos que podem identificar as substâncias usadas ainda não foram concluídos, mas a suspeita da polícia é de que os medicamentos aplicados nos olhos das crianças eram misturados a algum tipo de ácido ou substancia corrosiva. A acusada está presa há cerca de duas semanas no Presídio Feminino de Nossa Senhora do Socorro. A pedido da Justiça, vai passar por uma avaliação psiquiátrica. Ainda de acordo com a delegada, ela vai aguardar o julgamento presa. Duas das crianças foram encaminhadas para um abrigo sob responsabilidade do Conselho Tutelar. Uma delas ainda está internada e assim que tiver alta, vai se juntar as outras. A criança que não possui problemas na visão está com a avó paterna.

A Polícia Civil concluiu nesta quinta-feira o inquérito que investigava o caso de uma mulher que teria cegado três dos quatro filhos para obter benefícios previdenciários. A jovem de 29 anos será indiciada por lesão corporal gravíssima e pode ser condenada a até oito anos de prisão, além de perder a guarda das crianças em definitivo. A delegada Josefa Valéria Nascimento, do núcleo de Atendimento a Grupos Vulneráveis da Delegacia Regional de Itabaiana, ouviu mais de 15 depoimentos relacionados ao caso.
Ontem, a delegada do caso confirmou já ter elementos suficientes para indiciar a mãe das crianças. "Nós temos vários indícios de que as crianças pioravam quando estavam na presença da mãe e melhoravam quando estavam na presença de outros familiares", disse Josefa, acrescentando que, quando as crianças eram internadas, a responsável pela compra dos medicamentos e aplicação deles era a própria mãe. A polícia quer saber se os colírios eram administrados ou que tipo de outra substância pode ter sido colocada nos olhos das crianças. "Há também provas de que a mãe ficava de posse da medicação o tempo inteiro", completou a delegada.
Os laudos que podem identificar as substâncias usadas ainda não foram concluídos, mas a suspeita da polícia é de que os medicamentos aplicados nos olhos das crianças eram misturados a algum tipo de ácido ou substancia corrosiva. A acusada está presa há cerca de duas semanas no Presídio Feminino de Nossa Senhora do Socorro. A pedido da Justiça, vai passar por uma avaliação psiquiátrica. Ainda de acordo com a delegada, ela vai aguardar o julgamento presa. Duas das crianças foram encaminhadas para um abrigo sob responsabilidade do Conselho Tutelar. Uma delas ainda está internada e assim que tiver alta, vai se juntar as outras. A criança que não possui problemas na visão está com a avó paterna.